Páginas

Pesquisar este blog

domingo, 16 de agosto de 2020

De frente para a TV: Marco Pigossi não cuspiu no prato que comeu; ele só falou o que muita gente pensa

Marco Pigossi
Marco Pigossi Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Marco Pigossi foi um dos últimos atores “cancelados” na internet depois de criticar “Fina estampa”, novela que o alçou ao posto de protagonista da Globo logo depois. Numa live com João Vicente de Castro, o ator, que interpretou Rafael, disse que a trama deveria ser proibida de ser reprisada porque tem muitas barbaridades. Para o ator, a história de Aguinaldo Silva seria bastante problematizada nos dias de hoje. “Você passar uma novela dessas hoje é uma loucura. Eu tenho vergonha de algumas coisas que são faladas em cena, da forma como são tratadas. Tenho vergonha da minha atuação, das minhas mechas loiras”, falou Pigossi, sempre rindo muito durante o papo com João Vicente.
As falas do ator foram suficientes para ele logo ser tachado de ingrato no “tribunal das redes sociais” e, claro, ser cancelado por alguns. Mas, afinal, qual foi o pecado de Marco Pigossi? Ele falou o que muitos telespectadores e críticos não cansam de repetir: “Fina estampa”, realmente, envelheceu mal. É uma novela debochada, mostra a garra de uma mulher brasileira, propõe-se a ser divertida e é popular. Mas Pigossi tem total razão quando diz que dificilmente o folhetim, se produzido atualmente, estaria livre de problematizações. O jeito servil e estereotipado de Crô (Marcelo Serrado), por exemplo, seria alvo de muitas discussões. Hoje em dia, não há espaço para um personagem como ele: um gay caricato como o mordomo não teria a aceitação que teve em 2011. Crô era maltratado por Baltazar (Alexandre Nero), que também batia em Celeste (Dira Paes). Em determinado momento, o motorista migrou para o núcleo cômico, formando dupla com Crô, e nunca foi punido por suas atitudes homofóbicas ou pelas agressões a sua mulher. Atualmente, um tipo como Baltazar não teria um final feliz sem barulho nas redes sociais. Os discursos preconceituosos de Tereza Cristina (Christiane Torloni) também não seriam vistos com a graça de antigamente. Marco Pigossi não cuspiu no prato que comeu. Ele só falou o que muita gente pensa.
Estreia na Globo foi aos 15 anos como estudante
Marco Pigossi
Marco Pigossi Foto: Rede Globo/Reprodução
Dois anos antes de “Fina estampa”, Marco Pigossi chamou atenção em “Caras & bocas”. Ele deixou os telespectadores chocados com suas gírias para lá de divertidas na pele do hilário Cássio. Mas a primeira vez do ator na Globo foi aos 15 anos, na minissérie “Um só coração”, de 2004, em que ele viveu um estudante revolucionário. Antes de “Caras & bocas”, que o deixou nacionalmente conhecido, Pigossi ainda fez a novela “Eterna magia”, em 2007, e a minissérie “Queridos amigos”, no ano seguinte.
Ainda mais divertida e real na quarentena
É admirável que Ingrid Guimarães esteja estrelando a segunda temporada do “Além da conta” durante a quarentena! A atriz e apresentadora está cada vez mais à vontade no formato e, nessa nova leva de episódos, consegue ser ainda mais divertida e real. Golaço dela e do GNT.
Datena desiste de desistir da televisão
Já está ficando chato o papo de Datena dizer que vai deixar a TV para fazer política e voltar atrás logo em seguida, com uma entrevista explicando seus motivos. Já virou piada ele “desistir de desistir”, e a Band não cansa de dar palco e espaço para esse carnaval que acontece a cada dois anos.
Um novo papel para Manoela Aliperti
Manoela Aliperti é uma atriz maravilhosa. Nessa semana, em “Malhação”, mais uma vez, Lica se destacou na trama, e a atriz deu conta do recado. Tomara que a reprise da novela colabore para que ela não fique esquecida e que Manoela possa ser logo escalada para novos trabalhos.
Siga-me no Twitter @carla_bit e no Instagram @carlabittencourt

Nenhum comentário:

Postar um comentário