Páginas

Pesquisar este blog

02/02/21

 

Baixa libido? Sexóloga dá 5 dicas para contornar situação e melhorar o relacionamento

Pesquisa revela que 36% dos brasileiros tiveram o desejo sexual afetado diante da pandemia do novo coronavírus 

Pesquisa revela que 36% dos brasileiros tiveram o desejo sexual afetado diante da pandemia do novo coronavírus 
A pandemia realmente diminuiu o desejo sexual de muitos brasileiros - Pixabay

Um casamento saudável depende de muitos fatores, entre eles está a prática sexual ativa. Com tantas incertezas em meio a pandemia da covid-19, porém, é difícil manter a chama acesa e o relacionamento animado neste aspecto. O que, com o passar do tempo, pode virar um ponto de atrito entre o casal, afastando-o e, por fim, levando a uma separação. 

De acordo com uma pesquisa realizada pela Perception, Engaje! Comunicação e Brazil Panels, a pandemia realmente diminuiu o desejo sexual de muitos brasileiros. Ao todo, 36% dos entrevistados, sendo homens e mulheres acima de 18 anos, responderam que o isolamento social afetou significativamente a libido. Outro dado importante é do Colégio Notarial do Brasil, que afirma que os pedidos de divórcios extrajudiciais registrados nos cartórios de todo o país cresceram 16% em uma comparação entre julho de 2019 e julho de 2020. 

A BAIXA LIBIDO
O medo de perder o emprego em virtude da crise econômica, a preocupação com a própria saúde e dos familiares, além da dificuldade de se adaptar à nova rotina, são apenas alguns dos motivos para a queda das relações sexuais. 

Para AnaMaria Digital, a sexóloga e palestrante Gabriela Dias afirma que é natural não sentir desejo frente às atuais condições. “A questão da hiper convivência, do medo e da insegurança por não saber como irá ficar o futuro prejudica muito os relacionamentos e, consequentemente, a vida sexual dos casais. Afinal, para haver um sexo prazeroso, é necessário que ambos esqueçam por um momento as suas preocupações e se entreguem completamente um ao outro”, explica.

DIÁLOGO
Ainda que a baixa libido seja uma realidade nos últimos tempos, principalmente para as mulheres, Gabriela destaca que o sexo não deve ser evitado. “Muitos detestam o fato de terem que discutir a relação, mas quando há dificuldade, o diálogo é sempre a melhor solução. O casal precisa identificar os motivos da falta de desejo para que possam solucionar seus problemas, seja traçando metas para outras áreas da vida que estão afetando o relacionamento, como a parte profissional e financeira, ou inovando no repertório sexual”, afirma. 

Outro ponto destacado por Gabriela é que os casais precisam conhecer os benefícios do sexo para a saúde e colocá-lo como uma prioridade. “Além de toda liberação de hormônios do prazer, do amor e da felicidade, o sexo aproxima o casal, alivia crises de enxaqueca, fortalece os ossos, combate a incontinência urinária, melhora o aspecto da pele, alivia o estresse e a ansiedade, emagrece e aumenta a imunidade”, ressalta.

CONSELHOS PRECIOSOS
Está com dificuldades em ficar animado? Separamos cinco dicas da sexóloga para melhorar a libido:

1. Identifique os motivos pelos quais você acha que estão atrapalhando a sua entrega durante o sexo e converse com seu parceiro;

2. Invista no repertório sexual. Sem essa de começar a relação já sabendo como começa e como termina. Experimente novas posições, invista em uma lingerie nova, explore outros ambientes da casa. Use a criatividade!

3. Qualidade é melhor que quantidade. Não faça se não estiver com vontade e exponha seus sentimentos com seu parceiro para que haja compreensão. Mais vale fazer sexo uma vez na semana, mas que seja bem feito, com toda a liberação hormonal e quando ambos chegam ao orgasmo, do que todos os dias.

4. Pratique atividade física. Isso contribui para uma melhora na circulação sanguínea e liberação de neurotransmissores que interferem na libido, além de melhorar a autoestima. 

5. Aposte em alguns alimentos afrodisíacos, como chocolate, amendoim, banana, ostra, pimenta, morango, beterraba, e gengibre. Acredita-se que a baixa libido esteja ligada à falta de vitaminas e alguns minerais, como vitamina E, zinco e selênio. Por isso, vale buscar por esses alimentos ditos especiais e sensuais para apimentar a relação e despertar o desejo sexual.

Conteúdo: Revista Ana Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário