Páginas

Pesquisar este blog

sábado, 9 de novembro de 2019

Em ano de recomeço para o Marília, venceslauenses ajudam sub-13 a chegar à final do Paulista
A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e atividades ao ar livre
Foto 1: Samuel Cruz
A imagem pode conter: 1 pessoa, praticando um esporte e atividades ao ar livre
Foto 2: Christian Cabrini

Goleiro Joaquim e meia Betinho integram grupo que deixou para trás rivais como o Santos e colaboram com história da base do MAC, em temporada de reconstrução no futebol profissional
Por Paulo Taroco — Marília, SP
A taça ainda não foi conquistada, mas o ano já pode ser visto como vitorioso para todos os envolvidos no contexto. Em uma temporada que significou o recomeço para o futebol profissional do Marília Atlético Clube (MAC), duas jovens promessas de Presidente Venceslau ajudaram a equipe sub-13 a chegar à final do Paulista da categoria, após eliminar rivais como o Santos, e têm contribuído para que os torcedores do tradicional time voltem a sonhar com dias melhores.
As duas revelações do Oeste Paulista são o goleiro Joaquim e o meia-atacante Betinho. E a ajuda dada pelos dois tem sido relevante no decorrer da competição. Betinho é o vice-artilheiro do MAC, com nove gols, e autor de seis assistências. Já Joaquim, que tem revezado na posição de titular, entrou no segundo tempo da partida de volta da semifinal contra o Santos, em casa. Após o resultado de 0 a 0 no litoral, o jogo no Abreuzão terminou com a mesma igualdade e foi para os pênaltis. Aí, o pequeno venceslauense mostrou que está aprendendo bem as lições de goleiro.
– Antes do jogo, no domingo, enquanto tomávamos café, eu senti ele bem concentrado. Aí, ele olhou para mim e disse: "Mãe, se o jogo for para os pênaltis, eu vou defender dois." Ele quase pegou o segundo, mas defendeu um – contou Sueli, mãe do atleta.
Homem das bolas paradas do MAC, Betinho optou, no começo do ano, por ficar mais uma temporada na equipe, mesmo com convites para jogar por concorrentes mais tradicionais, como explicou Roberto, pai do atleta. Roberto disse que o nível técnico do Paulista e a vontade de fazer história, em seus primeiros passos na base, pela tradicional equipe do interior, falaram mais alto. Mesmo com tais objetivos, a chegada à final era inesperada, quando colocada em questão no começo do campeonato. Por isso, o pai acredita que toda a história vivida pelos meninos no MAC já é algo digno de muita satisfação para todos.
– Tudo isso o que o Marília viveu neste ano ajudou muito (falando em relação ao momento da equipe principal). É um orgulho ter passado pelo MAC. Quem conhece sabe que o MAC tem camisa, é time de história. E isso que eu digo para ele: "Daqui alguns anos, você entenderá o que isso significa!" Chegar a uma final do Paulista, deixando para trás equipes como o Santos, independentemente se o título chegar ou não, é uma história construída, é um legado, um orgulho para todos.
Na equipe santista estava outra promessa do Oeste Paulista, o atacante Rodriguinho, de Junqueirópolis, já apresentado ao torcedor da região pelo GloboEsporte.com/tvfronteira em uma reportagem em 2017.
Agora, o MAC encara o São Paulo na decisão. A partida de ida será neste domingo (10), no José Liberatti, em Osasco, às 10h. O Abreuzão será palco da partida de volta, no mesmo horário, no domingo seguinte.
Antes do MAC
Os dois garotos começaram suas trajetórias nas escolinhas de base de Venceslau. Joaquim começou no Corinthians e, mais tarde, encontrou o amigo de escola Betinho nas aulas do R23.
Betinho foi o primeiro a partir para o MAC. Em 2016, o meia foi um dos destaques do Grêmio Prudente, na época treinado por Luiz Carlos Canhizares, no Paulista Sub-11, e assim foi para o Marília no ano seguinte, quando começou a defender a equipe nas competições federadas.
Após o esforço do pai para arcar com os gastos das viagens, a família conseguiu fechar uma parceria neste ano com um grupo empresarial ligado ao futebol, que ajudará com alguns custos até que o menino possa fechar contrato profissional. Além disso, o pai conta que chegou a receber apoio de uma farmácia de Venceslau e da escolinha parceira do MAC nas disputas do sub-11 e sub-13 desde 2017.
Já Joaquim, lapidado pelos professores Renan e Wendell (Treinador de goleiros do R23), de Venceslau, foi um dos destaques da campanha do Grêmio Prudente no Paulista Sub-13 de 2018. Na época, a equipe foi treinada por Nei. Então, ele recebeu o convite e foi jogar o Paulista da categoria deste ano pelo Marília, tendo como apoiador o pai, também chamado Roberto, que se reveza com o xará, pai de Betinho, nas viagens.
Os pais ainda contam que os meninos são monitorados por algumas equipes grandes do país, por isso a sequência no MAC na próxima temporada é algo bastante incerto.
Ainda sobre o ano de reconstrução do MAC no futebol profissional, a equipe foi vice-campeão do Segundona do Paulista de 2019 e, no próximo ano, volta à Série A3.

Nenhum comentário:

Postar um comentário