Páginas

Pesquisar este blog

10/02/21

Programa de desenvolvimento prevê investimento de R$ 300 milhões para o Pontal do Paranapanema

Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, tela e área interna

Foto: Governo do Estado de São Paulo

Iniciativa, denominada de Pontal 2030, foi lançada nesta terça-feira (9) pelo governo do Estado de São Paulo e pretende alavancar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da região.
Por G1 Presidente Prudente
O governo do Estado de São Paulo lançou na tarde desta sexta-feira (9) um programa de desenvolvimento do Pontal do Paranapanema, com o objetivo de alavancar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da região do extremo oeste do Estado, abarcando 32 municípios e 600 mil habitantes. A iniciativa, denominada de Pontal 2030, prevê um investimento de R$ 300 milhões em diversos setores como economia, saúde, segurança pública, meio ambiente e turismo.
O lançamento oficial do projeto aconteceu no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP).
“É uma transformação, é uma mudança radical ao longo dos próximos anos. É a primeira vez que o Estado investe com características tão amplas e tão profundas nesta região. O programa é, mais do que tudo, o Pontal da esperança, de uma vida melhor, de paz, união integração, saúde e desenvolvimento”, afirmou o governador João Doria (PSDB).
Com previsão de investimentos da ordem de R$ 300 milhões, a iniciativa tem como objetivo promover o fortalecimento local, o desenvolvimento sustentável, a regularização fundiária e a redução das desigualdades sociais. Para tanto, o governo de São Paulo pretende investir em diversos setores, como economia, saúde, segurança pública, meio ambiente e turismo, por meio de ações integradas que serão desenvolvidas em curto, médio e longo prazos por 19 pastas.
Segundo o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, a região registra diversas questões históricas e desafios ao seu desenvolvimento, especialmente quanto ao meio ambiente, geração de emprego e renda e qualidade de vida. O Pontal tem 6.060 famílias assentadas em 115 projetos de reforma agrária, diversas terras devolutas, além de 12.315 estabelecimentos de agricultura familiar.
“Essa região será uma das mais fortes e desenvolvidas do Estado. Serão ações e obras que farão a diferença”, destacou Vinholi.
Nos próximos anos, o Estado vai trabalhar em intervenções de curto prazo para alavancar o desenvolvimento social e econômico do Pontal do Paranapanema.
O projeto de lei para a criação do Aglomerado Urbano de Presidente Prudente é o primeiro passo para o desenvolvimento e fortalecimento da região, segundo o governo paulista.
A região conta com três microrregiões de Aglomerados Produtivos: Adamantina, forte no setor de confecções; Presidente Prudente, com o setor de couros e calçados; e Rosana, conhecida pelo comércio de móveis. Segundo o governo, 40% da indústria da região é na área alimentar.
Ainda conforme o Estado, também estão contemplados no Programa Pontal 2030 um projeto de lei para regularização fundiária, apoio ao desenvolvimento da agricultura familiar, apoio à infraestrutura, com estradas vicinais, novos corujões da saúde, telemedicina, oncologia e outras especialidades, novos leitos hospitalares, atração de investimentos por meio dos polos e dos Arranjos Produtivos Locais, entre outras ações.
A região abarca 32 municípios: Alfredo Marcondes, Álvares Machado, Anhumas, Caiuá, Caiabu, Emilianópolis, Estrela do Norte, Euclides da Cunha Paulista, Iepê, Indiana, João Ramalho, Marabá Paulista, Martinópolis, Mirante do Paranapanema, Nantes, Narandiba, Piquerobi, Pirapozinho, Presidente Bernardes, Presidente Epitácio, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Rancharia, Regente Feijó, Ribeirão dos Índios, Rosana, Sandovalina, Santo Anastácio, Santo Expedito, Taciba, Tarabai e Teodoro Sampaio. Destes, 31 integram a Região Administrativa de Presidente Prudente e um pertence à Região de Marília, o município de João Ramalho.
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário