Páginas

Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de novembro de 2020

 

Angélica fala da carreira e da adolescência de Joaquim

ANNA LUIZA SANTIAGO

 

Angélica (Foto: Reprodução/Instagram)Angélica (Foto: Reprodução/Instagram)

 

Angélica já tem data para terminar de gravar o "Simples assim". Os trabalhos do programa da Globo seguirão até meados de dezembro. Para o ano que vem, a apresentadora vislumbra um horizonte cheio de possibilidades.

- A gente deve dar uma pausa nos três primeiros meses de 2021. Aí tem outros projetos acontecendo que devem rolar, sim, logo no começo do ano. Mas coisas assim, projetos com começo, meio e fim. Para que a gente possa ter esse tempo de criar, de elaborar e de curtir cada trabalho. Porque, quando a gente entra nessa roda-viva, acaba não curtindo como deveria ser - explica ela, que ainda não pode revelar detalhes dos planos profissionais.

Angélica está de volta à TV depois de uma pausa de dois anos e meio, iniciada a partir do encerramento do "Estrelas". Acostumada desde cedo ao compasso acelerado do trabalho, ela diz que pretende se manter numa velocidade diferente agora:

- Eu acho que este ritmo é o ritmo que quero implantar para minha vida. Foi muito importante essa descoberta para mim. Um momento em que você cria um projeto, desenvolve, para novamente, cria outra coisa. Isso é saudável neste momento para mim. Eu precisava disso, não conhecia essa forma de viver ou de trabalhar. É do que preciso agora. Depois de tanto tempo trabalhando muito e de tanto tempo de carreira, poder estar junto da minha família e ter tempo para mim, criar alguma coisa que tenha a ver comigo e vir com isso, acho que fica verdadeiro, bom, gostoso. Dá aquele frio na barriga de novo quando a gente volta. Acho que fazer projetos assim é o caminho que eu quero trilhar.

Estar com a família, aliás, é algo que Angélica preza cada dia mais. Casada com o apresentador Luciano Huck e mãe de Joaquim, de 15 anos, Benício, de 13, e Eva, de 8, ela se considera "uma mãe atenta":

- Ser mãe de adolescente, no meu caso, está sendo tranquilo porque o Joaquim é muito tranquilo. Ele não dá trabalho, ouve muito. A gente conversa bastante com ele desde pequeno. A gente costuma dizer que, com 8 anos, ele já tinha 80. Sempre foi um cara de pensar, elaborar, conversar. É muito legal. É uma fase linda quando a gente tem essa coisa do diálogo. São descobertas que eles vão fazendo e a gente só vai guiando ali do lado. Você não pode entrar, a descoberta é deles, mas a gente está ali apoiando.

Angélica conta que se surpreendeu com sua postura como mãe ao longo dos anos, especialmente em relação a Joaquim:

- Achei que seria uma mãe superprotetora, ciumenta. Achei isso tudo. Quando me vi na situação, me vi uma mãe superparceira, que apoia as descobertas dele, que está do lado. Não tenho ciúme. Pelo contrário, gosto das namoradas, acho bacana. Me apego, ela acaba virando uma filha também. Me descobri essa mãe que eu nem imaginei que seria. Estou vivendo a adolescência dele e a do Benício de uma forma linda. A minha adolescência foi bem diferente. Eu já trabalhava, não lembro bem como era. Vivi de outra forma. Eu estou meio que curtindo a adolescência deles, vivendo com eles isso. No meu canto de mãe, mas apoiando e vibrando com as conquistas e descobertas.

 

SIGA A COLUNA NAS REDES

No Twitter: @PatriciaKogut

No Instagram: @colunapatriciakogut

No Facebook: PatriciaKogutOGlobo

 

À medida que as crianças vão descobrindo o mundo, Angélica, de 46 anos, também vai aprendendo com a maturidade. A apresentadora, que teve menopausa precoce, acredita que esse período da vida da mulher deveria ser melhor abordado:

- O que descobri vivendo este momento foi que as pessoas não falam muito desse período da mulher e, quando falam, acham que é o fim. E não é. Na verdade, o que descobri é que é normal e que você tem formas de viver muito bem. Porque existem formas de driblar os sintomas. Eu acho importante a mulher saber que a vida pode ser maravilhosa depois da menopausa. A gente não tem que sofrer com isso.

Para Angélica, é necessário exaltar a experiência das mulheres maduras:

- É um momento da vida em que você está no meio do caminho. Já teve filhos, os filhos estão maiores. No trabalho, já descobriu do que gosta e do que não gosta. "E aí, a partir de agora, o que eu faço?". São muitos questionamentos dos 40 aos 50 anos. É um período, não vou dizer difícil, mas muito cheio de nuances. E é maravilhoso ao mesmo tempo. Porque você já tem segurança para um monte de coisas, já sabe o que quer. Já tem força suficiente, história de vida para viver os próximos 50 muito melhores. Essa coisa da experiência, para mim, é mágica. Ter a experiência de uma mulher de 50 não tem para ninguém, não tem para nenhuma de 25. Então, a gente tem que usar isso a nosso favor. 

Angélica com o filho mais velho, Joaquim (Foto: Reprodução/Instagram)Angélica com o filho mais velho, Joaquim (Foto: Reprodução/Instagram)
Angélica com os filhos (Foto: Reprodução)Angélica com os filhos (Foto: Reprodução)

Nenhum comentário:

Postar um comentário