Luís é um bancário diligente e confiável e demonstra de maneira muito clara como testemunha a sua fé. Ele a revela de maneira prática, retirando-se de ambientes durante conversas impróprias. Em um estudo bíblico, ele compartilhou: “Temo que esteja perdendo oportunidades de promoção por não me encaixar”.
Os cristãos da época do profeta Malaquias enfrentaram desafio semelhante. Eles tinham retornado do exílio e o Templo tinha sido reconstruído, mas havia ceticismo sobre o plano de Deus para o futuro deles. Alguns israelitas estavam dizendo: “‘De que adianta servir a Deus? Que vantagem temos em obedecer a suas ordens ou chorar por nossos pecados diante do Senhor dos Exércitos? De agora em diante, chamaremos de abençoados os arrogantes. Pois os que praticam maldades enriquecem, e os que provocam a ira de Deus nenhum mal sofrem’” (vv.14,15).
Como podemos permanecer firmes em Deus numa cultura que nos diz que perderemos se não nos misturarmos? Os fiéis na época de Malaquias responderam a esse desafio, reunindo-se com aqueles que criam no mesmo que eles para encorajar uns aos outros. Malaquias partilha conosco este detalhe importante: “o Senhor ouviu o que disseram” (v.16).
Deus percebe e cuida de todos os que o temem e honram. Ele não nos chama para nos “encaixar”, mas para nos aproximarmos cada dia do Senhor ao nos encorajarmos mutuamente. Vamos permanecer fiéis!