Páginas

Pesquisar este blog

sexta-feira, 22 de maio de 2020

Moro com alguém que pegou Covid: como proceder sobre o isolamento

O protocolo voltado aos familiares de suspeitos ou confirmados da doença ainda gera dúvidas e o município esclarece

por Cinthia Milanez

Vinicius Bomfim/JC Imagens
Paulo Pepulim, diretor do Departamento de Urgência e UPAs, afirma que recomendação das equipes é orientar os familiares
A pandemia do novo coronavírus mudou a rotina de todo mundo, inclusive, das pessoas que convivem com pacientes suspeitos ou confirmados da doença, afinal, elas também precisam aderir ao isolamento total, caso apresentem qualquer sintoma gripal. Porém, este protocolo ainda gera dúvidas. Tanto que, há alguns dias, o JC recebeu uma denúncia envolvendo a falta de orientações aos familiares de uma mulher que, posteriormente, acabou diagnosticada com a Covid-19.
Conforme a reportagem apurou junto a um empresário local, que preferiu não se identificar, a mãe de um dos seus funcionários começou a apresentar alguns sintomas do novo coronavírus. No último dia 4, o trabalhador a levou até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bela Vista.
De lá, a mulher recebeu alta, porém, quatro dias depois, reclamou de uma dor muscular intensa e o filho a acompanhou até a UPA do Ipiranga. Ela, novamente, voltou para a sua residência. Em 10 de maio, Dia das Mães, a paciente retornou à mesma unidade e acabou transferida para o Hospital Estadual, onde recebeu a confirmação da doença.
Ainda segundo o empresário, em nenhum momento, a mulher ou o seu acompanhante receberam qualquer orientação sobre as ações de prevenção dentro e fora de casa. Por sorte, a empresa promove uma hora de treinamento semanal neste sentido e o funcionário a notificou sobre a situação, momento em que foi afastado.
Diretor do Departamento de Urgência e UPAs, em Bauru, Paulo Pepulim Bastos alega que a reclamação não chegou por meio da Ouvidoria. Só assim, de acordo com ele, é possível consultar o prontuário médico e avaliar todas as condutas frente ao atendimento em questão.
PROTOCOLO
Paulo, contudo, afirma que as unidades recebem recomendações sobre a necessidade de passar informações aos pacientes e familiares. Independentemente, ele acredita que tal conduta já faça parte da rotina médica.
Segundo o diretor do órgão, cada situação precisa ser avaliada de maneira individual quando se trata de isolamento social. "Se os pacientes conseguirem ficar dentro de um quarto sozinhos e sem contato com outras pessoas, você consegue flexibilizar o comportamento dos demais moradores, desde que tomem os devidos cuidados", explica.
Entretanto, Paulo ressalta que, caso os familiares comecem a apresentar sintomas gripais, eles também devem seguir as mesmas regras aplicadas aos suspeitos, ou seja, isolamento total.
E NA REDE BÁSICA?
Diretora da Divisão das UBS, em Bauru, Carolina Carrer afirma que a atenção primária possui quatro postos referenciados para o atendimento da Covid-19: Bela Vista, Falcão, Geisel e Mary Dota.
De acordo com ela, a rede básica entra em contato telefônico com todos os pacientes suspeitos da doença, incluindo aqueles que deram entrada nas unidades de urgência, em até 48 horas após a sua liberação. Se eles voltarem a qualquer UBS ou UPA e, novamente, receberem alta, o monitoramento se repete.
A ideia é verificar como os casos evoluíram e se, eventualmente, outro familiar começou a apresentar sintomas. "Se isso ocorrer, nós também recomendamos o isolamento total desta pessoa por 14 dias", acrescenta.
Isso porque não há testes para todo mundo. Eles são feitos apenas em grupos específicos, como profissionais da saúde e pacientes internados.
Carolina observa que a equipe médica precisa passar as recomendações com clareza. "Nós aconselhamos os pacientes a ficarem em um quarto sozinhos, se possível. Além disso, informamos sobre a higienização correta dos utensílios, que devem ser de uso exclusivo das pessoas com suspeita da doença", descreve.
As UBSs referenciadas não funcionam 24 horas por dia. Os postos do Bela Vista e da Vila Falcão atendem de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h. Já as unidades do Geisel e Mary Dota abrem nos mesmos dias, das 7h às 19h.
Se alguém sentir qualquer sintoma relacionado à Covid, deve acionar o 192, opção 2. Caso necessário ou por orientação do próprio Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a pessoa pode se dirigir para qualquer UBS referenciada, UPA ou Pronto-Socorro Central (PSC).

Nenhum comentário:

Postar um comentário