Páginas

Pesquisar este blog

23/02/21

 

Saiba como criar uma rotina para o seu bebê e confira os benefícios


Crédito: Pixabay

(Crédito: Pixabay)

Criar uma rotina para o bebê pode ser tão importante para o seu desenvolvimento cognitivo quanto para sua saúde. Quando o bebê entende o que está acontecendo ao seu redor e começa a se dar conta dos acontecimentos recorrentes, ele se sente seguro e mais confortável.

Como eu explico no meu curso, Conexão Saúde – Introdução Alimentar, rotina não necessariamente está ligada aos ponteiros do relógio, o bebê não entende que é hora de dormir porque são 20h. Ele entende que é hora de dormir porque já tomou um banho gostoso, já ganhou aquela massagem relaxante, está todo limpinho e fresquinho, acabou de mamar e aí então ele já aprendeu que está na hora de dormir. Mais importante do que a hora do relógio, é a sequência dos acontecimentos, é isso que ajuda no desenvolvimento global do bebê.

O estabelecimento de rotina quando o bebê é muito pequeno pode parecer impossível, mas não é. Com uma pitada de organização e planejamento, todos irão sentir os benefícios da rotina. Para o bebê: conforto, segurança e confiança. Para os pais: tranquilidade e liberdade.

Quando um bebê entende que a mãe vai ali e já volta, que o pai vai sair, mas em breve estará em casa, as despedidas são menos dolorosas e mais leves. Quando a mãe sabe que depois daquela mamada tem a horinha do sono profundo, ela se sente livre para tirar um cochilo também, para tomar um banho prolongado ou até mesmo para não fazer nada.

Encontrar a rotina ideal de cada bebê é o desafio de toda família. Uma forma simples de começar a estruturar a rotina do bebê é a partir das mamadas e/ou refeições. Encontrando o intervalo entre as mamadas, é possível encaixar as outras atividades do bebê/mãe ao longo do dia.

Ao passo que o bebê vai crescendo, sua rotina precisa ir se adaptando. E as questões (Quando eu devo iniciar a alimentação do meu bebê? Qual o primeiro alimento eu devo oferecer? E se ele recusar?) vão aparecendo.

Ao longo de 20 anos trabalhando com crianças e 15 sendo mãe de dois, vivi, estudei e aprendi muito sobre como uma introdução alimentar afetiva, porém com regras e limites, é uma ótima aliada a cada nova fase de desenvolvimento dos filhos, até que se tornem adolescentes. E entender o valor disso para as mães e pais me inspirou a fazer o curso – Introdução Alimentar.

O mundo nos apresenta constantemente regras e limites. Quando o bebê entra em contato com isso desde cedo dentro de casa, aprende a lidar com sentimentos difíceis, como raiva e frustração, amparado de afeto, atenção e cuidado dos pais.

Mais tarde, ao se deparar com as regras e limites do mundo, esse bebê tende a se tornar uma criança – e, consequentemente, um adolescente e um adulto – mais organizada, responsável, autônoma, e cuidadosa com o próximo.

Sobre o autor

Nutricionista, Formada pela USU - Rio de Janeiro em 2003, especializada em alimentação infantil. Trabalha com crianças desde 1999, quando, ainda na faculdade, dava aulas de capoeira. Em 2013 estreou como apresentadora no canal GNT dos programas Socorro! Meu Filho Come Mal, Cozinha Colorida da Kapim e, em 2018, o Socorro! Meus Pais Comem Mal. Autora de 2 livros, homônimos dos programas, um deles com mais de 60 receitas para a família toda colocar a mão na massa. Kapim é mãe de dois adolescentes muito legais e que comem superbem, Sofia (15) e Antonio (13). Nesses mais de 20 anos trabalhando com crianças, já ajudou a transformar e melhorar os hábitos alimentares de milhares de famílias, sempre buscando uma conexão saudável entre todas as partes envolvidas: pais, filhos e o alimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário