Páginas

Pesquisar este blog

14/02/21

Vacinação para idosos tem mais de 100 tentativas de fraude em Várzea Paulista

Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas

Foto: Divulgação/ Prefeitura de Várzea Paulista

Segundo a Prefeitura de Várzea Paulista (SP), de 137 cadastros, apenas 15 faziam parte da faixa etária estabelecida pela campanha.
Por TV TEM
A Prefeitura de Várzea Paulista (SP) identificou mais de 100 cadastros de idosos que "mentiram" a idade durante o agendamento para vacinação contra Covid-19. Segundo o órgão, de 137 cadastros, apenas 15 faziam parte da faixa etária determinada pela campanha.
De acordo com a prefeitura, as fraudes ocorreram durante o cadastro para vacinação de idosos com 90 anos ou mais, na segunda-feira (8). Em média, 150 pessoas se inscreveram por dia desde 4 de fevereiro.
Segundo a prefeitura, a maior parte dos cadastros com dados incorretos foi feita por familiares de idosos com 70 anos ou mais.
Os idosos com idade que não correspondia ao grupo atendido no momento foram dispensados e orientados a fazerem um novo agendamento assim que for liberada a faixa etária.
No dia da aplicação da dose é obrigatória a apresentação de documentos pessoais. Dessa forma, os profissionais da saúde identificaram que a idade não correspondia a ordem de prioridade na vacinação.
A prefeitura informou em nota que pessoas fora da faixa etária não serão vacinadas e que quem furar a fila pode responder pelo ato ao Ministério Público.
O órgão lamentou, em nota, o ocorrido e pediu para que os moradores respeitassem a prioridade dos idosos.
Criminalização do ‘fura-fila’
A Câmara dos Deputados aprovou na quinta-feira (11) um projeto de lei que considera crime o ato de furar fila para receber a vacina. O texto segue para a análise do Senado.
A proposta cria o crime de "infração a plano de imunização", atualmente não previsto no Código Penal. Além do fura-fila, criminaliza também qualquer afronta à operacionalização de planos de imunização federais, estaduais, distritais ou municipais.
O crime abarca todas as vacinas, e não apenas as doses contra a Covid-19. No projeto, a pena estabelecida é de um a três anos de detenção e multa. Esta pena pode ser aumentada em um terço caso envolva falsificação de atestado e outros documentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário