Páginas

Pesquisar este blog

quarta-feira, 11 de novembro de 2020

 

Medo de subir em árvore, mar gelado... Ellen Rocche gargalha com bastidores de 'Haja coração'

Na pele de Leonora, Ellen Rocche passou por diversar peripécias nas gravações Foto: Cesar Alves/rede globo/divulgação
Marcelle Carvalho
 Foto: Cesar Alves/rede globo/divulgação

Se rir é o melhor remédio, Ellen Rocche não teve problema de saúde em “Haja coração”. Ainda na leitura do texto de sua personagem, os risos provocados pelas maluquices de Leonora eram garantidos.

— O set era cheio de gargalhadas. A minha primeira gravação foi a cena do barraco na fila, feita na Globo São Paulo. E começou a juntar um monte de gente, que não estava entendendo nada. Até os próprios funcionários da emissora ficavam se perguntando quem era a doida que estava “causando” — relembra a atriz, hoje aos 41 anos.

Se essa foi a primeira, imagine a coleção de situações que ela angariou:

— Subir em árvore morrendo de medo de cair em uma gravação noturna, entrar em mar gelado... Numa outra ocasião, Leonora invadiu uma cena de “Êta mundo bom!”, fez comercial com Thiago Lacerda e Vanessa Lóes...

Vanessa Lóes, Leonora e Thiago Lacerda: confusão na gravação
Vanessa Lóes, Leonora e Thiago Lacerda: confusão na gravação Foto: Renato Rocha Miranda/rede globo/divulgação

Foto: Renato Rocha Miranda/rede globo/divulgação

Inclusive, na semana que vem, o comercial com o casal de atores vai para o espaço. Após passar por um procedimento estético numa clínica veterinária, Leonora começa a sentir os efeitos adversos bem na hora da gravação: tem um lado do rosto paralisado, a boca repuxada e um dos olhos fechado. E a aspirante a atriz é expulsa do set de gravação.

— Leonora é sem noção, impulsiva. Mete os pés pelas mãos — afirma Ellen, referindo-se ao fato de a personagem acabar numa clínica veterinária para cuidar da beleza, por não ter dinheiro.

Fato é que Leonora significou, na visão de sua intérprete, um novo patamar para sua trajetória artística.

— Foi um divisor de águas na minha carreira — afirma Ellen, que, curiosamente, pode ser vista flertando com a comédia também na “Escolinha do Professor Raimundo”: — O humor salva e, ainda mais nesta época, acho que é um respiro mesmo. Leonora e Capitu são um pouco estabanadas, têm sangue quente, mas são muito diferentes. Capitu é uma aluna muito malandra: tenta enganar o professor, joga um charme, e acaba acertando as perguntas.

Workaholic assumida, Ellen conta que a quarentena a fez dar uma desacelerada:

— Estava emendando um trabalho no outro. Então, foi um momento importante para ficar com o meu cachorro Chico, com o meu pai e os meus irmãos. Fiz feng shui na casa toda; aprendi a cozinhar, bordar e pintar; escrevi poesias... Vivi todas as fases da quarentena. Fiz até cursos de finanças online. E, claro, aproveitei para encontrar o meu equilíbrio interior.

fonte:https://extra.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário