Páginas

Pesquisar este blog

15/02/21

Oeste paulista deve ganhar novas 609 casas, diz Secretaria da Habitação

Pode ser uma imagem de 1 pessoa e sentada

Foto: AI/Secretaria da Habitação

Secretário estadual Flávio Amary fez um balanço das atividades da pasta na região de Presidente Prudente e trouxe dados dos projetos em andamento e já finalizados

REGIÃO - GABRIEL BUOSI de O Imparcial de Presidente Prudente
A Secretaria da Habitação do Estado de São Paulo dará início às tratativas para a construção, em parceria com a Caixa Econômica Federal, de 609 unidades habitacionais no oeste paulista, nos municípios de Alfredo Marcondes, Anhumas, Presidente Epitácio, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Rosana e Sandovalina. A iniciativa faz parte do Programa Pontal 2030, lançado nesta semana, e foi um dos tópicos abordados pelo secretário da pasta, Flávio Amary, em uma entrevista exclusiva ao O Imparcial sobre a atuação da secretaria na região de Presidente Prudente e um balanço das atividades locais.
O titular da Habitação ressalta que a atuação hoje do Estado, no âmbito da Habitação, na região, é “bastante intensa”, de forma que inúmeros são os encontros realizados com prefeitos e lideranças regionais, com a finalidade de ouvir as demandas e apresentar as possibilidades de investimentos e ações por parte da secretaria no oeste paulista. “É importante promover políticas habitacionais, visto que trabalhamos em cima de dois principais objetivos: diminuir o déficit habitacional do Estado e gerar empregos, renda e fomentar a economia regional. Tudo isso está interligado dentro desse trabalho”.
A Secretaria da Habitação aponta ainda outros trabalhos considerados importantes para a região, como a conclusão e entrega de 334 unidades em Alfredo Marcondes, Tarabaí e Santo Expedito; o aporte de cerca de R$ 3 milhões para a aquisição da casa própria para famílias de baixa renda no âmbito do Programa Casa Paulista; e do trabalho de regularização fundiária no âmbito do Programa Cidade Legal em 132 núcleos habitacionais nos municípios da região partícipes do Programa Pontal 2030. “Dentro da regularização fundiária, para se ter uma ideia, são 12 anos de Programa Cidade Legal, sendo que nos 10 primeiros anos foram entregues 38 mil títulos, e mais 33 mil apenas nos dois últimos anos. Estamos, sim, empenhados em resolver essa situação”.
Por fim, o secretário aponta que a expectativa para os próximos anos na região de Presidente Prudente é o de um avanço na economia, mesmo com o cenário de pandemia e recente crise econômica, visto que será uma tendência, especialmente com o fortalecimento do serviço home office, que as pessoas busquem morar em cidades do interior, na procura por qualidade de vida e custos mais baixos de moradia. “Prudente tem um aeroporto que dá acesso diariamente à capital paulista, então muitas das pessoas dos grandes centros poderão migrar para o interior, sabendo que, se necessário, estão a 50 minutos da capital”.
A quantidade de moradia por município, em quanto tempo serão construídas não foram informadas pelo secretario.

Nenhum comentário:

Postar um comentário