Páginas

Pesquisar este blog

terça-feira, 15 de setembro de 2020



Máscara: ao se exercitar, respire mais pelo nariz
A imagem pode conter: 1 pessoa, sentando e área interna
O pneumologista, Guilherme Zimmerer Lorentz, esclarece algumas dúvidas sobre o uso deste item de proteção tão presente nestes meses de pandemia
Esportes - OSLAINE SILVA / O Imparcial Presidente Prudente
Por conta do prolongamento da pandemia do novo Coronavírus, algumas pessoas começaram a sair de casa para fazer caminhadas, corridas ao ar livre, andar de bicicleta, e a maioria tomando os devidos cuidados, como o uso de máscara de proteção facial, principalmente. Mas existem àqueles que ainda não se sentem seguros com tantas informações contrárias a este item de segurança. O pneumologista que também faz parte dos especialistas da Unimed Prudente, Guilherme Zimmerer Lorentz, mais uma vez contribui com O Imparcial para esclarecer algumas dúvidas.
A máscara pode causar danos fisiológicos para o praticante dessas atividades?
Não. Isso é boato, muitas fake news a respeito tem circulado recentemente, como alguns dizendo que o uso de máscara pode aumentar perigosamente a inalação de gás carbônico. Nenhum dano fisiológico significativo pode ser atribuído a tal questão, sendo esse aumento discreto e sem impacto. O recomendado é ao realizar atividades usando máscara tentar manter a respiração mais nasal, para evitar umidificação excessiva do produto. E realizar inspirações e expirações mais prolongadas e profundas. O aumento da frequência respiratória apenas pode tornar a respiração com máscara mais difícil e desconfortável.
Representa algum prejuízo para a respiração? Como a perda do fôlego mais rápido e chegar a passar mal por conta da barreira que a máscara cria no rosto?
Nenhum prejuízo severo, mas ocorre sim. No período de adaptação, na fase inicial dos exercícios existe uma sensação de desconforto, e a necessidade de maior esforço para inspiração e expiração. Porém com o desenrolar da atividade, e rotina, a pessoa tende a se adaptar. Por isso é prudente na fase inicial ter um ritmo mais cadenciado, e ir ganhando intensidade ao longo dos dias subsequentes.
De todo modo, é essencial que as pessoas não dispensem a máscara para a realização de atividades físicas? Por quê? Qual a eficácia dela de modo geral?
Sim, a máscara ainda é artigo essencial para as atividades físicas ao ar livre e em ambientes fechados como academias e clubes. Como já citado, existe sim certo desconforto, entretanto a proteção ainda é muito importante, frente aos altos índices de casos de Covid-19 em nossa região. E constitui um dos principais métodos de redução de contágio juntamente ao distanciamento social e hábitos de higiene básicos. Se todos estiverem usando a máscara o risco de contágio pode chegar a menos de 1%.
Qual a mais indicada para essas atividades?
Existem vários tipos de máscaras e sem dúvida as feitas com tecidos totalmente de algodão, as cirúrgicas, assim como as do tipo N95 devem ser evitadas, pois aumentam a restrição ventilatória e umidificam mais facilmente. O modelo de máscara mais indicado seriam as feitas de duas camadas de tecido hidrofóbico, que umidificam menos, e com um filtro no meio dessas, que pode ser retirado e lavado separadamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário