Páginas

Pesquisar este blog

sábado, 4 de janeiro de 2020

Ludmilla estreia como apresentadora do ‘SóTocaTop verão’ e confessa: ‘Nunca pensei, não sabia nem falar com as pessoas!’

“Quando ele (o diretor) me disse que era um programa de verão, fiquei achando que eu teria que usar vestido e rasteirinha, coisas que não curto”, conta Ludmilla Foto: Roberto Moreyra / Agência O Globo
Naiara Andrade
 Foto: Roberto Moreyra / Agência O Globo
Crias da Baixada Fluminense e do subúrbio carioca (ela é de Duque de Caxias, e ele, de Realengo), Ludmilla e Mumuzinho têm muito em comum. Ambos vieram de famílias com poucos recursos financeiros e enfrentaram múltiplas adversidades até alcançarem o sucesso. Neste sábado, os cantores estreiam no posto de apresentadores titulares de um programa de TV, o “SóTocaTop verão”, na Globo.
— É muito importante a gente usar o nosso lugar de fala, o nosso trabalho, para servir de inspiração para alguém. Negra e moradora da Baixada, eu só fui encontrar fora do meu país uma referência para o meu sonho de ser cantora, ter uma banda e um balé. Beyoncé sempre foi o meu espelho — diz Ludmilla, completando: — É necessário que as crianças e os jovens negros e pobres do Brasil saibam que eles também podem chegar lá.
Mumuzinho sublinha os novos tempos da diversidade na televisão:
— A gente vê Maju Coutinho no “Jornal hoje”, Érico Brás no “Se joga”... As portas estão se abrindo com mais facilidade. É claro que os jovens parecidos comigo e com Ludmilla vão olhar pra gente e sonhar em se destacar também. Que sonhem, que acreditem e que lutem, porque podem conseguir!
A afinidade dessa dupla nasceu anos atrás, nos bastidores do “Esquenta!”, quando Ludmilla ainda atendia pela alcunha de MC Beyoncé e Mumu era coadjuvante de Regina Casé no palco.
— Desde então, em todos os eventos em que a gente se encontrava, era sempre aquele papo gostoso, aquela troca de ideias. Agora, veio o “SóTocaTop verão” para juntar a gente e confirmar nossa amizade — reforça Ludmilla.
Mumuzinho elogia a espontaneidade da parceira, na vida e no trabalho:
— Lud é meio maluquinha... Sai falando as coisas sem pensar. Eu sou mais comedido. Mas acho essa naturalidade dela do caramba! Ela não tem vergonha de errar e de perguntar coisas que podem parecer bobas.
Diferentemente do sambista, que conta sempre ter sonhado com uma oportunidade de comandar uma atração na telinha, a funkeira confessa ter se surpreendido com o convite de Raoni Carneiro, diretor da atração.
— Nunca pensei que eu pudesse ser apresentadora na vida, eu não sabia nem falar com as pessoas! Fiquei muito feliz por ele ter se lembrado de mim em meio a tanta gente maravilhosa. Raoni confiou mais em mim do que eu mesma. E ainda me deixou muito à vontade. Quando ele me disse que era um programa de verão, fiquei achando que eu teria que usar vestido e rasteirinha, coisas que não curto. Mas não, pude manter o meu estilo de cordão e tênis, estou muito confortável — explica a artista, entregando um porém: — O único problema é ter que acordar muito cedo para gravar. Eu durmo tarde, e quando dou por mim já está na hora de me maquiar. Entre um intervalo e outro, fico na lombeira, com a cara amassada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário