Páginas

Pesquisar este blog

domingo, 23 de agosto de 2020

Dia de decisão

PSG e Bayern fazem final em Lisboa que opõe time francês em busca da primeira conquista e alemão querendo voltar ao topo da Europa


PSG/Twitter
Decisivo no mata-mata, Neymar, busca consagração como referência do PSG
Paris-Saint Germain e Bayern de Munique decidem neste domingo (23), às 16h (de Brasília), o título da Liga dos Campeões. Os dois times ganharam as semifinais por 3 a 0. Os alemães bateram o Lyon, enquanto que o RB Leipzig foi a vítima do Paris Saint-Germain. O Bayern, que chega invicto à decisão do título, já ganhou o torneio em cinco ocasiões. Já os franceses nunca tinham sido finalistas.
Hansi Flick, treinador do Bayern, promete um time ofensivo na final. "O PSG não chegou até aqui por obra do acaso e tem o nosso respeito. Mas não vamos mudar o nosso estilo de jogo, que é o de colocar pressão no adversário e buscar o gol. Vamos seguir no ataque", disse ele.
Thomas Tuchel, comandante do PSG, não se intimida. "Muito bom chegar à final, mas estamos aqui para ganhar o título e é com este pensamento que vamos a campo. O Bayern de Munique é uma potência, mas nós também temos muita história", avisou o treinador.
Os dois times só terão suas escalações divulgadas minutos antes do confronto. O PSG tem uma dúvida no gol. Keylor Navas, com dores na perna, vai se submeter a um teste de vestiário. Se for vetado, o costarriquenho seguirá cedendo o posto a Sergio Rico.
No Bayern de Munique o zagueiro Boateng, substituído na semifinal por conta de desgaste muscular, é dúvida. Assim Süle está de sobreaviso. Mas por se tratar de uma final o titular deverá ir para o sacrifício.
TRUNFOS
O PSG aposta, principalmente, no bom entendimento e no talento da dupla Neymar/Mbappé. Juntos, eles anotaram 49 gols na temporada, oito na Champions League. O jovem atacante francês de 21 anos é goleador dos parienses na temporada e tem mostrado ser bastante efetivo na frente dos goleiros: foram 30 gols em 36 partidas até aqui, média de 0,83 gol por jogo, maior que a de Neymar, com 0,73.
O bom entendimento entre os dois astros do PSG, que ganharam o importante retorno de Di María na semifinal, parece ser o caminho para que o time, forte principalmente por suas individualidades, conquiste o sonhado título com boa representação brasileira. O elenco tem, além de Neymar, os zagueiro Thiago Silva e Marquinhos.
Já no rival, Robert Lewandowski é sinônimo de efetividade. O polonês de 32 anos faz a sua melhor temporada desde que chegou no Bayern de Munique, em 2014. Autor de 15 gols no torneio, está a apenas dois do recorde em uma única edição, que pertence a Cristiano Ronaldo.
Lewandowski conta com a companhia de Thomas Müller. O alemão, campeão europeu em 2013 e da Copa do Mundo de 2014, estava em baixa com o técnico anterior Niko Kovac. Recuperado por Hansi Flick, Müller terminou a Bundesliga com oito gols e foi o líder de assistências, com 21. No torneio europeu, marcou quatro vezes e deu três passes para gol.
Ao lado da dupla de ataque, quem também chega em alta para a decisão é Serge Gnabry. Autor de dois gols diante do Lyon, o alemão de 25 anos tem nove na competição e é o vice-goleador do time, com média de um gol por partida. 
Outra atração é o brasileiro Philippe Coutinho, que vai enfrentar o amigo Neymar na final. Coutinho não é titular do Bayern, mas tem sido utilizado por Hansi Flick no decorrer das partidas. Na goleada sobre o Barcelona, nas quarta de final, o meia entrou e anotou dois gols.

Nenhum comentário:

Postar um comentário