Páginas

Pesquisar este blog

sábado, 17 de outubro de 2020

 

Daniel Alves pode voltar à lateral e 'atrapalhar' esquema de Diniz

Técnico pode ter que usá-lo na lateral-direita; isso pode "atrapalhar" seu esquema

Miguel Schincariol/saopaulofc.net

Diniz considera formação ideal do São Paulo com Daniel Alves atuando no meio-campo

Fernando Diniz não se cansa de elogiar o meia Daniel Alves. Para o treinador, o retorno do jogador, há cinco rodadas, ajustou o São Paulo, que se encontrou com um quarteto ofensivo. Mas, por causa das lesões de Juanfran e agora Igor Vinícius, o técnico pode ser obrigado a usá-lo na lateral-direita, o que vai "atrapalhar" seu esquema.

Igor Vinicius sentiu um desconforto na posterior da coxa esquerda durante o empate por 3 a 3 com o Fortaleza e passará por avaliação. Mas já está fora do jogo de sábado (17) diante do Grêmio, no Campeonato Brasileiro. Juanfran havia sofrido lesão no joelho esquerdo e ficará ao menos um mês fora.

Justo agora que Fernando Diniz "encontrou" a formação ofensiva considerada por ele como ideal, com Daniel Alves, Gabriel Sara, Luciano e Brenner. "O Daniel Alves tem a possibilidade de jogar, tem o Tchê Tchê também que sabe jogar por ali. A gente vai avaliar até o final de semana. Vamos pensar como ocupar o lado direito", afirmou o treinador, visivelmente chateado com a obrigação de mexer no esquema.

Daniel Alves virou a voz do treinador no campo. Ele orienta a equipe e acalma os meninos Brenner e Sara, que conseguem render mais com o experiente meia no auxílio. Apesar de falar em Tchê Tchê, Diniz não deve correr riscos diante do Grêmio, que tem Alisson e Pepê nas beiradas. O técnico promete trabalhar bastante para resolver o problema e, mais uma vez, acertar a defesa.

Levar três gols, dois em contragolpes, voltou a irritá-lo. "Nós treinamos muito, pois o esquema do Fortaleza era de contra-atacar. E levamos o primeiro e terceiro gols assim. Temos de ceder menos contra-ataque. E corrigir a defesa como fizemos diante do Palmeiras." Os gaúchos devem apostar no mesmo esquema dos cearenses.

COM MORAL

Além dos elogios a Daniel Alves, o trio Gabriel Sara, Brenner e Luciano está em alta com o comandante. "Eles estão muito bem. O Gabriel vem ganhando confiança, ajuda defensivamente e chega ao ataque para as assistências", avaliou. "E os dois atacantes têm muita intimidade com o gol, assim como o Pablo e o Trellez. Mas estão num momento especial."

Ao lado de Luciano, os jovens vêm sendo decisivos e Diniz teme que uma mudança de peça possa interferir na evolução ofensiva. Se optar mesmo por Daniel Alves na direita, será a contragosto.

 

Arbitragem polêmica

A arbitragem capitaneada por Rodolpho Toski Marques no duelo contra o Fortaleza, na quarta-feira (14), pela abertura das oitavas de final da Copa do Brasil, foi polêmica. Foram diversas as reclamações feitas por São Paulo e Fortaleza. Os são-paulinos ficaram incomodados com o tempo acrescido na segunda etapa e com a não marcação de um pênalti no último lance, onde há claramente um toque de mão de um defensor do Fortaleza. Sobre os acréscimos, a reclamação é que somente no lance de expulsão do goleiro Felipe Alves foram quase 11 minutos de paralisação, com análise do VAR. Além disso, ocorreram outras paralisações, além do tempo das substituições. O árbitro acresceu apenas nove minutos. "O acréscimo jamais poderia ser de nove minutos, só de VAR foram 11. À frente do placar, o Fortaleza também ficou retardando o jogo, mais as substituições, e aí ele dá nove. Tinha que ser no mínimo 11, coisa matemática, e mais dois, três ou quatro", analisou o técnico Fernando Diniz. Mas a confusa e lenta arbitragem descontentou ambas as equipes. O Fortaleza ficou na bronca pelas expulsões de Felipe Alves e Carlinhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário