Páginas

Pesquisar este blog

19/02/21

Mitos, verdades e dicas sobre gatos

 


Gatos estão ganhando cada dia mais o coração dos brasileiros - Daniela/Creative Commons

Em 17 de fevereiro é comemorado o Dia Mundial do Gato. O Brasil, com a segunda maior população de pets do mundo, nunca teve tantos felinos para celebrar. Atualmente são mais de 24,7 milhões de gatos e o número vem crescendo cerca de 3% ao ano, rumo à liderança no universo pet, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) de 2019. No entanto, muita gente ainda acredita que os gatos, por serem mais independentes, precisam de menos atenção que os cães.

Há milhares de anos, eles fazem parte da história e da mitologia em várias partes do mundo. Com o passar do tempo, a visão mística e preconceituosa deu lugar à domesticação desses pequenos animais. Não é à toa que os gatos vêm conquistando a preferência dos brasileiros e ganham espaço como pet de companhia.

Reconhecido como um dos principais nomes da gatofilia no Brasil, Gerson Alves Pereira, presidente do CBG, juiz internacional de gatos e criador desde 1998, está sempre a postos para desmitificar a figura do gato como um animal traiçoeiro, interesseiro e desapegado. "Felizmente o preconceito e as crendices vêm perdendo espaço na medida em que as pessoas passam a ter contato mais próximo com os felinos e verificam que eles são dóceis, carinhosos e companhias de vida adoráveis", afirma.

Acreditar que gatos não precisam ir ao veterinário é um mito - Jose Losada - Fotografía/Creative Commons

Vamos aos mitos e verdades:

Gato preto dá azar

Gato preto dá azar para quem não tem! Muitos mitos negativos sobre os gatos estão ligados a superstições da Idade Média na Europa, época em que os felinos, especialmente os pretos, eram fortemente associados à bruxaria.

Gato não gosta de tomar banho

gato é um animal muito limpo. Ele dedica boa parte do seu tempo para limpar seus próprios pelos, e estar com eles limpos e brilhantes é sinal de boa saúde. A partir de um convívio mais próximo com os humanos, surgiu a necessidade de banhos extras, para mantê-los mais adequados à vida sobre as camas e sofás de nossas casas. Acostumando-o desde pequeno, eles se adaptarão aos banhos ao longo da vida. Mas, invariavelmente, após este "banho humano", eles tomarão seu próprio banho, para retirar o excesso de perfume.

Gatos se apegam mais ao local que aos donos

Precisamos diferenciar os gatos que são pets, daqueles que vivem nas ruas. Os pets são apegados, amam seus donos e os acompanham em qualquer lugar que escolham viver. Já os gatos que vivem na rua fazem questão de delimitar um território e cuidar dele.

Gatos e cães são inimigos

Quando convivem no mesmo ambiente, gatos e cães são amigos, companheiros, desenvolvem brincadeiras e têm uma relação muito harmoniosa. Cabe aos tutores serem os responsáveis por promover essa boa convivência.

Gatos precisam ter acesso à rua para exercer sua liberdade

Gatos domésticos devem viver em ambientes domésticos. Quando frequentam o ambiente externo, estão se deparando com um local hostil, o que pode diminuir sua expectativa de vida, além da possibilidade de levar zoonoses para casa. Quando o ambiente interno é limitado, o tutor deverá enriquecê-lo com equipamentos que verticalizem as atividades e os acessos do gato.

Gatos sempre caem em pé

Os gatos são muito flexíveis e, com rapidez, conseguem se contorcer e cair de pé. Isso não significa que possam sobreviver a uma queda de uma altura elevada. Lembrando que o gato, apesar da lenda, não tem 7 vidas! Devemos zelar e cuidar muito bem deles para que possamos desfrutar de sua deliciosa companhia por muito tempo.

Ahmed Addali, médico-veterinário e gerente de produtos da unidade de negócios pet da MSD Saúde Animal, também contribuiu com as fakes e fatos sobre cuidados preventivos da saúde desse pet.

Gatos precisam de produtos que combatam pulgas e carrapatos

VERDADE. "Um exemplo é o cuidado com pulgas e carrapatos. Como o felino é um animal mais caseiro, muitos tutores acreditam que não precisam utilizar medicamentos para combater a infestação desses parasitas, o que é muito importante para garantir saúde ao bicho", explica Ahmed. Pulgas e carrapatos atacam cachorros e também gatos. Isso porque esses parasitas convivem principalmente dentro do lar, por isso, os felinos também correm risco de serem infectados, já que os próprios tutores podem trazer esses bichinhos para dentro de casa.

"Quando surge uma pulga ou carrapato no seu gato significa que 95% desses insetos estão morando na sua casa. Por isso, para uma proteção completa, é essencial que, além da limpeza do local em que o animal vive, o tutor utilize um produto de longa ação para poder cortar o ciclo de vida desses parasitas e conseguir evitar futuras proliferações", explica Ahmed. "Outro ponto importante é que os felinos possuem dificuldade na utilização de medicamento em comprimidos e, atualmente, existe no mercado a aplicação transdermal, que facilita a administração e garante proteção para o ambiente e a família", completa.

Gatos gostam de leite

MITO. Gatos não precisam de nada mais que água fresca e ração específica para a espécie. Por serem mamíferos, os gatos consomem o leite materno quando são recém-nascidos. Porém, ao longo do tempo, seu sistema digestivo diminui a produção da enzima responsável por digerir a lactose. Os seres humanos são os únicos mamíferos que, depois de adultos, consomem leite. Então, não há necessidade alguma dos gatos beberem leite quando adulto e isso pode, inclusive, causar problemas digestivos.

Gatos não precisam de lazer e diversão

MITO. É claro que cada gato possui sua personalidade. Alguns são calmos e outros mais "elétricos", no entanto todos eles precisam de entretenimento. Quando esses pets não possuem brinquedos, acessórios e espaço apropriados para a espécie, podem arranhar móveis, por exemplo. Se não oferecemos artigos que possam auxiliar na expressão dos comportamentos naturais, eles vão dar um jeito com o que eles encontrarem. Nessa hora que sofá vira arranhador, geladeira vira ponto de fuga e observação, objetos de decoração se tornam ótimas presas e cortina se torna uma ótima escalada.

Castrar evita doenças e ajuda no controle da natalidade pet

VERDADE. Essa iniciativa pode trazer inúmeras vantagens à vida de um animal. Além de trazer mudanças no comportamento do gato, como evitar brigas e fugas, a castração diminui a possibilidade de o felino desenvolver doenças, como o câncer. Além disso, é importante frisar que essa atitude combate a procriação inesperada e, com isso, ameniza o abandono.

Gatos não precisam de ida periódica ao médico veterinário

MITO. Não podemos esquecer que consultas preventivas também são importantes para os gatos, principalmente devido ao fato dos gatos serem ótimos em esconder suas dores. "Esses pets necessitam de visitas de rotina ao veterinário para avaliação da saúde e orientação sobre prevenção de doenças, uso de medicamentos, alimentação e comportamento, como assim como os humanos. A ida periódica à clínica veterinária pode proporcionar uma melhor qualidade de vida aos felinos", finaliza o médico-veterinário.

É preciso preparar a casa para o gato, para evitar problemas de destruição - Pedro Redondo/Creative Commons

Por ser um dia especial, aqui vão 10 dicas para quem desejar ter um gatinho em casa, indicadas pela médica veterinária Amanda Correa, da Mars Petcare Brasil.

  1. Antes da chegada do novo membro da família, prepare sua casa para recebê-lo, principalmente para as medidas de segurança. Para quem mora em apartamento, é importante aplicar telas de proteção. A recomendação também vale para aqueles que moram em casas com mais de um andar.
  2. Defina um cômodo em que o novo pet ficará nesses primeiros dias. Providencie todos os itens básicos como alimentação de acordo com a idade, água fresca, caixinha de areia e arranhador.
  3. Se você já tem outro animal em casa, tenha paciência! O processo de adaptação é bastante imprevisível e depende bastante do temperamento dos pets. Estimule a aproximação, mas não force que fiquem juntos, a aproximação acontece de forma natural.
  4. Recompense o seu amiguinho! Valorize o bom comportamento do seu bichinho com brincadeiras, carinhos e até mesmo refeições especiais, como sachê. Gatos geralmente amam alimento úmido e é uma ótima maneira de mantê-los hidratados.
  5. Vale a pena investir no enriquecimento do ambiente com a inclusão de brinquedos que agucem sua personalidade de caçador, como a varinha de pesca e similares.
  6. Você sabia que os gatos não bebem água se o bebedouro estiver de frente para a parede? Isso vem lá de trás, quando seus ancestrais se debruçavam em rios e lagos para matar a sede - eles usavam a água como espelho para ficar de olho nos predadores à espreita. Considere isso ao escolher o diâmetro e o local onde deixar os potinhos!
  7. Fique atento à caixinha de areia do seu novo gato! Felinos costumam ser exigentes quanto à sua higiene e às vezes não se adaptam a certas texturas de areia, o que pode gerar problemas para o trato urinário. É importante observar o material que ele mostra maior compatibilidade e manter a caixa de areia sempre limpa.
  8. Não se esqueça de preparar uma identificação para seu animal. É um detalhe super importante em caso de fugas nesse momento de adaptação!
  9. Lembre-se de tirar do alcance todos os objetos que representam algum risco à saúde do animal, principalmente se forem filhotes.
  10. No início, é imprescindível monitorar os comportamentos do pet de perto para que você conheça a personalidade dele. É o momento de criar laços e aproveitar essa fase gostosa.
Luiza Cervenka de Assis

Nenhum comentário:

Postar um comentário