Páginas

Pesquisar este blog

sábado, 29 de agosto de 2020

JBS anuncia construção de nova fábrica em Presidente Epitácio com expectativa de gerar mais de 600 empregos
A imagem pode conter: céu, árvore e atividades ao ar livre
Foto: Reprodução/TV Fronteira
Companhia investirá R$ 280 milhões na cidade com o novo empreendimento. Inauguração está prevista para o final do ano de 2021.
Por G1 Presidente Prudente
A JBS anunciou na tarde desta sexta-feira (28) a construção de uma fábrica para a produção de gelatina e peptídeos de colágeno bioativos em Presidente Epitácio (SP).
Com a nova indústria, a companhia irá totalizar R$ 280 milhões em investimentos no município até o próximo ano.
Após a inauguração, prevista para o final de 2021, a unidade irá absorver mais de 600 empregos, entre 130 diretos e cerca de 500 indiretos. Durante a implantação da unidade, serão 400 novos postos de trabalho abertos na região.
Há três meses, a companhia já havia anunciado outros investimentos em Presidente Epitácio, incluindo a inauguração da JBS Transportadora e a Orygina, produtora de insumos para a indústria farmacêutica.
A nova unidade anunciada marca o início de um novo negócio para JBS: a produção de gelatina e de peptídeos de colágeno bioativos, ambos derivados da cadeia bovina. A tecnologia utilizada na produção dos peptídeos proporcionará um produto com capacidade de alta absorção pelo organismo promovendo benefícios de saúde para as articulações, ossos, pele e músculos, segundo a empresa.
“Essa será a primeira unidade da empresa focada em peptídeos de colágeno. Esse é um mercado que vem crescendo a cada ano impulsionado pela procura por melhor qualidade de vida e envelhecimento saudável”, informou Nelson Dalcanale, presidente da JBS Novos Negócios.
A nova empresa atuará focada no B2B, produzindo ingredientes para companhias do setor de saúde e bem-estar.
O novo negócio fará parte do grupo de empresas da JBS Novos Negócios, que reúne operações que transformam os coprodutos e materiais não aproveitados do processamento da carne bovina, suína e de aves em produtos de alto valor agregado, como biodiesel, colágeno, fertilizantes, envoltórios para embutidos, rações, insumos fármacos, materiais de higiene e limpeza, entre outros, comercializados no mercado brasileiro e exportados para mais de 20 países.
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário