Páginas

Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de março de 2020

Bee Gees - For Whom The Bell Tolls




Depois de 'Éramos Seis', Gloria Pires encarna vilã perversa que maltrata filha cega

Escalada para novela de João Emanuel Carneiro, Gloria vai mostrar seu lado maligno; veja
Redação CONTIGO!
Escalada para novela de João Emanuel Carneiro, Gloria vai mostrar seu lado maligno; veja
Gloria Pires será vilã em nova novela de João Emanuel Carneiro - Divulgação/Globo/João Miguel Junior
Gloria Pires vai deixar para trás o sofrimento de Lola em Éramos Seis para encarnar o mal na próxima novela.
A atriz já está escalada para uma nova produção da Globo. Segundo o Notícias da TV, Gloria será a grande vilã da próxima novela de João Emanuel Carneiro. A trama colocará Gloria como uma mãe que maltrata a própria filha cega.
O autor descreve a personagem como uma "vilã com sentimentos, mas egoísta, capaz das maiores atrocidades, que sempre arruma uma justificativa plausível para os seus atos". Já a moça que vai sofrer nas mãos dela será interpretada por Leticia Colin, que não para de ganhar destaque na Globo.
A novela, que ainda não tem nome, será novamente uma história de vingança, nos moldes de Avenida Brasil, maior sucesso de Carneiro. Segundo Patricia Kogut, do jornal O Globo, a trama gira em torno de um rapaz que aceita uma proposta indecente: ele leva a culpa por um crime e deve receber dinheiro em troca. O dinheiro nunca chega e ele sai para se vingar.
João Emanuel Carneiro entra no ar com sua novela depois de Um Lugar ao Sol, trama de Lícia Manzo que substituirá Amor de Mãe.
FORA DAS TELAS
O ator David Lucas surpreendeu os fãs ao contar que a carreira de ator não está mais em seus planos.
No ar na reprise da novela Fina Estampa, ele hoje é bem diferente: além dos músculos, da barba e do cabelo mais comprido, ele mudou totalmente de área.
Contigo!

Que calor! Fani Pacheco escolhe lingerie sensual para banho de sol

A ex-BBB caprichou no modelito para seu tempo livre
MÁXIMA DIGITAL 
Uma dama de vermelho! 
Fani Pacheco escolheu um modelito bem caprichado para um banho de sol nesse domingo, 29. 
A ex-BBB optou por uma lingerie vermelha e bem sensual para descansar sob a luz quente
Poderosa, a loira compartilhou os detalhes deste momento de relaxamento em seu perfil no Instagram. 
Na legenda da postagem, ela usou uma hashtag a qual indicava que estava cumprindo o período de quarentena, solicitado pela Organização Mundial da Saúde. 
Não houve dúvidas de que a beleza da estrela conquistaria o coração de seus seguidores. Nos comentários da publicação, eles deixaram uma série de mensagens carinhosas para ela
"Digitando com os pés, porque as mãos estão batendo palmas", brincou um. 
"Cada vez mais bela", enalteceu outro. 

Eletro Força Ferramentas

Quarentena: Rafael Sardão usa método especial para cuidar da mente e sugere pausa nas atividades

O protagonista de 'Amor sem Igual' debateu sobre o período de pandemia
MÁXIMA DIGITAL
Rafael Sardão fala sobre método para cuidar da mente
Rafael Sardão fala sobre método para cuidar da mente - Divulgação
O período de quarentena mexeu com a rotina da população mundial. Como recomendado anteriormente pelas autoridades, foi preciso que as pessoas ficassem reclusas em suas casas para evitar a propagação do coronavírus.
Em virtude disso, Rafael Sardão foi uma das personalidades conhecidas pelo público a adotar a solicitação. 
O protagonista de Amor sem Igual contou quais são seus métodos para se cuidar, já que as gravações da novela foram suspensas até segunda ordem. 
"Sem dúvida vivemos um dos momentos mais emblemáticos de nossa geração. É vital, é obrigatório, que cada um se recolha em seus lares. Talvez seja o momento de pararmos um pouco, respirarmos um pouco - agradecer por poder respirar- entender realmente o significado de 'amar ao outro como a ti mesmo'", falou o ator, que está na casa dos pais, localizada na reserva natural da Pedra Branca, no Rio de Janeiro.
O intérprete de Miguel na trama da RecordTV contou o que está fazendo nesses dias de reclusão: "Porque agora, dentro dessa pandemia, somos todos uma só humanidade, e, sendo assim, se resguardar, mantendo sua mente em prece, oração, meditação, reza, ou seja lá qual for a sua forma de conexão com Deus; evitar sucumbir a epidemia de medo e apavoramento que tomou conta do Planeta, se tornou nossa missão coletiva de vida ou morte".
Ele sugeriu que seus admiradores seguissem um caminho semelhante ao seu na hora dos cuidados: "Então, minha proposta para essa missão, é meditar, ler bons livros, assistir bons filmes e se reconectar consigo mesmo(a) em sua quarentena.".
"Praticar gratidão, compartilhar informações confiáveis, e não medo, fakenews, ou julgamento de culpados, como já vejo determinado grupo político fazendo. Não é hora de guerra, é hora de união.", continuou. 
Por fim, o ator refletiu que, para esse período de pandemia, é preciso união: "Essa é a maior ajuda que podemos dar ao mundo nesse momento. Então façamos nossa parte, não é tão difícil. A humanidade vencerá se nos unirmos.".
Conteúdo:Revista Máxima

Lojão do Amigo Bonfim

Nenhuma descrição de foto disponível.

Cabelos: conheça os tratamentos queridinhos do momento e qual o melhor para você

Conheça os tratamentos queridinhos para os cabelos e veja qual melhor para o seu
Lígia Menezes
Conheça os tratamentos queridinhos para os cabelos e veja qual melhor para o seu
Banco de Imagem/Getty Images
Todas nós queremos fios bonitos e saudáveis. Por isso, ficamos de olho nas principais novidades quando o assunto é tratamento de cabelo.
Conheça os tratamentos mais pedidos aos cabeleireiros e descubra de qual deles seu cabelo precisa para ficar ainda mais bonito.
HIDRATAÇÃO E NUTRIÇÃO  
O que é: a hidratação é um tratamento para repor a água nos fios. Nutrição faz a mesma coisa, mas no tocante às vitaminas e proteínas. Parecem iguais, mas são recomendados para exigências diferentes. “O profissional escolherá o produto de acordo com a necessidade – um creme com mais vitaminas ou com mais água”, explica o hair stylist Felipe de Souza Andrade (@felipecabeleireirocwb), de Curitiba (PR). 
Para quem é indicado: recomenda-se a nutrição para fios quebradiços, sem forma, que mesmo com escova ficam com pontas desalinhadas. A hidratação é para fios secos, sem brilho e maciez, ou seja, que perderam água devido a químicas e outros tratamentos. 
Benefícios: ambos devolvem a forma e a vida aos fios. Podem ser feitos mensalmente. 
Média de preço: encontrados em qualquer salão de beleza, custam em média a partir de R$ 50. 
Contraindicações: por não conterem químicas, os produtos utilizados não possuem contraindicações. A manutenção pode ser feita em casa.
CIRURGIA DOS FIOS BRANCOS 
O que é: tintura ou tonalização apenas das madeixas brancas. “Faz-se fio a fio, em um trabalho manual intenso, devolvendo a cor natural do cabelo da cliente”, conta. 
Para quem é indicado: para pessoas que têm de 10% a 20% dos fios brancos. 
Benefícios: não danifica o restante dos fios com química. Deve ser refeito sempre que os brancos voltarem a aparecer. 
Média de preço: R$ 150. 
Contraindicações: dependendo do produto utilizado, gestantes, lactantes e alérgicas não devem fazer sem orientação médica.
TRANSIÇÃO CAPILAR  
O que é: retorno do cabelo alisado para os fios naturais, enrolados. Trata-se de um processo demorado e de mudança extrema. Não é um tratamento em si – no salão, podem ser realizadas técnicas para ajudar na transição, principalmente nutrições e hidratações, sem uso de chapinha. Sugere-se à cliente realizar um corte a cada três meses – ou o big chop, um corte radical bem curto para tirar toda a química de uma vez. 
Para quem é indicado: pessoas que querem voltar a ter fios enrolados ou cacheados. 
Benefícios: devolve a beleza natural e a maleabilidade dos fios, sem uso de química. 
Média de preço: depende do tratamento. A nutrição ou hidratação para devolver o balanço natural dos cachos custa a partir de R$ 50. O corte também pode ser encontrado a partir desse valor. 
Contraindicações: não há, pois não existe química envolvida nas técnicas aplicadas.
CAUTERIZAÇÃO OU PLÁSTICA CAPILAR
O que é: hidratação potente e sem enxágue com produtos à base de queratina, uma proteína essencial do fio. Na finalização, usa-se a chapinha para selar a cutícula com o produto. 
Para quem é indicado: fios secos, muito danificados por química, sem brilho nem movimento. 
Benefícios: devolve a maciez, recupera danos e fortalece. Porém, por ser forte, só deve ser repetido a cada três meses. 
Média de preço: a partir de R$ 150. 
Contraindicações: escolher uma versão só com proteínas? Não há contraindicação. Se tiver química, gestantes e lactantes só podem fazer com autorização médica. 
PROGRESSIVA, SELAGEM OU BOTOX
O que é: alisamentos com formol ou outro alisante na fórmula. “Esses procedimentos fazem a impermeabilização do fio. Mas blindam tanto o cabelo que ele deixa de receber nutrientes externos, como os de hidratantes. A cliente tem uma falsa impressão de cabelo brilhoso e hidratado”, explica Felipe. 
Para quem é indicado: para quem busca menos volume ou fios lisos. 
Benefícios: o resultado dura por aproximadamente 30 lavagens. Refazer a cada três ou quatro meses, conforme necessidade. 
Média de preço: A partir de R$ 100. 
Contraindicações: gestantes e lactantes não devem fazer; alérgicos aos componentes do produto também são contraindicados. Faça o procedimento em um local bem ventilado e use máscara para evitar ingestão ou inalação do produto. 
Conteúdo/fonte:Revista Ana Maria

Farmais - Presidente Venceslau

Nenhuma descrição de foto disponível.

Dar risada pode acalmar a mente e ajudar a diminuir as rugas; entenda

Entenda como dar risada pode acalmar a mente e ajudar a diminuir as rugas

Sorrir é um ótimo exercício facial. Trabalha com a musculatura do rosto
Foto:Banco de Imagem/Getty Images

bom humor é contagiante. O som de uma gargalhada é muito mais. Não à toa, o ditado diz que rir é o melhor remédio. 
A princípio, pode até parecer um exagero, mas diversas pesquisas comprovam que, quando uma pessoa sorri, o organismo libera endorfina, um hormônio que age como um analgésico natural e leva a uma sensação de bem-estar e tranquilidade, favorecendo a circulação sanguínea e podendo até inibir o estresse. É isso. 
O sorriso desencadeia excelentes mudanças físicas e mentais. Aliado ao alto-astral, ele fortalece o sistema imunológico, aumenta a energia, diminui a dor e protege contra os efeitos nocivos do estresse. 
Nada funciona de modo mais rápido para trazer o corpo e a mente de volta ao equilíbrio do que uma boa risada. Sorrir ainda ilumina seus fardos, inspira esperança e conecta você com os outros. 
“Com tanto poder de curar e renovar, a capacidade de rir com frequência é um tremendo recurso para superar os problemas, melhorar os relacionamentos e dar suporte à saúde física e emocional”, garante Ivana Cabral, reprogramadora mental. 
O melhor: não tem contraindicação! Saiba mais sobre o poder de uma boa risada. 
AUMENTA A INTERAÇÃO SOCIAL 
A fonoaudióloga Laila Wajntraub enfatiza a importância do riso para a interação social: “A expressão facial é a forma mais comum de demonstrar emoções e sorrir é a atitude que melhor rompe barreiras e aproxima as pessoas, tanto em relacionamentos sentimentais quanto profissionais. Pode dissipar uma angústia, se for simpático, ou aumentá-la, se for sarcástico; pode estimular um trabalho, se for de aprovação, ou desanimar, se for cínico; pode criar uma amizade, se for sincero e transparente, e pode humilhar de modo irreversível se não for autêntico e espontâneo. Quando vemos alguém sorrindo, nosso cérebro interpreta isso como um comando para sorrirmos também. Nossas mentes são espelhos. Assim, o sorriso cria conexões e estabelece empatia facilmente.”
AJUDA A RESOLVER CONFLITOS 
No trabalho, na família, na escola: não interessa onde, o riso ajuda na resolução de conflitos que, antes, se apresentavam como rígidos, pesados, imutáveis. Sua característica solta e transitória nos ajuda a olhar para a vida com menos peso, sem nos entregar completamente aos desvios da mente. Quando sorrimos, ficamos também mais resilientes.
AMENIZA AS DORES 
Estudo da Universidade de Oxford, na Inglaterra, mostrou que dar uma boa risada ajuda a reduzir a sensação de dor. O psicólogo Israel de Deus, do Instituto Ser +, ressalta que, depois do riso, hormônios, como endorfina e serotonina, são liberados na corrente sanguínea, proporcionando bem-estar.
PROTEGE O CORAÇÃO 
O sorriso melhora a função dos vasos e aumenta o fluxo sanguíneo, protegendo contra ataque cardíaco e outros problemas cardiovasculares.
DIMINUI AS RUGAS 
Sorrir é um ótimo exercício facial. Trabalha com a musculatura do rosto, ajuda a dar firmeza e tônus à pele, além de mexer com cérebro, garganta, coração e tórax. 
ALIVIA A TENSÃO 
O riso relaxa o corpo inteiro. Uma boa risada alivia a tensão física, deixando os músculos relaxados por até 45 minutos depois. Ele ainda estimula o sistema imunológico, aumentando o número de células imunes e anticorpos que combatem as infecções, melhorando assim sua resistência às doenças. 
ALIADO CONTRA A DEPRESSÃO 
O riso dissolve emoções angustiantes. Você não pode se sentir ansiosa, irritada ou triste quando está rindo. Ele ajuda a relaxar, recuperar o ânimo e recarregar a energia, permitindo manter o foco e realizar mais. 
Além disso, o bom humor muda a perspectiva, fazendo com que você veja as situações de modo mais realista e menos ameaçador. Uma perspectiva bem-humorada cria distanciamento psicológico, que pode diminuir o risco de se sentir sobrecarregada.
AFASTA A NEGATIVIDADE 
O psicólogo Israel de Deus, do Instituto Ser +, reforça que estar próximo de pessoas que estão sempre sorrindo ajuda a afastar a negatividade. Um sorriso gentil no rosto ou uma gargalhada frouxa e contagiante acentua a positividade e ajuda a mudar uma perspectiva negativa. 
Você já reparou que, às vezes, você nem está com vontade de rir, mas alguém ao lado solta aquela risada e, imediatamente, você também é tomada pela vibração de humor instaurada no ambiente? Pois é isso: rir contagia e vincula as relações saudáveis.
USAR O HUMOR E O RISO NOS RELACIONAMENTOS PERMITE…
  • Ser mais espontânea: o bom humor a afasta de seus problemas. 
  • Deixar de lado a postura defensiva: o riso ajuda a esquecer julgamentos, críticas e dúvidas. Soltar inibições: seus temores e resistências são postos de lado. 
  • Expressar seus verdadeiros sentimentos: emoções profundas são ‘autorizadas’ a aflorar. 
  • Trazer mais humor e risos à sua vida: na maioria das ocasiões e circunstâncias.

Karla Precioso

Conteúdo/fonte:Revista Ana Maria
Coronavírus provoca guerra por respiradores artificiais no Brasil
© AFP
Uma grave pneumonia compromete a função pulmonar. Torna a respiração um esforço enorme (dispneia) e reduz a concentração de oxigênio dissolvido no sangue (hipoxemia). Mais crítico estágio da COVID-19 num paciente, a síndrome respiratória aguda grave tem indicação de entubação e utilização de ventilação mecânica imediatas nos hospitais, segundo a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig). Esse estado da doença provocada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) levou à morte quase 30 mil pessoas ao redor do mundo, assustando por provocar uma corrida aos hospitais e grande pressão sobre a oferta de equipamentos de suporte de respiração. A falta dessas máquinas e o seu encarecimento já ocorrem no mercado nacional, o que leva a outros medos comuns em países onde a infecção já está no pico, como o da escolha de quais pacientes que irão sobreviver.
De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), há 2.934 respiradores em uso pelo Sistema Único de Saúde no estado, um número que pode ser ampliado numa emergência sem precedentes com o emprego de instalações privadas e até de ambulâncias, com incremento de mais 3.353 aparelhos. O estado também dispõe de 2.795 leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) e o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, disse nessa quinta-feira que a capital tem condições de internar em respiradores até 7 mil pessoas simultaneamente. Para se ter uma ideia, o diretor da Sociedade Mineira de Infectologia, Carlos Starling, apresentou estudo que diz que só a Grande BH pode ter de 1.500 a 8 mil pacientes graves internados no pico da infecção. A SES-MG informou que estuda ampliar a oferta dos aparelhos, mas não forneceu números.
Na Europa, onde circulam imagens de hospitais abarrotados de pacientes conectados a respiradores mecânicos, o medo tem tomado conta da população e esse receio pode chegar ao Brasil com a multiplicação e agravamento dos casos. Segundo a Fundação Pulmonar Europeia (ELF), entre os mais preocupados estão pacientes idosos e com doenças respiratórias crônicas. Temem desenvolver os sintomas mais graves da COVID-19 e, por sua condição preexistente, perder a preferência no uso dos respiradores para pessoas mais saudáveis ou mais jovens.
“A grande maioria das pessoas que desenvolve a COVID-19 não precisa de ventilação. Experimentam uma doença viral leve (semelhante a um resfriado) e se recuperam completamente. Isso inclui pessoas que têm condições subjacentes”, informa a fundação.
Essa é uma discussão que a sociedade médica já tem no Brasil, pois no caso de o pico de infecção saturar a oferta de equipamentos, escolhas duras deverão ser feitas. Mas não se trata de perfis já definidos, segundo a coordenadora médica da Diretoria Assistencial da Fhemig, Maria Aparecida Camargos Bicalho. “Não vamos tirar um paciente mais velho de um respirador e passar para um outro mais novo. Isso não funciona assim. Ainda há uma longa discussão para se fazer e todos precisam ter claros protocolos para serem seguidos. Mas é claro que se aparecerem dois pacientes, por exemplo, um acamado, completamente sequelado, com a idade que for, múltiplos AVCs, demente, que não se cuida mais sozinho, recebendo um cuidado paliativo para ter sobrevida, sem a expectativa de sair do respirador e viver, e um outro, que pode até ser mais velho e que chega por infecção grave por COVID-19, precisando de um respirador, uma escolha vai ter de ser feita”, pondera a médica.
Cuidado
O medo de precisar e não dispôr de um respirador mecânico levou vários europeus com asma, bronquite e outras doenças respiratórias crônicas a procurar pelos seus próprios aparelhos. Mas a ELF alerta que esse é um procedimento perigoso. “A ventilação deve ser fornecida apenas por um especialista treinado e não é algo que você deve adquirir sem a supervisão de um especialista. A coisa mais importante é evitar o vírus. Seguir rigorosamente as medidas de distanciamento social. Por enquanto, reduzir ao máximo o contato com pessoas fora de sua casa e praticar medidas rígidas de higiene”, recomenda a fundação.
A SES-MG informou que foi decretado, no dia 13, Situação de Emergência em Saúde Pública no estado como uma das ações de preparação para assistência aos pacientes. “Entre as medidas previstas pelo decreto estava a dispensa de licitação para compra de insumos, medicamentos e aparatos médicos, além da contratação de profissionais. Portanto, todos os esforços estão sendo realizados para sanar qualquer necessidade de equipamentos e insumos para saúde”.

Utilização  equivocada do aparelho causa lesões

Os procedimentos para a ventilação mecânica dependem de regulação das máquinas para o porte do paciente, grau de comprometimento pulmonar, resposta ao tratamento e outras necessidades clínicas que são avaliadas pelo médico no hospital. De acordo com a coordenadora médica da Diretoria Assistencial da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Maria Aparecida Camargos Bicalho, o paciente de COVID-19 grave é entubado e sedado numa unidade ou centro de terapia intensiva. “Precisa estar sedado para não competir com o funcionamento da máquina ao tentar respirar. Com isso conseguimos colocar o pulmão dele em situação de repouso e vamos ajustando a composição de gases para o caso específico”, afirma.  
De acordo com a médica, o ventilador faz todo o trabalho do pulmão e do sistema respiratório doente de aspirar e expirar, dando ao órgão tempo para se recuperar. “Enquanto isso, tratamos pela entubação da medicação do paciente. Tudo vai sendo ajustado aos parâmetros de cada caso. Por isso, não dá para uma pessoa pensar em comprar esse equipamento e usar sendo leigo. O uso equivocado pode causar lesões sérias aos pulmões”, afirma.
A ventilação é importantíssima para a recuperação do paciente, mas não é capaz de salvar a todos e tem também seus riscos. “A pessoa entubada e com suporte de um respirador acaba sem os filtros que nosso organismo dispõe para outros microrganismos e pode acabar infectado no ambiente hospitalar por outras doenças”, alerta.

Prazo longo para entrega


O preço e a disponibilidade de respiradores mecânicos têm sido um problema principalmente para os hospitais públicos. A grande procura, sobretudo particular, fez com que vários vendedores tivessem seus estoques esgotados e fornecedores passaram a usar até mesmo fábricas de outros aparelhos para ampliar a produção. A reportagem do Estado de Minas fez um levantamento entre cinco grandes fornecedores para hospitais de BH e a dificuldade foi grande para encontrar equipamentos.
Em São José dos Campos, interior de São Paulo, uma fábrica ainda atende às encomendas com um modelo de respirador de R$ 6 mil, com prazo de entrega de 16 dias. Outra fornecedora, de Balneário Camboriú (SC), dispõe de três modelos, mas cada pedido aguarda 20 dias até a aquisição do produto.
O preço tem de ser negociado pela disponibilidade e quantidade. Uma fornecedora de equipamentos hospitalares e laboratoriais de São Paulo já não dispõe de respiradores completos, que vendia por R$ 48 mil, e não há previsão de entrega de novos aparelhos.
Ao ser procurada, uma fábrica do Sul de Minas logo avisa sobre prazos dilatados devido à grande procura por causa da pandemia. O único equipamento de pronta entrega custa quase R$ 60 mil. Três modelos mais em conta estão esgotados e outros sete precisam ser encomendados com preços a combinar.
Outra grande fornecedora de São Paulo também só dispõe de um modelo hospitalar que custa R$ 100 mil. Os demais precisam ser encomendados e estão sujeitos a disponibilidade do fabricante.

Compartilhamento

Uma das saídas para racionar o uso de respiradores escassos numa possível explosão de casos graves da COVID-19 é o compartilhamento de equipamentos por mais de um paciente. Há notícias de hospitais europeus que chegaram a conectar quatro pessoas a um aparelho para tratar de todos. De acordo com a coordenadora médica da Diretoria Assistencial da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Maria Aparecida Camargos Bicalho, essas técnicas estão sendo estudadas para uso num possível pico de atendimentos em Minas Gerais.
“É uma medida de extrema necessidade, muito complexa. Nem todo paciente pode dividir uma máquina. Se estiver com um quadro muito comprometido, terá de ter um respirador só para ele”, afirma.

Depósito Presidente

ATENDIMENTO SOMENTE PELO DELIVERY!
Encomendas
Pagamento de contas, promissória !
Levamos até você!

Reta final do 'BBB 20' não terá Big Fone, Poder Supremo e festa do Líder.
Slide 1 de 8: Segundo Boninho, diretor do 'BBB 20', as informações divulgadas sobre a reta final do reality não passam de fake news
Divulgação, TV Globo

Boninho decidiu se pronunciar sobre as notícias a respeito da reta final do "Big Brother Brasil 20". Segundo o diretor da atração, tudo não passa de especulação. "Não dá pra chutar!!", afirmou. E em seguida negou que a próxima semana terá 3 eliminações: "Isso não existe". O marido de Ana Furtado fez questão de esclarecer, ainda, que não terá um Paredão do público. "Isso é ideia de quem?", questionou. Boninho explicou ainda que nem o Big Fone e nem o Poder Supremo, quando um brother é escolhido pelo público para, a qualquer momento, modificar o resultado da votação dentro da casa, devem aparecer nestas últimas semanas. "Já passou [o tempo]", disse sobre o Poder Supremo.

A notícia que mais mobilizou os seguidores de Boninho foi a de que a Líder desta semana, Gizelly, não vai ganhar uma festa temática, como todos os outros Líderes tiveram. "Porque não vai ter festa da Gizelly?", perguntou uma seguidora. "É porque temos um desenho [do programa]. Ela caiu no top 10! Se o mundo muda, o BBB muda", explicou o diretor. Enquanto uns lamentaram o fato da advogada não poder curtir uma noitada personalizada, outros se divertiram com a situação. Muitos, entretanto, apostaram que isso é uma punição pelo fato da família da sister ter enviado, através de uma foto, a notícia de que ela já tinha 2 milhões de seguidores no Instagram.

Um dos participantes mais controversos do "BBB 20", Felipe Prior divide opiniões, mas perdeu seu papel de vilão do programa quando se tornou queridinho do público. O arquiteto, no entanto, não deixou de protagonizar momentos icônicos. Tendo Babu Santana como seu único aliado, Prior já atacou todos os outros participantes, que ficam constantemente irritados toda vez que ele escapa do Paredão. Conhecido como 'El Mago' nas redes sociais, foi indicado a ir para o Quarto Branco e fez do limão uma limonada ao voltar amigo de Gizelly e Manu Gavassi, que também participaram na experiência com ele, e mais uma vez se livrou da berlinda.

Carmen Moreira

Purepeople

fonte:msn
Os melhores planos com a melhor conexão
.
Ligue e escolha o seu
📲 (18) 3271-5011

Mr taste

 Tudo fica mais delicioso com Mr. Taste!!! 
.
.📞 (18) 3271-4951
.📱 (18) 99727-4951 (WhatsApp)
.🌐 www.mrtaste.com.br

A imagem pode conter: comida
.
5 locais com estratégias bem-sucedidas de combate ao coronavírus
Os controles para a detecção da covid-19 em Cingapura começaram no aeroporto© Getty Images Os controles para a detecção da covid-19 em Cingapura começaram no aeroporto
É difícil encontrar alguém que não considere a pandemia da covid-19 a pior crise global desde a Segunda Guerra Mundial.
Enquanto alguns países sofrem as piores consequências (China, Espanha, Itália e Estados Unidos), outros implementaram estratégias que retardaram a expansão do novo coronavírus.
E as estratégias são variadas: vão da massificação dos testes de vírus ao extremo isolamento social, quarentenas localizadas e até monitoramento da população mais vulnerável.
Selecionamos essas "histórias de sucesso". Alerta de spoiler: todas fazem testes em massa, não apenas em pacientes graves.
1. Por que a Alemanha tem um número tão baixo de mortes por covid-19 em comparação outros países?
Apesar de ser o quinto país com o maior número de infecções no mundo pela covid-19, o número de vítimas fatais do vírus é muito menor do que o de outros países que relataram números semelhantes de infecções, como Espanha, Itália ou Reino Unido.
Autoridades alemãs indicaram que são capazes de realizar 160 mil testes de diagnóstico por semana© Getty Images Autoridades alemãs indicaram que são capazes de realizar 160 mil testes de diagnóstico por semana
"Embora não saibamos o motivo exato, a verdade é que recomendamos, a partir do momento em que ficamos sabendo da emergência, expandir o número de exames entre a população e, assim, reduzir a possibilidade de contágio", informou o Instituto Robert Koch de Virologia, responsável pela estratégia alemã contra a covid-19, quando consultado pela BBC.
Uma das chaves para a baixa taxa de mortalidade pode ser a identificação precoce de portadores de vírus, o que retarda a propagação da doença.
As autoridades alemãs indicaram que são capazes de realizar 160 mil testes de diagnóstico por semana.
Outros países que também têm dezenas de milhares de infecções confirmadas reservam exames laboratoriais para confirmar quem tem o vírus para pacientes com sintomas mais preocupantes, e não testam aqueles com sintomas leves.

2. Como o Japão conseguiu controlar a covid-19 sem recorrer ao isolamento geral obrigatório

Confrontado com a pandemia da covid-19, o Japão era um terreno fértil para o vírus causar estragos sérios: tem a maior proporção de pessoas com mais de 65 anos no planeta e um alto nível de consumo de tabaco, o que torna sua população mais vulnerável a doenças respiratórias.
Japão não proibiu aglomerações, mas rastrearam infectados e isolaram grupos doentes© Getty Images Japão não proibiu aglomerações, mas rastrearam infectados e isolaram grupos doentes
Mas, ao contrário de outros países que recorreram ao isolamento social para limitar a propagação do vírus, os japoneses optaram por continuar se aglomerando em eventos públicos, como ao redor das famosas cerejeiras que começam a florescer nesta época do ano.
Embora recomendem o distanciamento, as autoridades não impuseram à população as mesmas medidas extremas adotadas na China, Espanha ou Itália nas últimas semanas.
Comparado à China e à Coreia do Sul, as taxas de contágio e mortalidade do Japão são muito menores. Uma das razões por trás desses números pode ter sido a reação rápida do país para identificar focos de infecção e proteger a população mais vulnerável, bem como seu foco em "grupos de contágio".
Segundo Kenji Shibuya, diretor do Instituto de Saúde da População do King's College, em Londres, o Japão é muito eficiente em testar pessoas em busca do vírus, identificar grupos de contágio e isolá-los.
"A única maneira de lidar com qualquer pandemia é testar e isolar. E muitos países não ouviram. No Japão, eles estão desesperados para rastrear os infectados. E estão indo bem em termos de identificar e isolar os grupos doentes", disse à BBC News Mundo (serviço da BBC em espanhol).

3. Detetives de doenças combatem a epidemia em Cingapura

Os exames e o isolamento social têm sido as principais medidas para conter o número de infecções por covid-19.
Mas Cingapura foi além: usou detetives de doenças para descobrir onde o vírus estava no país. E assim conseguiu cortar a cadeia de contágio dos focos de infecção.
Cingapura possui um sofisticado e extenso programa de rastreamento de contatos capaz de seguir a cadeia de vírus de uma pessoa para outra, permitindo que indivíduos - e todos os seus contatos próximos - sejam identificados e isolados antes que seja tarde demais.
Em Cingapura, um aplicativo informa o que você deve fazer se entrou em contato com alguém com suspeita de covid-19© AFP Em Cingapura, um aplicativo informa o que você deve fazer se entrou em contato com alguém com suspeita de covid-19
Ao saber que um motorista de táxi, por exemplo, foi infectado, a polícia conseguiu rastrear as pessoas que usaram o táxi - e avisá-las, por mensagens de texto, para que permaneçam em quarentena.
Dessa forma, o país conseguiu cortar a cadeia de contágio em um dos principais focos de seu território.

4. O povo italiano que conseguiu conter a propagação do vírus com um experimento "único no mundo"

Uma cidade pitoresca na região de Veneto, chamada Vo 'Euganeo, estava no epicentro da pandemia da covid-19 na Itália.
E foi o cenário de uma estratégia radical de combate ao vírus: na escola da cidade, um centro de análise foi instalado para fazer o exame da doença a todos os moradores que assim o desejassem.
O professor de Epidemiologia e Virologia do Hospital da Universidade de Pádua, Andrea Crisanti, disse à BBC Mundo que eles conseguiram diagnosticar quase todas as pessoas desta cidade italiana.
Os investigadores detectaram o vírus em 89 pessoas. As autoridades ordenaram isolamento imediato em suas casas por 14 dias. Outra coisa chamou sua atenção: entre 50% e 60% deles apresentaram poucos sintomas ou mesmo nenhum.
A partir daí, aplicaram um método experimental que lhes permitiu chegar a duas conclusões: "Nós demonstramos cientificamente que o período de incubação do vírus é de duas semanas e que qualquer estratégia de contenção deve levar em conta o alto número de positivos assintomáticos".
Com esses dados, conseguiram conter a epidemia no local.
Na Coréia do Sul, houve 63 mortes por coronavírus© Getty Images Na Coréia do Sul, houve 63 mortes por coronavírus

5. Estratégia da Coreia do Sul para salvar vidas em meio à pandemia

A Coreia do Sul se tornou um exemplo no mundo porque - apesar de ser um vizinho da China, onde a pandemia se originou - seu número de infecções e sua taxa de mortalidade foram muito menores.
Segundo o governo sul-coreano, cerca de 10 mil exames são realizados diariamente, o que possibilitou o isolamento da população assintomática, que é um dos principais problemas na disseminação da infecção.
Além disso, outra circunstância que ajudou a conter a pandemia no território sul-coreano foi a implementação de medidas rigorosas de isolamento por região. Embora algumas das medidas tenham sido criticadas como formas extremas de controle social, especialistas consultados pela BBC concordam que elas são essenciais para salvar vidas.
BBC News
fonte:msn