Páginas

Pesquisar este blog

17/02/21

 

Americano cujo pai doou sêmen 500 vezes teme risco de fazer sexo com meia-irmã via site de paquera

Por: Fernando Moreira

Zave (em destaque) conversa com meios-irmãos
Zave (em destaque) conversa com meios-irmãos Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Um jovem cujo pai doou sêmen cerca de 500 vezes tem um pesadelo: fazer sexo, sem saber, com alguma meia-irmã que possa conhecer em um site de paquera.

Morador de Portland (Oregon, EUA), Zave Fors, de 24 anos, nascido de inseminação artificial via doador, decidiu pesquisar sobre o seu passado em um site e descobriu que o material genético do seu pai havia se disseminado. Estima-se que, em dez anos de doações, o pai de Zave tenha gerado ao menos 50 crianças.

Incrivelmente, um dos seus meio-irmãos estudava na mesma escola que Zave. Ele foi descoberto após o site apontar grande compatibilidade genética e a realização de exame de DNA. Daron McClennan-Colon só descobriu que era uma criança concebida com ajuda dem doador, juntamente com uma irmã, quando Zave o abordou nas redes sociais. Eles moravam bem próximos, em um bairro de São Francisco (Califórnia, EUA).

Até agora, Zave já conseguiu rastrear oito meios-irmãos.

Zave (em destaque) conversa com meios-irmãos Foto: Reprodução

"Não saber quantos irmãos eu tenho prejudicado minha vida amorosa", disse Zave ao "Mirror". "Quando estou navegando no Tinder não sei quem é meu parente ou não. Sempre haverá um espectro do desconhecido pairando sobre mim em relacionamentos íntimos. A não ser que teste geneticamente todos as minhas parceiras, nunca terei 100% de certeza de que não somos parentes", acrescentou.

O americano contou que outros meios-irmãos vivem o mesmo dilema em relacionamentos.

"Dois deles vivem a duas quadras de distância", comentou.

Zave, que foi criado por mãe solo, chegou a entrar em contato com o pai. O homem confirmou que era doador de sêmen na região onde o jovem morava, mas, por questão ética, não pôde confirmar que era o pai de Zave. Ele havia recebido dinheiro pelas doações.

O homem enviou uma foto, que batia com a descrição que a mãe tinha feito dele. Para fechar a questão, Zave achou uma foto do pai no próprio site onde pesquisava as suas origem e os seus meios-irmãos. Não tinha mais dúvida: era quem procurava.

Atualmente, Zave cortou qualquer contato com o pai biológico.

fonte:extra.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário