Páginas

Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de novembro de 2020

 

PARTICIPANTE DO 'THE VOICE BRASIL', NAT É ATLETA E SE DIVIDE ENTRE AS PAIXÕES PELA MÚSICA E PELO VÔLEI: 'NÃO VIVO SEM'

Nat venceu a fase das batalhas do 'The voice Brasil' Foto: Reprodução - Instagram
Foto: Reprodução - Instagram

Ao rever sua participação na fase de batalhas do "The Voice Brasil", Nathália Santana, mais conhecida como Nat, se emocionou (de novo). Na ocasião, ela disputou uma vaga com a concorrente Yesica Sales - ambas cantaram a canção "Hurt", clássico de Christina Aguilera - e saiu vencedora. Nat se diz grata com a repercussão de sua apresentação. Acrescenta que o seu desejo era emocionar as pessoas através do seu trabalho.

"Está uma loucura. Não me recordava de como como tinha sido emocionante. (Quando assisti novamente), eu chorei. Tentei mostrar o peso da música, cantar não é só técnica. Repercutiu bem e eu estou muito feliz. Queria emocionar as pessoas, fazer com que elas se sentissem bem", diz a jovem de 19 anos, que já havia tentado participar da atração no ano passado e, atualmente, integra o time de Lulu Santos.

Um passo importante para a jovem que sonha em viver de música. Nat conta que gosta de cantar desde que "se entende por gente". Paixão que herdou do pai, motorista autônomo e DJ nas horas vagas. Ele sempre a levava para karaokês , onde ela, ainda pequena, soltava o gogó. Para a carreira que ela quer construir, Nat conta com o apoio da mãe também, que é funcionária pública.

"Meus pais sempre me apoiaram em tudo. Eles sempre viram talento em mim. Me ensinam também a manter o pé no chão. Se eu falar que quero ser piloto de avião, eles vão lá para me me ajudar a fazer de tudo por mim", afirma ela, que é filha única.

Nat nasceu e cresceu em Duque de Caxias, município da Baixada Fluminense que vive até hoje. Música é seu foco principal, mas não o único. Ela joga vôlei no Grajaú Tênis Clube, é atleta federada. Mais uma das paixões que veio de seu pai, que chegou a atuar no Fluminense, mas precisou interromper a carreira após ter sofrido um acidente.

"Sou muito envolvida com música, mas me divido com o o vôlei. Como sou alta, fui convidada a entrar no time, quando tinha uns 11 anos. E fui ficando (no esporte). Hoje não vivo sem o vôlei", diz ela.

Da Baixada, Nat chegou a representar sua cidade até num concurso de moda - ela também já se arriscou nas passarelas. "Gosto de aparecer", reconhece a cantora, que fez aulas de teatro quando era criança. Sobre ser modelo, começou a participar de concursos na escola e, posteriomente, acabou sendo convidada para disputas maiores.

"Se não der certo no 'The Voice' , me chama para 'Malhação', algum filme.. alguma coisa", faz piada, aos risos.

Falando sério, ela sonha em se realizar na música e, assim, dar ainda mais orgulho a seus pais: "Sonho em poder viver através da música, tocar a vida das pessoas. Acredito que Deus tem um propósito na minha vida", finaliza Nathália, que, entre os ídolos, tem artistas como Rihanna, Beyoncé, Ana Carolina e o duo Anavitória.

fonte:https://extra.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário