Páginas

Pesquisar este blog

12/01/21

Perdoar é dizer sim para a vida

 

© Fornecido por Estadão

Em algum momento da nossa vida aprendemos que devemos nutrir a raiva e a mágoa, é como se desta forma maltratássemos o outro, nos vingássemos, mas na verdade ao ficarmos reeditando as dores do passado nos machucando novamente.

A crença de que não devemos perdoar quem nos magoou é muito difundida em nossa sociedade e chegamos a ser cobrados quando praticamos o perdão. Muitas pessoas não compreendem que perdoar é um ato que promove alívio, pois nos livramos da carga dolorosa de sustentar diariamente a raiva por alguém. Parece que não, mas sustentar esses sentimentos nos faz dispender muita energia, comprometendo inclusive a nossa saúde física e emocional.

Ao invés de prosseguir a vida e aceitar o que ela nos traz de bom, ficamos emperrados e obstinados em manter o cerco ativo, sempre prontos para nos defender de algo ou de alguém. Ficamos presos no que aconteceu como se isso fosse impedir de nos machucarmos novamente, mas a verdade é que nos fragiliza cada vez mais.

Muitas das situações que nos trouxeram dor deixaram marcas profundas que impactam diariamente a nossa vida, outras são mais leves e esquecemos com o tempo. Em qualquer uma das formas sabemos que o diferencial é a nossa forma de reagir, podemos sim aprender com a experiência por pior que tenha sido, ou podemos permanecer no papel da criança que se debate, como se essa postura tivesse o poder de nos curar.

E quando conseguimos compreender que se debater não irá ajudar a resolver as dores que carregamos em nosso sistema, é que começamos a entender que o processo do perdão é o melhor caminho. Você não precisa necessariamente olhar para o rosto daquele que te magoou para perdoá-lo, basta que consiga fazer isso dentro de você. Se a pessoa que lhe causou dor não estiver mais nesse plano terreno, não há problema, você pode perdoar em seu coração.

Mas também existe a situação oposta, aquela pessoa que magoou, que promoveu dor, esta também pode buscar o perdão, e o melhor caminho é aprendendo a se perdoar por seus erros. Todos nós erramos em algum momento da nossa vida e magoamos alguém, às vezes o erro é leve, e outras vezes é gravíssimo, porém todos nós temos o direito do perdão.

A grande questão como disse acima é aprender com os erros, e acima de tudo entender qual a nossa participação em muitos deles. Nem sempre paramos para avaliar essa questão, muitas vezes ignoramos o que está óbvio e insistimos em permanecer em um determinado lugar ou com uma pessoa, e quando somos feridos excluímos a nossa responsabilidade em tudo o que aconteceu.

Talvez eu possa te levar a refletir te dando um exemplo comum de uma situação que muitos de nós já vivenciamos. Vamos em uma loja e compramos um sapato de um número menor mesmo que esteja incomodando pois o queremos muito, mesmo sabendo que podemos levar em uma outra cor do número que calçamos. O que irá acontecer é que o sapato irá nos machucar e não poderemos acusar o mesmo, afinal nós escolhemos o sapato menor.

Sei que o exemplo parece simplista, mas é uma forma de mostrar que muitas vezes percebemos o que está errado, fingimos não ver alguns sinais, ignoramos muitas coisas porque queremos muito estar ao lado de uma pessoa, ou em um determinado emprego, mas depois de um tempo iremos acusar alguém por tudo aquilo que vimos e fingimos não ver.

Desta forma acredito que precisamos estar atentos, algumas situações que nos causa dor vem da infância, outras da adolescência ou da vida adulta, o é importante é que estejamos atentos ao nosso comportamento para entendermos o porquê  repetimos as mesmas escolhas. De qualquer forma, o caminho é liberação do que nos provoca dor e consequentemente, o perdão.

Infelizmente vivemos em um mundo no qual estamos sujeitos a nos machucar de uma forma ou de outra, e se conseguirmos nos liberar dessas mágoas poderemos seguir a vida mais livres e mais conscientes, o que de alguma forma já nos proporcionará mais leveza e paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário