Páginas

Pesquisar este blog

10/01/21

Penitenciária Feminina de Tupi Paulista é contemplada com projeto sobre tuberculose

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre, texto que diz "8 PENITENCIÁRIA FEMININA TUPI PAULISTA"

Foto: Arquivo

Com exposição de materiais e vídeos informativos, servidores e reeducandas foram conscientizados

REGIÃO - DA REDAÇÃO de O Imparcial de Presidente Prudente

Depois de passar pela Penitenciária “Luis Aparecido Fernandes” de Lavínia II, o Projeto “Prisões Livres de Tuberculose” chegou na Penitenciária Feminina de Tupi Paulista. Esta é a segunda unidade prisional pertencente à Croeste (Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste) a realizar exposição de materiais de divulgação sobre a doença para a equipe de servidores e reeducandas que exercem atividades laborterápicas no setor administrativo, bem como transmitir vídeos informativos à população carcerária por meio de circuito fechado de televisão da penitenciária.
Segundo o Ministério da Saúde, a tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível, causada pela bactéria Bacilo de Koch (BK), cuja transmissão ocorre por vias aéreas pela tosse, fala ou espirro do doente (na fase ativa) e afeta principalmente os pulmões, porém, pode ainda afetar outros órgãos do corpo.
Informações que foram levadas aos participantes com entrega de canecas, canetas, cadernos de saúde, caderneta informativa, folders, entre outros.
O projeto visa difundir conhecimentos sobre a doença entre os privados de liberdade e seus familiares, além de abranger profissionais da saúde e da segurança e, dessa forma, conseguir detectar e tratar precocemente a doença no sistema prisional, potencializando o enfrentamento à tuberculose.
Sua realização conta com o apoio do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), Ministério da Justiça e da Segurança Pública, e Fundação Oswaldo Cruz, com a colaboração técnica da Coordenação Geral do Programa Nacional de Controle da Tuberculose e Ministério da Saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário