Páginas

Pesquisar este blog

03/01/21

 

Datafolha: 3 em cada 4 brasileiros apoiam a adoção das urnas eletrônicas

Preparação das urnas eletrônicas para a eleição de 2020
Preparação das urnas eletrônicas para a eleição de 2020 Foto: Fotoarena / Agência O Globo
Foto: Fotoarena / Agência O Globo

Pesquisa Datafolha divulgada neste domingo mostra que, para 73% dos brasileiros, o sistema de voto em urna eletrônica deve ser mantido no país. Ou seja, três em cada quatro brasileiros apoiam o sistema.Os entrevistados que acham que o voto em papel deve voltar a ser usado somam 23%, e 4% não souberam responder.

O levantamento ouviu 2.016 pessoas em todas as regiões e estados do país, por telefone, entre os dias 8 a 10 de dezembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Ainda segundo a pesquisa, 69% dos brasileiros confiam muito ou um pouco no sistema eletrônico de votação adotado no país, e 29% disseram não confiar. A falta de confiança é maior entre moradores da região Norte e Centro-Oeste e entre pessoas de 25 a 34 anos. Nessa faixa etária, 26% dos entrevistados disseram acreditar muito nas urnas (ante 33% na média geral), e 34% declararam não confiar nelas (ante 29% na média).

Essa fatia da população (entre 25 e 34 anos) também é a que mais concorda com o retorno ao voto em papel (26%), bandeira do presidente Jair Bolsonaro, que frequentemente diz, sem apresentar provas, que as urnas eletrônica são sujeitas à fraude.

Em relação à renda, os entrevistados que declararam ganhos de mais de dez salários mínimos tendem a acreditar mais na eleição informatizada. Já os grupos com salários menores têm uma desconfiança maior.

A pesquisa mostra ainda que a descrença no sistema é maior entre aqueles que avaliam positivamente o governo federal e confiam mais no presidente. E a defesa do voto em céduma de papel sobe de 23% (em média) para 32% entre os entrevistados que consideram a gestão de Bolsonaro ótima ou boa. Já no grupo que avalia o governo como ruim ou péssimo, apenas 13% defendem a volta do voto em papel.

A aprovação das urnas eletrônicas, que soma 73% do total de entrevistados, cai para 62% entre as pessoas que declaram sempre confiar no que Bolsonaro fala e chega a 81% entre quem diz nunca confiar nele.

Em dezembro, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, voltou a defender a segurança das urnas eletrônicas. Para ele, se fosse instituído o voto impresso, como pleiteiam críticos do sistema atual de votação, as eleições acabariam judicializadas - o que, para o ministro, não é bom para o país.

— As urnas eletrônicas estão aí desde 1996 e nunca de confirmou fraude. A introdução do voto impresso significa mexer em time que está ganhando. Se metade dia candidatos contestarem o resultado e pedirem recontagem, já se tem imensa confusão. Isso vai judicializar as eleições. Eu gostaria que o resultado fosse decidido nas urnas, e não nos tribunais. Difícil entender por qual razão mudaria (o sistema eleitoral). A Organização dos Estados Americanos (OEA) atestou ser o melhor das Américas — disse o ministro, em entrevista um dia antes das eleições em Macapá.

fonte:extra.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário