Páginas

Pesquisar este blog

quarta-feira, 26 de agosto de 2020

“Meu pai adotivo abusou de mim e das minhas amigas”
© Palmiro Domingues/Getty Images
“Fui adotada por um casal ainda bebê. O homem, meu pai, me violentou a partir dos 3 anos e até a adolescência. Ele passava a mão no meu corpo, passava o pênis em mim. Hoje entendo que ele é pedófilo, pois fazia isso com as minhas amigas também.
Desde os 3 anos, sofro de insônia. Acho que as coisas estão ligadas. Meu pai sofreu um AVC há alguns alguns e me tornei cuidadora dele. Ele não fala, não anda. Tem 90 quilos e eu o carrego no colo. Nunca fiz nada de ruim para ele. Nunca me vinguei. Mais ninguém da família aparece para vê-lo. Meu ódio e nojo por ele acabaram, mas por muitos anos eram fortíssimos. Hoje, dou a ele o amor que nunca recebi. Cuido dele com a pureza do cuidado de uma mãe.
Fui mãe solo aos 18 anos. Hoje tenho 46. Depois de um tempo, o pai da minha filha voltou e formamos uma família. Estamos juntos há 30 anos. Minha filha é apaixonada pelo avô. Nunca contei para ela nada e acho que ele não fez nada para ela, senão ela não se dedicaria tanto a ele.
Continua após a publicidade
Vejo tudo isso como uma situação colocada por Deus. No olhar do meu pai, vejo ele pedindo perdão todos os dias. Isso não quer dizer que não sofro mais. Choro nas madrugadas.”
A partir de agora, CLAUDIA mantém esse canal aberto e oferece acolhimento para quem quiser libertar as palavras e as dores que elas carregam. Fale com CLAUDIA em falecomclaudia@abril.com.br.
*Nome trocado a pedido da personagem
Cláudia
fonte:msn

Nenhum comentário:

Postar um comentário