Páginas

Pesquisar este blog

domingo, 18 de outubro de 2020

 

'Amadurecimento é libertador'

Kelly Key
Kelly Key - 

l Há 20 anos no mercado, Kelly Key sempre dá um jeito de se manter atualizada. Ícone nas redes sociais, ela conversa com diferentes públicos e acumula mais de 1 milhão de inscritos no YouTube, 4 milhões de seguidores no TikTok e 8 milhões no Instagram. À coluna, a cantora fala sobre maturidade, música e planos futuros. Confira!

Você é bem ativa nas redes sociais. Como você faz para sempre se manter atualizada?

Quando tem um app na moda, fico sabendo pela minha filha ou pela minha equipe. Estou rodeada de pessoas que são bem ligadas nessas coisas e acabo tendo curiosidade. Quando me identifico, começo a usar esses apps.

Pra você, qual é a maior diferença da época que você começou sua carreira pra agora?

A grande diferença é que antigamente uma música tinha duração nas rádios e no mercado fonográfico de no mínimo um ano. Hoje, o consumo é muito rápido, as músicas ficam "velhas" em dois, três meses.

Por que você acha que suas músicas fazem tanto sucesso até hoje?

Eu acredito que seja pelo discurso mais feminino, do empoderamento, da força da mulher. 'Cachorrinho' fala muito sobre isso, 'Baba', e tantas outras.

'Do Jeito Delas' conta com a colaboração de várias mulheres importantes para a música atual, com releituras de hits seus, além de novas músicas. Como foi a produção desse álbum?

A ideia do novo álbum surgiu há cinco anos, quando fui convidada pela primeira vez para fazer pela gravadora. Naquela altura, eu não me sentia confortável para isso. Quando o Arthur fez 2 anos, voltaram a me chamar. Achei interessante sentar e conversar quais seriam as questões que eu queria trazer para o projeto, que veio sendo construído com muita calma, dedicação, porque traz o resgate da minha história. As meninas participam trazendo um pouco o clima, o estilo delas em músicas que têm 20 anos. Eu também trago coisas novas, porque fiquei um tempo sem lançar música, eu amadureci no meio do caminho.

Você lançou o vídeo clipe de 'Montanha Russa' bem no meio da quarentena. Qual foi o seu maior desafio nesse processo?

Fazer lançamento durante a quarentena exige um cuidado específico. O clipe estava previsto para o início da quarentena e tivemos que adiar. Resolvemos esperar a loucura passar e ela não passou. Depois, a gente conseguiu entender como trabalhar mantendo a segurança de todos. Produzimos um vídeo num esquema novo. Foi um desafio bacana de atravessar e continuar gerando entretenimento para as pessoas mesmo na pandemia.

Você também é uma grande influência fitness. Quando e por quê você decidiu seguir esse estilo de vida?

Eu não tinha uma boa relação com o meu corpo. O suposto corpo ideal sempre foi muito imposto e eu nunca tive a relação de harmonia, aceitação. Se hoje eu emagreço, ganho massa, isso tudo é reflexo de uma vida saudável, não de uma imposição. É uma consequência do meu esforço para ter mais saúde. Já fiz todas as dietas malucas que você possa imaginar. Tomava remédio maluco para emagrecer, porque eu não tinha paciência para parar de comer o que faz mal. Só a maturidade me trouxe ao estágio de hoje. Chegar aqui foi um processo. Achava um saco ter que fazer uma reeducação alimentar. Eu não tenho nenhum problema de envelhecer. Acho um processo natural, vem com um autoconhecimento. Amadurecimento é muito libertador. Posso chegar na maturidade muito bem fisicamente e é isso que pretendo: chegar com boa energia, vitalidade, para que eu possa construir coisas, ver meus filhos realizando sonhos, viajar, mas ter sempre muita vitalidade. É no que eu foco: amadurecer da melhor forma possível.

No final do ano passado você descobriu um câncer de pele e iniciou o tratamento. Como foi esse processo pra você?

Eu já tinha uma bolinha no rosto há um tempo, tenho bastante cuidado com a dermatologista, ela já se incomodava com a bolinha e eu nunca dei atenção. Quando a bolinha foi retirada, ela precisou ir à biópsia e a gente descobriu. Eu precisei ampliar a margem dessa bolinha e fazer uma varredura no corpo pra ver se tinha mais. Retiramos cinco e três eram pré-cancerígenas. Recebi o resultado da última biópsia e deu que não tem malignidade. Estou curada. Esse cuidado de manutenção é o pulo do gato em todos os sentidos. A gente acha que eu desenvolvi depois que fiz muitas sessões de bronzeamento artificial e isso pode ter acelerado o processo. Fica até o alerta às pessoas.

Por fim, quais são seus próximos passos na carreira?

Neste momento, continuo com a minhas redes, meu canal no YouTube e os projetos na música, mas acredito que para 2021 nosso foco maior seja no canal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário