Páginas

Pesquisar este blog

domingo, 16 de agosto de 2020

Convivência desgastada? Saiba como melhorar a relação com quem mora com você

O psicólogo Roberto Debski explica como diminuir os conflitos e criar um ambiente mais agradável em casa
IVANA GUIMARÃES 
Revista Máxima Digital
Como lidar com conflitos familiares na quarentena?
Como lidar com conflitos familiares na quarentena? - Getty Images
Como anda a sua relação com as pessoas que moram com você? Nos últimos meses, familiares, cônjuges e amigos que dividem o espaço doméstico, viram a convivência se intensificar, devido ao isolamento social.
E passar tanto tempo com pessoas que têm necessidades e visões de mundo, muitas vezes diferentes das nossas, não é tarefa fácil! Então, como saber a melhor hora de falar ou calar? É possível restaurar a harmonia familiar em tempos de pandemia?
O psicólogo e facilitador em constelações familiares sistêmicas Roberto Debski explica que as pressões emocionais do isolamento têm levado as pessoas a um aumento nos índices de estresse, resultando em desentendimentos variados: “Medo de adoecer, intolerância para aceitar a opinião do outro, questões triviais da casa, conflitos por relacionamentos familiares que já não estavam em harmonia anteriormente, finanças, interrupções no Home Office, desgaste gerado pelas aulas online. Diversos tipos de conflitos podem emergir e um cuidado contínuo é necessário para que possam ser contornados sem maiores consequências.”

Mas como fazer então para deixar a rotina mais leve? “Nesse momento, e também na vida em geral, é importante respeitar a opinião, o espaço e o direito dos outros, e entender o que todos nós temos enfrentado. Evitar discussões, principalmente por motivos banais, procurar um diálogo assertivo e empático, por vezes ceder para evitar conflitos, esperar o momento mais adequado para trazer certos assuntos à tona, e principalmente procurar ouvir, mais que ser ouvido”, afirma o especialista.
Quanto a comunicação, o profissional expõe: “Devemos todos aprender que o mundo está mudado a partir dessa pandemia. A comunicação, o trabalho, a relação com os valores, com o dinheiro e a economia, os hábitos de higiene, e os próprios relacionamentos interpessoais se transformarão. Haverá momentos em que poderemos expor nossas insatisfações, sempre de maneira tranquila, e procurando a conciliação. Em outros, deveremos nos recolher e esperar uma melhor oportunidade para um diálogo construtivo e que leve ao entendimento. É uma questão de percepção do outro e das possibilidades." 
Para manter a saúde mental, o médico recomenda: “Procure manter uma rotina agradável e útil, busque ocupar-se com atividades necessárias, e também com as prazerosas, mantenha-se em contato com as pessoas. Aproveite o tempo, agora talvez maior, para fazer o que não conseguia antes. Mantenha-se informado diariamente, mas não se sobrecarregue com informações negativas. É momento de nos mantermos focados na saúde, no bem-estar, na ajuda, na solução, porque tudo passa em algum momento, e isso também irá passar.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário