Páginas

Pesquisar este blog

quarta-feira, 25 de março de 2020

Nicette Bruno fala sobre exercícios físicos em casa e prevenção contra coronavírus

Leonardo Ribeiro
Nicette Bruno mandou a ver na sequência de exercícios físicos propostos por Luana Miessa, sua neta, e viralizou nas redes sociais pelo empenho. Foi um "Corona treino", como a personal definiu. A atriz se divertiu e explica que os exercícios já fazem parte da sua rotina.
— Eu faço exercícios. Temos que procurar realizar as coisas, não é mesmo? (risos) Eu estou me cuidado, querido. Faço tudo em casa. Não saio. E sempre que posso eu mando mensagem para as pessoas que também fiquem em casa, que se cuidem, porque é importante, para que a gente possa passar por isso bem e dar fim a esse processo de quarentena — diz a atriz, que analisou o momento que vivemos por outro ângulo:
— Temos que aprovietar para fazermos uma autoreflexão, entendermos as relações humanas, começar a pensar no próximo e, quem sabe assim, nos tornarmos pessoas melhores.


A atriz também está em forma na sua profissão e acaba de fazer uma participação na reta final de "Éramos seis", como Madre Joana, uma freira que coordena um asilo que Lola (Gloria Pires) procurou para se refugiar. As cenas foram gravadas um dia antes dos Estúdios Globo paralisarem os sets como medida de precaução contra o coronavírus.
— Gravamos no primeiro dia que já sabíamos que tudo iria parar no dia seguinte. Foi um momento de impacto, pelo o que estamos vivendo, mas tudo desanuviou justamente pelo fato de estarmos juntas (Irene Ravache, que fez a Lola na versão da novela de 1994, também participou das cenas finais). Foi uma participação afetiva e é uma despedida bonita da novela. Não foi com festa, como queríamos, mas foi representando a amizade e a admiração que todos sentíamos uns pelos outros — avalia Nicette, de 87 anos.
A festa a que Nicette se refere é o casamento de Lola e Afonso (Cássio Gabus Mendes), um final diferente do livro de Maria José Dupré, de 1943, em que a matriarca da família Lemos termina em um asilo.
— A versão que fiz foi mais doída, mas vai ser bom ter esse final feliz, para as pessoas que assistem poderem diluir esse sofrimento que vimos dessa mulher, e, principalmente, pelo momento que estamos vivendo. Eu estou curiosa para assistir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário