Há anos uma igreja começou como um ministério para ex-prisioneiros em transição para voltar à sociedade. Hoje, ela floresce com pessoas vindas de todas as esferas da vida. Aprecio-a muito porque me lembra de como imagino que o Céu será — cheio de pessoas diferentes, pecadores redimidos ligados pelo amor de Jesus.
Às vezes, porém, me pergunto se a igreja não se parece mais com um clube exclusivo do que um refúgio seguro para pecadores perdoados. Como as pessoas gravitam naturalmente em grupos de “um certo tipo” e se ajuntam em torno daquelas com quem se sentem confortáveis, os que estão fora desse círculo sentem-se marginalizados. Mas não é isso o que Jesus tinha em mente quando disse a Seus discípulos: “…ameis uns aos outros, assim como eu vos amei” (v.12). A Sua Igreja deveria ser uma extensão do Seu amor compartilhado mutuamente com todos.
Se estiverem sofrendo, as pessoas rejeitadas podem encontrar o refúgio amoroso, conforto e perdão em Jesus, não devem esperar menos do que isso da Igreja. Então, vamos demonstrar o amor de Jesus a todos que encontramos, especialmente àqueles que consideramos diferentes. Todos ao nosso redor são pessoas que Jesus quer amar através de nós. Que alegria quando as pessoas se unem para adorar juntos em amor — é um pedaço do Céu que podemos usufruir aqui na Terra!
MR. TASTE