Páginas

Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Região vive maior onda de calor para setembro dos últimos anos



Foto: Weverson Nascimento

Temperatura dos próximos dias pode confirmar mais um (e importante) recorde: região pode viver o dia mais quente em 30 anos, de acordo com estação da Unoeste
REGIÃO - MARCO VINICIUS ROPELLI / O Imparcial de presidente Prudente
Está quente! Mais quente do que nunca? Isso é difícil dizer, mas em breve será possível saber se a onda de calor que chegou à região nesta semana é a mais quente dos últimos 30 anos. Isso porque, segundo o professor e responsável pela Estação Meteorológica “Professor Vagner Camarini Alves”, da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), Alexandrius de Moraes Barbosa, 33 anos, a estação meteorológica da universidade, em três décadas de existência, nunca registrou temperatura maior que 40°C, e isto pode acontecer nesta semana.
“Ondas de calor são comuns em setembro na nossa região, em que, o mês é caracterizado pela transição da estação seca para chuvosa, sendo que, normalmente, a partir de outubro, ocorre a regularização das chuvas em nossa região. No entanto, a onda de calor deste ano está com temperaturas mais elevadas, com previsão de temperaturas máximas superiores a 40°C”, ressalta o professor. Para fins comparativos, ele apresenta dados que mostram as temperaturas máximas registradas em setembro nos últimos três anos: 38,3°C (2019), 36,3°C (2018) e 39°C (2017).
Onda de calor
É certo, conforme ele, que até 5 de outubro a região registre dias muito quentes, entretanto, a depender das condições atmosféricas nos próximos dias, a onda de calor pode perdurar até 10 de outubro. “A nova onda de calor, deve-se ao fato de um forte bloqueio atmosférico que está ocorrendo na região centro-oeste e sudeste do Brasil, sendo que essa massa é quente e seca, o que tem causado a elevação das temperaturas e impedido o avanço das frentes frias”, explica Alexandrius.
“A partir do dia 10 de outubro, esse bloqueio atmosférico perderá força e há previsão de chuvas para a região entre os dias 10 e 15 de outubro, causando, desta maneira, a redução das temperaturas, principalmente das máximas diárias”, explica.
A ONDA DE CALOR DESTE ANO ESTÁ COM TEMPERATURAS MAIS ELEVADAS [QUE OS ANTERIORES], COM PREVISÃO DE TEMPERATURAS MÁXIMAS SUPERIORES A 40°C
Alexandrius de Moraes Barbosa
Atenção à saúde
A Proteção e Defesa Civil de Presidente Prudente, coordenada por Renato Gouvea, dá orientações quanto aos cuidados que a população deve tomar durante o forte calor que atinge a região, a maioria relacionados à saúde.
Renato frisa que a constante hidratação é imprescindível, portanto, as pessoas devem beber muita água e até pingar gotas de soro fisiológico nos olhos, para hidratar a retina, e nas narinas, de modo a evitar até sangramentos.
Outra orientação é evitar, nestes dias quentes, expor-se ao sol ou praticar atividades físicas ao ar livre das 10h às 16h, horário em que o risco de insolação e queimaduras na pele são maiores. Renato destaca, também, técnicas caseiras que ajudam a quem não possui um umidificador de ar, manter a umidade de casa em níveis seguros: a boa e velha bacia com água ou toalha molhada.
Por fim, a Defesa Civil faz um apelo à população: que não ateie fogo em lixo ou vegetação de terrenos. Além de ser crime, colabora para encobrir a cidade com uma nuvem de fumaça que causa, unida à baixa umidade, quadros de problemas respiratórios. Renato lembra da sobrecarga de serviços de saúde por conta da pandemia da Covid-19 e da importância de não os encher ainda mais por questões que são evitáveis. “Pessoas com problemas respiratórios causados pela fumaça vão para hospitais, se colocam em risco de contrair a Covid-19 e ainda sobrecarregam o sistema de saúde. Se a população notar atividades criminosas desse tipo, denuncie para o 190 e chame o 193”, enfatiza.
SAIBA MAIS
O 190 é o telefone para acionamento de emergência policial. Já o 193 é o telefone para acionar o Corpo de Bombeiros. Estes por sua vez trabalham em parceria com a Proteção e Defesa Civil, que também possui brigada de incêndio em vegetação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário