Páginas

Pesquisar este blog

quinta-feira, 26 de março de 2020

Coronavírus faz homens removerem a barba por medo de contaminação
Especialistas afirmam que não há necessidade de tirar a barba - desde que ela passe por uma higienização adequada © MARCOS MÜLLER/ESTADÃO Especialistas afirmam que não há necessidade de tirar a barba - desde que ela passe por uma higienização adequada
Com a disseminação do novo coronavírus, a barba virou vilã. Isso porque muitos homens - incluindo personalidades da cultura e do esporte - resolveram apará-la ou mesmo removê-la por completo pelo temor de que gotículas contaminadas poderiam se alojar nos pelos e se transformar em focos de contágio. No entanto, especialistas afirmam que não há necessidade de tirar a barba - desde que ela passe por uma higienização adequada.
“Os vírus podem estar em qualquer tipo de superfície, mas não há nenhum trabalho científico que mostre que ter barba propicia maior acúmulo”, afirma o dermatologista Egon Daxbacher, diretor da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).
Para o médico, é preciso ter bom senso: se uma pessoa com barba espirrar, o ideal é fazer a limpeza imediatamente. “O importante no momento é o que temos cientificamente: a lavagem de mãos, evitar tocar o rosto sem ter higienizado as mãos e lavar o rosto”, recomenda.
O estudante de Direito Thiago Santos, de 30 anos, não quis pagar para ver. Com hábito de colocar a mão no bigode frequentemente, preferiu tirar os pelos da face. “Estou em quarentena com meus pais em casa, eles têm mais de 60 anos, era uma forma de eu me prevenir. Gostava de usar a barba, mas como estou em casa o tempo todo, não foi tão ruim assim”, afirma. Ele fez um vídeo tirando a barba e postou em seu perfil no Instagram. A filmagem faz alusão à famosa cena da novela Laços de Família (2000), em que a personagem Camila (Carolina Dieckmann) tem o cabelo raspado ao som da música Love By Grace.
Amigo de Santos, o gestor de operações de e-commerce Lucas Silveira, de 31 anos, também raspou a barba depois de ver um médico dizer em um programa de televisão que a barba poderia conter impurezas e propagar o vírus. “Foi meio estranho, não passava navalha no rosto há uns cinco ou seis anos, mas preciso ajudar ao máximo nesse período do coronavírus. Vi que eu ia precisar ficar limpando a barba sempre e preferi tirar”, diz.
Médicos afirmam que não há comprovação científica de que pelos do corpo representam um perigo em tempos de coronavírus. O infectologista Celso Granato, da Unifesp, conta que a recomendação do Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) americano é de que profissionais da saúde que lidam com pacientes devem retirar a barba. “A máscara de prevenção, com a barba, não se adapta e perde a aderência”, explica.
Granato reforça que a limpeza constante das mãos e do rosto é o ideal para não se contaminar. Seguida esta orientação, não há razão para remover a barba para se prevenir da covid-19. “Se você é uma pessoa asseada, usa barba e está sempre se lavando, em relação a quem não tem barba mas não tem esse mesmo cuidado, será que faz diferença? É preciso considerar outros fatores para não colocar a culpa na barba”, ressalta o infectologista.
Barbeiro e um dos sócios da Barbearia Retrô, em São Paulo, Alex Peres está de acordo. “Se sair, ao voltar para casa é preciso lavar a barba, mas também lavar bem as mãos, tirar os sapatos...”, explica. Segundo ele - que postou um vídeo no Instagram ensinando como manter a barba higienizada - o principal cuidado para quem quiser manter a barba é não ficar passando a mão nela a todo momento.

Eles tiraram a barba

Apresentadores de TV e esportistas também decidiram remover a barba sob a justificativa de prevenir o coronavírus. Âncora do Globo Esporte, Felipe Andreoli postou na última quinta-feira, 19, um vídeo no Instagram em que retirava os pelos faciais por causa de um desafio de sua mulher, Rafa Brites, sobre o que ele estava fazendo para deter a disseminação do vírus.
Quem também apareceu barbeado na rede social foi Danilo Gentili. O apresentador do SBT disse que seguiu a recomendação de um primo médico. O cantor Marcos, da dupla sertaneja Marcos & Belutti, e o humorista Tirullipa também mostraram as caras limpas em postagens. Wallace (ao lado), jogador de vôlei da seleção brasileira, tinha a barba como marca registrada e tirou. “Em tempos de Covid-19 todos temos que estar conscientes e fazer a nossa parte. A barba poderia ser um meio do vírus permanecer por mais tempo. Todos sabem da minha identificação com a barba, mas nesse momento não pensei duas vezes”, disse. No Instagram, ele desafiou outros atletas a fazer o mesmo. Os levantadores William Arjona e Bruninho seguiram o exemplo.

Depoimento: Controvérsia não é de hoje

Adriano Araújo, Web Designer
Não é de hoje que se discute sobre os benefícios e malefícios do uso da barba por grande parte da população masculina mundial. Seja por motivações ideológicas, religiosas, sociais ou estéticas, o fato é que a ostentação dos pelos faciais costuma gerar bastante controvérsia.
Já surgiram teorias de que a barba pode ser tão suja quanto um vaso sanitário, como também de que pode proteger contra alergias e funcionar como um protetor solar natural.
Especialmente agora, em tempos de quarentena pelo mundo, o que era para ser apenas uma opção de estilo está se tornando uma questão de saúde pública, e o que todo barbudo do planeta quer saber é: afinal, devo ou não tirar a minha barba?
Como adepto do estilo hipster, lenhador, lumberjack ou qualquer outro nome que queiram atribuir ao indivíduo que resolveu deixar a sua barba comprida - eu nunca entendi exatamente em qual termo eu me encaixo -, minha resposta é: depende.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a orientação é para redobrarmos a atenção com a higiene pessoal, principalmente em relação às mãos e rosto. Isso vale inclusive para os cabelos. Portanto, se você decidiu cultivar uma bela barba, saiba que isso implica em alguns cuidados adicionais no dia a dia.
O primeiro passo é lavar bem, pelo menos duas vezes ao dia, logo pela manhã e também à noite, antes de dormir. Existem diversos xampus, sabonetes e condicionadores disponíveis no mercado, que servem não só para limpar, mas também para deixar os pelos mais macios e manter sua pele saudável.
Para quem tem barba comprida, assim como eu, a dica é sempre usar um óleo específico e penteá-la, ainda úmida, no sentido do crescimento dos pelos, de cima para baixo. Esses cuidados são fundamentais para desembaraçar e alinhar os fios. Pentes de madeira e escovas de cerdas naturais são mais indicados, por retirarem a energia estática e facilitarem a sua vida na hora de 'domar' os fios mais rebeldes.
Nesse processo, o auxílio de um secador de cabelos é indispensável, pois somente o uso da toalha pode deixar os pelos da parte de baixo mais úmidos, o que pode ser território fértil para fungos e bactérias se proliferarem.
Por último, sempre utilizo uma pomada finalizadora na barba e no bigode. Principalmente para aqueles que possuem bigodes grandes, esse produto ajuda a fixar os pelos e evita que eles entrem na boca, o que além de incômodo pode facilitar a contaminação.
E, para manter o visual enquanto as barbearias estão fechadas, o ideal é aparar os fios com o auxílio de uma tesoura pequena, tendo o pente como apoio, para manter o formato original do corte. Com a prática, você vai pegando o jeito e fica até divertido, o que pode te ajudar a passar o tempo de isolamento social e economizar em tempos de crise.
Portanto, quem quiser entrar no desafio de tirar a barba, fique à vontade. Para aqueles que, assim como eu, querem passar pela quarentena sem perder o estilo, fiquem tranquilos. Seguindo esses cuidados, certamente o seu visual não irá interferir no processo de transmissão da covid-19 e, ainda, vai te deixar com uma aparência muito melhor.
Renato Vieira
Estadão
fonte:msn

Nenhum comentário:

Postar um comentário