Páginas

Pesquisar este blog

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Mortes por Covid-19 aumentam 34% em 4 semanas em SP; 'precisamos respeitar a quarentena', diz secretário

A imagem pode conter: árvore, planta, atividades ao ar livre e natureza

Foto: ANTONIO MOLINA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

No mesmo período, casos subiram 54% e internações, 13%. Comitê de saúde que assessora o governo estadual vai se reunir nesta terça para avaliar os indicadores de Covid-19 do estado que determinam endurecimento ou relaxamento da quarentena.
Por Beatriz Borges e Patrícia Figueiredo, G1 SP — São Paulo
O estado de São Paulo registrou aumento de 34% no número de mortes provocadas pelo coronavírus nas últimas quatro semanas, segundo dados do governo estadual divulgados nesta segunda-feira (21). No mesmo período, o número de casos cresceu 54% e as internações por Covid-19 subiram 13% em todo o estado.
"Precisamos respeitar a quarentena. Estamos esgotados, porém a pandemia continua com força total. Ainda continuamos elevando os índices da saúde", disse Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde do estado de São Paulo, em coletiva de imprensa nesta segunda.
Nesta terça-feira (22), integrantes do comitê de saúde, que assessora o governo estadual, vão se reunir no Instituto Butantan para avaliar os indicadores de Covid-19 do estado que determinam endurecimento ou relaxamento da quarentena. As reuniões para analisar os números do estado ocorrem semanalmente.
Atualmente, todas as regiões de São Paulo se encontram na fase amarela do chamado Plano São Paulo, que permite a abertura de bares, restaurantes e comércio, embora com restrições de horário. No entanto, dados mostram que duas regiões do estado (São José do Rio Preto e Presidente Prudente) já têm indicadores de Covid-19 compatíveis com a fase 2 (Laranja) da quarentena, que proíbe consumo local em bares e restaurantes, além de restringir o funcionamento do comércio a 4h diárias.
Oficialmente, até 4 de janeiro, todas as regiões do estado estão "congeladas" na fase 3 (Amarela), e só haverá reclassificação antes disso se uma delas precisar ir para a fase 1 (Vermelha), a mais restrita do Plano São Paulo.
Nas últimas semanas o estado vive uma nova piora da pandemia, com aumento de internações, novos casos e novas mortes por coronavírus. Até esta segunda, o estado de São Paulo contabilizou 45.136 mortes e 1,38 milhão de casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia.
A média móvel diária de mortes, que leva em consideração os registros dos últimos 7 dias, é de 155 mortes diárias no estado. O valor é 9% maior do que o registrado há 14 dias, o que para especialistas indica tendência de estabilidade. A média móvel de mortes voltou a ficar acima de 150 na sexta-feira (18), o que não acontecia desde outubro.
Já a média móvel diária de casos está em 7.290 novos casos por dia nesta segunda. O valor é 10% maior do que o registrado há 14 dias, o que também indica tendência de estabilidade.
A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no estado está aumentando progressivamente e voltou a ficar acima de 60% na última terça-feira (15), o que não acontecia desde 5 de agosto. Na última semana, algumas cidades da Grande São Paulo chegaram a registrar taxas acima de 80%.
No dia 11 de dezembro, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que vai garantir a abertura de 2 mil novos leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) destinados para pacientes da Covid-19. O governo também anunciou a redução do horário de funcionamento de bares e ampliação do funcionamento do comércio para evitar aglomerações nas compras de fim de ano. No entanto, pessoas lotaram as ruas de comércio popular da cidade de São Paulo neste sábado (19), o último antes do Natal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário