Páginas

Pesquisar este blog

13/12/20

 

De frente para a TV: No filme 'Tudo bem no Natal que vem', Leandro Hassum prova que,além de fazer rir, ele também sabe fazer chorar


Leandro Hassum é o protagonista do filme "Tudo bem no Natal que vem"
Leandro Hassum é o protagonista do filme "Tudo bem no Natal que vem" Foto: Divulgação
 Foto: Divulgação

No catálogo da Netflix desde o fim de semana passado, “Tudo bem no Natal que vem” foi o terceiro filme mais visto da plataforma em apenas dois dias, em todo o mundo. No Top 10 Brasil, o longa estrelado por Leandro Hassum aparece em primeira posição, mas não só aqui. Ele já ocupa o topo da lista da Netflix em Portugal, Alemanha, Áustria e Suíça. Fora isso, a produção natalina ainda aparece na lista de países como Polônia, México, França, Itália e Estados Unidos. Hassum é Jorge, que odeia o Natal, data do seu aniversário, desde criança e faz tudo para evitar as comemorações. No entanto, na véspera da festa, em 2011, ele se veste de Papai Noel forçadamente, cai do telhado e bate a cabeça. Quando acorda, percebe que está vivendo o Natal do ano seguinte, e segue revivendo diversos Natais sem lembrar o que aconteceu nos outros 364 dias do ano. Com o passar do tempo, Jorge percebe que está condenado a continuar acordando, ano após ano, na véspera de Natal — e, a partir daí, precisa lidar com as consequências do que o seu “outro eu” fez nos meses que passaram.

O roteiro é um prato cheio para o humor de Hassum, que aparece praticamente o filme inteiro. Ele usa e abusa das caras, bocas e improvisos, o que cabe bem no roteiro e arranca riso fácil do telespectador. O longa, aliás, investe no deboche de tradições natalinas e trocadilhos bem brasileiros, como a piada do pavê, da maçã na maionese e as discussões em família. Não é lá uma grande novidade, mas, além de bem-humorada, a trama gera uma identificação imediata com o público. Que Leandro Hassum sabe fazer rir, isso não é novidade. Mas a gente descobre que ele também provoca lágrimas de emoção. “Tudo bem no Natal que vem” vai muito além de um filme engraçadinho para ser visto nessa época do ano. Ele nos leva a refletir que as decisões que tomamos hoje serão refletidas no nosso futuro. O filme transita bem entre o humor e o drama de forma correta e coerente, mostrando ainda que Hassum é muito mais que comediante; ele é ator com A maiúsculo.

Estreia em novela depois de 14 anos

Leandro Hassum em
Leandro Hassum em "Geração Brasil" Foto: Rede Globo/Divulgação

Foram 14 anos trabalhando em várias atrações na Globo até surgir o primeiro papel fixo numa novela na emissora. Figura carimbada nos humorísticos do canal, Leandro Hassum foi o divertido Barata, em “Geração Brasil”, de 2014. O ator já havia feito pequenas participações em folhetins da casa, mas Barata foi seu primeiro — e único até agora — personagem fixo fora dos programas de comédia. Na história, o personagem era dono de uma rede de lojas de eletrodomésticos perdidamente apaixonado por Verônica (Taís Araujo).

Mudança de Samantha sete anos depois

Giovanna Grigio, que já havia chamado atenção em “Malhação”, está ainda melhor na série “As Five”. A personagem aparece mais madura no spin-off do Globoplay, e Giovanna, talentosa, mostra bem a mudança de comportamento de Samantha sete anos depois.

Conteúdo patrocinado

Não há problema algum em ter conteúdo patrocinado em programas de entretenimento como no caso do “Conversa com Bial”. Mas ficou esquisito saber apenas no meio da entrevista com Isabelle Drummond que o papo era patrocinado por uma marca de pastas de dente.

Aviso de publicidade deve ser mais claro

Sem a atriz estar no ar em algum programa ou comemorando uma data relevante, é difícil acreditar que Isabelle teria sido entrevistada por Bial se não fosse por conta do patrocínio. Claro que ela tem o seu valor, mas o dinheiro falou mais alto. E o aviso da publicidade deveria ter sido mais claro.


Siga-me no Twitter @carla_bit e no Instagram @carlabittencourt


fonte:extra.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário