Páginas

Pesquisar este blog

28/12/20

Por não aceitar namoro, homem dá marretadas em ex-enteada

 

/iStock


Na tarde do último sábado, 26, um homem de 49 anos foi preso por atacar a ex-enteada, de 19 anos, com uma marreta. A agressão aconteceu no dia 23 por causa de um namoro que não era aceito pelo ex-padrasto. À polícia, ele afirmou que queria aconselhar a jovem, mas “perdeu a cabeça”.

“Ele tirou a marreta e começou a bater na minha cabeça”, disse a vítima ao portal “Mais Goiás”. “Quando ele começou a bater, abri a porta do carro e tentei sair correndo. Mas não consegui, pois estava tonta.”

A moça recebeu alta no dia 24.

O ex-padrasto se apresentou após o período de flagrante, imaginando que não seria preso. O agressor, no entanto, foi detido, pois a polícia havia expedido um mandado de prisão preventiva.

Saiba como denunciar a violência contra a mulher:

  • Disque 180

O Disque-Denúncia foi criado pela Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM). A denúncia é anônima e gratuita, disponível 24 horas, em todo o país. Os casos recebidos pela central são encaminhados ao Ministério Público.

  • Disque 100

O serviço pode ser considerado como “pronto socorro” dos direitos humanos pois atende também graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão em curso, acionando os órgãos competentes, possibilitando o flagrante. O Disque 100 funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel (celular), bastando discar 100.

  • Polícia Militar (190)

A vítima ou a testemunha pode procurar uma delegacia comum, onde deve ter prioridade no atendimento ou mesmo pedir ajuda por meio do telefone 190. Nesse caso, vai uma viatura da Polícia Militar até o local. Havendo flagrante da ameaça ou agressão, o homem é levado à delegacia, registra-se a ocorrência, ouve-se a vítima e as testemunhas. Na audiência de custódia, o juiz decide se ele ficará preso ou será posto em liberdade.

Campanha #ElaNãoPediu

Nenhuma mulher “pede” para apanhar. A culpa nunca é da vítima. A campanha #ElaNãoPediu, da Catraca Livre, tem como objetivo fortalecer o enfrentamento da violência doméstica no Brasil, por meio de conteúdos e também ao facilitar o acesso à rede de apoio existente, potencializando iniciativas reconhecidas. Conheça a nossa plataforma exclusiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário