Páginas

Pesquisar este blog

terça-feira, 15 de setembro de 2020

É falso que uso de máscara eleva inalação de dióxido de carbono causando intoxicação
É falso que uso de máscara eleva inalação de dióxido de carbono causando intoxicação
Pixabay

Está circulando nas redes sociais um vídeo que diz que o uso da máscara de proteção contra o coronavírus aumenta a inalação do dióxido carbono a um nível superior ao que o ser humano suporta. No entanto, a informação é falsa.
No vídeo, uma criança usa uma máscara N95 – que não é recomendada para a população em geral, e sim para profissionais de saúde –, e um homem faz uma medição de partículas de gás carbônico inaladas, com um sensor. As imagens são narradas por um brasileiro, que afirma que a inspiração de dióxido de carbono chega, com a máscara, a 10 mil partículas por metro cúbico, caracterizando um quadro de intoxicação.
O homem diz que, ao usar a máscara, ele sente fadiga, dor de cabeça e dificuldade para dormir, e isso se dá pelo acúmulo do gás. “Acima de 10 mil, o ar que você respira passa a ser um veneno. Se a criança ficar respirando por muito tempo assim, vai ter dor de cabeça, fadiga e falta de oxigenação no cérebro. Você está inalando 20 vezes mais o que nosso corpo é preparado para aguentar”, narra.
Médicos entrevistados pela CBN desmentiram a informação e citaram uma pesquisa já feita, antes da pandemia do coronavírus, com enfermeiras que usaram a N95, a mais vedada do mercado. No estudo, foi demonstrado que elas não foram intoxicadas.
O médico José Rodrigues, pneumologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, explica que é, sim, possível que haja um desconforto quando se usa a N95, especialmente no caso de pessoas que já tenham quadros de dificuldade de respirar. Mas isso não significa que seja algo além do suportável por seres humanos, e que haja risco da pessoa se intoxicar.
“Esses vídeos trazem muita desinformação. Não são técnicos, e dá para ver perfeitamente a má intenção. Certas pessoas podem, sim, ter um pouco mais de sensibilidade. Por exemplo, pessoas obesas, ou quem tem alguma doença pulmonar crônica que prejudique a troca gasosa”, explicou o médico.
“Nesses casos, pode haver aumento na concentração de gás carbônico no sangue e isso causar dor de cabeça, sonolência, tontura. Mas não é algo perigoso, é perfeitamente reversível. Basta tirar a máscara um pouquinho, por alguns segundos. O organismo se reequilibra, e pronto, coloca-se de novo”, afirmou.
Conteúdo de fact-checking do Pipeify
Carolina Pinheiro
Pipeify
fonte:msn

Nenhum comentário:

Postar um comentário