Páginas

Pesquisar este blog

21/02/21

 COMPORTAMENTO » TORTURA PSICOLÓGICA

Tortura Psicológica: É possível voltar a ter uma vida saudável depois dos abusos? Saiba o que é e como identificar

Psicóloga Alessandra Augusto explicou o que é tortura psicológica, violência que causa danos à saúde mental

BRUNA GOULARTE COM SUPERVISÃO DE MARINA PASTORELLI Máxima Digital


Tortura Psicológica: É possível voltar a ter uma vida saudável depois dos abusos? Saiba o que é e como identificar
Tortura Psicológica: É possível voltar a ter uma vida saudável depois dos abusos? Saiba o que é e como identificar - Freepik

Quando pensamos em tortura, muito provavelmente, você pensa em situações de tortura física. São aquelas que algum é empregado de sofrimento físico, como choques elétricos, espancamento, privação do sono.

Já a tortura psicológica, é também conhecida como, abuso psicológico, porque não tem o físico. A violência psicológica é quando o individuo é exposto à algumas situações aonde ele é humilhado, subjugado e privado de sua liberdade de fala. É quando o outro diminui/reduz a esse indivíduo uma fala menor e desvaloriza ao impor autoridade a essa pessoa.

O assunto sobre tortura psicológica aumentou a partir das atitudes da cantora Karol Conká com o então brother Lucas Penteado. Segundo o Google, a busca por “tortura psicológica” teve um aumento de 610%, tal crescimento está atrelado com as ações da rapper dentro do confinamento, onde tem sido acusada de praticar “tortura psicológica” contra o ator. Esse aumento ocorreu entre 27 de janeiro e 2 de fevereiro - data de conflitos entre os dois.

Para esclarecer todas as dúvidas sobre possíveis sinais de tortura, a psicóloga Alessandra Augusto, formada em Psicologia, Palestrante, Pós-Graduada em Terapia Sistêmica e Pós-Graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental e em Neuropsicopedagogia, explicou um pouco mais.

O que é tortura psicológica?

É uma forma de tortura que consiste em um conjunto de agressões que fere psicológico das vítimas. Sem causar sofrimento físico, o objetivo é intimidar, manipular ou punir o outro.

Afinal, como saber que está sendo torturado psicologicamente?

Segundo a psicóloga, a atitude de fazer a outra pessoa se sentir omissa ou subjugada não está ligada somente a relações afetivas. Ela pode estar ligada na reação na relação de pais e filhos. Relacionamento abusivo não está necessariamente ligado a uma relação  conjugal. Ela também pode estar ligada a uma relação de patrão e empregados. É possível identificar essa relação de violência psicológica e abuso emocional desses indivíduos.

Essa tortura psicológica é difícil de ser reconhecida pelas pessoas que estão no entorno da situação?

Por não ser uma violência física, não é tão fácil de ser notada pelos outros. Por vezes, o abuso emocional é muito difícil de se reconhecer e a vítima acaba ficando sozinha e se sentir desamparada. "Ela perde todo apoio, porque, geralmente, o abusador tem uma característica muito sociável e acaba sendo muito sociável para convencer toda uma rede de amigos e familiares ou se for numa empresa de quem é muito sociável. Então, ele acaba desacreditando a vítima que está sofrendo", disse Alessandra.

Inclusive, a profissional cita que se sentir descredibilizada é o primeiro sentimento dela, pois a culpa é muito grande.

"A vítima fica se questionando se ela não está provocando esse comportamento, porque  o torturador traz na fala a defesa e a justificação - justifica o que não tem justificativa. Às  vezes acusando essa vítima de que só tomou aquela atitude, porque ela provocou o que causa confusão. A própria pessoa demora muito identificar que ela está fazendo uma abuso emocional", completou.

A violência psicológica é diminuída por não ter o contato físico. Culturalmente, não ter agressão, muita vezes, a sociedade não encara como violência e a própria pessoa pode ter a mesma percepção. 

O que fazer ao reconhecer que está sendo torturado? 

A pessoa que passa por um abuso psicológico precisa fazer um tratamento psico. A vítima precisa estar acompanhada de uma psicoterapia, porque ela precisa aos poucos  desconstruir esse discurso de um torturador. "O manipulador pode ter uma duração longa. Ele pode fragmentar tanto esse indivíduo ao ponto dela não se reconhecer. É preciso fazer uma terapia reestruturando essa personalidade e identidade. Empoderando a pessoa e mostrando que existe uma vida além do domínio do abusador", dissertou a psicóloga.

É preciso estimular o amor-próprio e confiança. O tempo de tratamento depende da duração e intensidade dos abusos.

O abusador tem consciência?

De acordo com Alessandra, sim. Dificilmente, o manipulador faz sem ter consciência de seus atos. A psicóloga afirmou que o abusado tem altos e baixo: "No caso, ele comete um abuso emocional como  já tem a intenção de que essa pessoa fique ali sobre o domínio dele, ele oscila no humor. Ora ele comete o abuso e começa a tortura psicológica, ora ele alivia"

A profissional pontuou que o abusador não quer ter esse rótulo, mas ele tem consciência que está acontecendo. Entretanto, ele pode não saber o dano que isso causa na vítima.

Existe tratamento para o abusador?

Alexandra explicou que primeiro ele precisa entender o quão mal ele faz para o outro.  "O abusador não tem a dimensão do quanto atingiu outro, mas ele tem consciência da sua fala,  porém ele justifica e acredita que tem essas atitudes porque foi provocado ou por histórico. É preciso que ele se reconheça nessa condição e procure ajuda. O tratamento psicológico só funciona nos indivíduos que reconhecem a necessidade dela", analisou.

É possível ter uma vida saudável depois dos abusos?

Sim! Entretanto, o que vai determinar é o tempo e a conduta do terapeuta para tentar ajudar essa pessoa restaurar. Porém, é mais que possível voltar a ter uma vida saudável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário