Páginas

Pesquisar este blog

terça-feira, 8 de dezembro de 2020

Suspeito de assassinar a ex-mulher é preso uma semana após feminicídio em Presidente Prudente

Foto: Paulo Taroco/G1

Homem de 38 anos foi encontrado em uma residência no Jardim Everest e não quis comunicar nenhum parente sobre a sua prisão na tarde desta terça-feira (8).
Por G1 Presidente Prudente
O homem de 38 anos que é apontado como suspeito de assassinar a ex-esposa na última quarta-feira (2), no Residencial Cremonezi, em Presidente Prudente, foi preso na tarde desta terça-feira (8) em uma residência no Jardim Everest.
A Polícia Militar compareceu ao local e cumpriu o mandado de prisão temporária por 30 dias que havia sido expedido na quinta-feira (3) pela Justiça, através da Vara do Júri da Comarca de Presidente Prudente, contra o suspeito.
Depois de capturado, o homem foi levado à Delegacia Participativa da Polícia Civil.
Segundo o Boletim de Ocorrência, ele não desejou informar sua prisão a nenhum familiar.
O crime
Uma mulher de 37 anos morreu vítima de feminicídio, na última quarta-feira (2), em Presidente Prudente. De acordo com a Polícia Civil, o crime foi no Residencial Cremonezi, na zona norte do município. Um homem de 38 anos, ex-marido da vítima, é investigado como suspeito de autoria do crime.
Conforme o Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia Participativa, a Polícia Militar foi acionada por volta das 11h50 para atender a uma ocorrência de feminicídio, em que um homem, colocado também como testemunha, havia informado que sua nora estava morta.
No local, este homem informou à PM que havia conversado com a vítima por volta das 6h. Contudo, após a conversa, ela não mais atendeu às ligações. O homem resolveu, então, ir até o serviço da nora para ver se ela estava no local, mas foi informado de que a mulher não tinha comparecido ao trabalho e que não costumava se atrasar.
Ainda segundo o BO, o homem foi, então, até a casa da vítima e, na residência, deparou-se com o portão fechado. Ele pulou o muro, arrombou a porta e encontrou a vítima deitada na cama e já, "aparentemente, sem vida".
O homem relatou também que, juntamente com vizinhos, arrombou o portão do imóvel para facilitar a entrada do socorro.
O Corpo de Bombeiros foi chamado e levou a vítima até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Guanabara, também na zona norte. Na unidade de saúde, a médica de plantão constatou o óbito.
Ainda no local do crime, os policiais conversaram com outra testemunha, que disse que por volta das 6h30 viu o ex-marido da vítima passando a pé pela rua, em frente à casa da mulher.
Já outra testemunha informou que por volta das 7h30 o suspeito passou em frente a uma obra em que ela trabalha, pediu um cigarro, e seguiu no sentido de uma mata que fica na mesma rua. Essa via onde esta testemunha trabalha é paralela à rua da residência da vítima.
A Polícia Científica também compareceu ao local, juntamente com a Polícia Civil. Foi colhido sangue de pequenas manchas encontradas na sala e o celular da vítima, que estava em cima da cômoda do quarto, foi apreendido para eventual perícia.
O Boletim de Ocorrência informa que foi requisitado exame necroscópico ao Instituto Médico Legal (IML), "sendo certo que pelas primeiras informações colhidas informalmente a vítima teria sido estrangulada".
A Polícia Civil informou que no sistema de Registro Digital de Ocorrência (RDO) foram encontradas "diversas ocorrências envolvendo as partes, sendo o que o investigado já teria sido preso duas vezes por violência doméstica em desfavor da vítima e existiria ordem judicial de afastamento (medida protetiva)".
O caso foi registrado na Delegacia Participativa como feminicídio consumado.
A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) tomou ciência do caso e solicitou que todas as pessoas relacionadas no Boletim de Ocorrência fossem encaminhadas para a oitiva formal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário