Páginas

Pesquisar este blog

31/03/21

Brasil tem capacidade para vacinar 2,4 milhões por dia, diz Queiroga no Senado

Pode ser uma imagem de 1 pessoa

Ministro afirmou, em audiência pública, que essa é a velocidade de vacinação ideal, de acordo com a capacidade de estrutura e pessoal de saúde. Dia com mais doses aplicadas contra a Covid-19 teve 432 mil vacinações
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou de uma audiência pública no Senado Federal nesta segunda-feira (29). A ação fez parte dos trabalhos da Comissão Temporária da Covid-19, que questionou, entre outros temas, a vacinação contra o coronavírus. O médico deu números a uma meta de vacinação mais ambiciosa que a atual.
“Temos 37 mil salas de vacina no nosso país. O teto da nossa capacidade vacinal, considerando o horário de funcionamento regular dessas salas, é de 2,4 milhões de brasileiros por dia. Se conseguirmos atingir essa velocidade, nós daremos as respostas que a sociedade quer ouvir de nós".
Na avaliação do médico, o “problema imediato” no Brasil é conseguir atingir a meta de vacinação nos próximos três meses, o que “não é uma questão logística”, mas uma “questão de disponibilidade de vacinas”.
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) criticou a atuação do governo federal no combate à pandemia até este mês de março, mas pontuou pontos positivos das falas do novo ministro.
“O senhor falou sobre o uso de máscaras, que é fundamental, sobre medidas restritivas mais fortes, que não existe possibilidade de tratamento precoce contra a Covid, isso é um bom ponto de partida.”
Queiroga evitou fazer avaliações de trabalhos passados, mas ressaltou que, em pouco tempo à frente do ministério, já há mudanças. Ele também chegou a dizer que a pasta vai agir para uma campanha do uso consciente de oxigênio e que está trabalhando para ajudar municípios com medicações necessárias para intubação.
O Brasil tem capacidade de infraestrutura para vacinar 2,4 milhões de brasileiros por dia. Isso que declarou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em audiência pública no Senado Federal, na tarde desta segunda-feira (25).
O ministro foi ouvido na Comissão Temporária da Covid-19. Apesar do número ser usado como meta, faltam imunizantes disponíveis. Na avaliação do médico, o “problema imediato” no Brasil é conseguir atingir a meta de vacinação nos próximos três meses, o que “não é uma questão logística”, mas uma “questão de disponibilidade de vacinas”.
Queiroga evitou fazer avaliações de trabalhos passados, mas ressaltou que, em pouco tempo à frente do ministério, já há mudanças.
Reportagem, Alan Rios

Nenhum comentário:

Postar um comentário