Páginas

Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

INGRA LYBERATO CONTA QUE 'PANTANAL' MUDOU COMPLETAMENTE SUA VIDA : 'ME APAIXONEI ALI PELO JAYME'

Ingra Lyberato fala sobre sua experiência em 'Pantanal'
Ingra Lyberato fala sobre sua experiência em 'Pantanal' Foto: Thamy Kirsch/ reprodução/ instagranm
Foto: Thamy Kirsch/ reprodução/ instagranm
Ingra Lyberato lembra que precisou de uma certa dose de cara de pau para conseguir uma vaga no elenco de "Pantanal". Baiana, ela tinha vindo passar o réveillon no Rio e decidiu ficar o verão na cidade. Como era bailarina e o dinheiro estava acabando, ela começou a fazer figuração como dançarina em algumas novelas e pegou gosto pelo trabalho de atriz. A partir daí, fez todos os cursos que podia e começou a atuar no teatro. Foi quando surgiu a chance de entrar na TV.
"Eu namorava o Nuno Leal Maia na época e o Jayme Monjardim (diretor) estava atrás dele para um papel na novela 'Kananga do Japão'. Fui então procurar o Jayme dizendo que tinha um material do Nuno para entregar. Quando o encontrei, disse que na verdade só queria entregar meu currículo e buscava uma oportunidade. Ele me disse que esperava que eu fosse tão boa atriz quanto eu era cara de pau. Um ano depois, ele me chamou para o teste de 'Pantanal'", conta Ingra.
Ingra Liberato fez o teste com Paulo Gorgulho. A química foi tão grande que os dois ganharam os papéis. E Madeleine, sua personagem na primeira fase da novela, mudaria a vida da atriz em todos sentidos. Foi durante a gravação no meio de toda aquela natureza que ela se apaixonou por Jayme Monjardim, com quem ficaria casada durante seis anos.
"Me apaixonei pelo Jayme ali no Pantanal. Mas a gente só foi ficar junto quando os dois já estavam solteiros. Foi quando gravamos a minissérie 'O canto das sereias' em Fernando de Noronha", lembra Ingra.
Logo nos primeiros dias de gravação da novela, Ingra Lyberato precisou encarar as cenas de nudez (a sequência em que ela e Gorgulho rolam nus na areia, à beira do rio, ficou famosa): "Não foi tranquilo. Eu nunca tinha ficado nua em cena. Mas não fazia muito sentido tomar banho vestido com toda aquela natureza pulsando. Mas a coragem não era só para tirar a roupa. A gente nadava entre as piranhas e os jacarés".
A atriz participou dos primeiros 15 capítulos de "Pantanal", e já na novela seguinte foi alçada ao posto de protagonista em "Ana Raio e Zé Trovão". "Foi um pouco assustador o tamanho que tudo tomou. Não estava acostumada e nunca tinha sonhado ficar famosa. É difícil lidar com a exposição quando é muito grande. Depois desses trabalho, me afastei de tudo e fiquei quatro anos criando cavalos".
Hoje, aos 53 anos e vivendo com o filho, de 16, em Porto Alegre, Ingra segue num processo de autoconhecimento, mas sem abandonar a carreira de atriz. Ela acaba de lançar seu segundo livro, "A natureza oculta iluminada". "Guardo comigo até hoje a lembrança de quando pisei pela primeira vez no Pantanal. Entrei em êxtase. O impacto daquele lugar mudou minha vida para sempre".
fonte:https://extra.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário