Páginas

Pesquisar este blog

quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Programa desenvolvido em assentamentos rurais no Pontal do Paranapanema apresenta índice de prenhez superior à média mundial

Foto: Fundação Itesp

Trabalho de biotecnologias de reprodução com transferência de embriões teve taxa de 36,58%, porcentagem superior à média mundial que é de 33%.
Por G1 Presidente Prudente
Um trabalho de biotecnologias de reprodução com transferência de embriões em assentamentos rurais do Pontal do Paranapanema apresentou um índice de prenhez de 36,58%, taxa superior à média mundial que é de 33%.
O índice é referente a terceira etapa do trabalho, que integra o Programa Cultivando Negócios, desenvolvido por meio da Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo e a Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), e o Condomínio Rural Canto Porto. O programa busca o melhoramento genético dos animais e alavancar a produção leiteira nos assentamentos.
No total, foram 15 prenhezes confirmadas de 41 embriões transferidos. O trabalho foi realizado com animais de nove produtores rurais em assentamentos nos municípios de Rosana, Euclides da Cunha Paulista, Sandovalina, Mirante do Paranapanema, Presidente Epitácio e Caiuá.
Segundo o veterinário da Fundação Itesp, Maurício Roberto de Souza, são três etapas até chegar a confirmação da prenhez. Primeiro as receptoras são preparadas com protocolo hormonal, depois recebem os embriões fertilizados em laboratório e após 60 dias é realizada a confirmação ou não da prenhez.
“É um trabalho de aproximadamente 80 dias e que exige comprometimento de todos para chegarmos no resultado esperado”, afirmou Souza.
De acordo com o diretor executivo em exercício da Fundação Itesp, Marco Silva, o objetivo é melhorar a genética e a produção leiteira, garantindo ao produtor um animal de procedência, alta produtividade e sanidade adequada.
“É um projeto que começou no início do ano e até o final desse mês deve nascer a primeira bezerra fruto desse trabalho. Estamos felizes que os produtores estão aderindo a essa ação, melhorando a genética e a produção do gado leiteiro”, concluiu.
O trabalho de transferência é realizado com embriões de doadoras da raça Gir e Girolando, fruto de uma seleção cuidadosa que gerou um exclusivo grupo de doadoras, com sêmen sexado dos melhores touros Holandeses.
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário