Páginas

Pesquisar este blog

25/04/21

26 de abril: Dia Nacional de Controle da Hipertensão Arterial

Pode ser uma imagem de 1 pessoa e em pé

Foto: Cedida

Cardiologistas de PP dão orientações sobre a doença que atinge aproximadamente 31 milhões de brasileiros e pode levar a morte se não controlada de forma adequada
REGIÃO - OSLAINE SILVA de O Imparcial de Presidente Prudente
Nesta segunda-feira é lembrado o Dia Nacional de Controle da Hipertensão Arterial Sistêmica, e para que a população se atente a esta doença, muitas vezes silenciosa, dois cardiologistas de Presidente Prudente esclarecem a respeito de suas principais causas, tratamento e dão orientações importantes. De acordo com Fábio Rossetto Leão, especialista que atende no HR (Hospital Regional) Dr. Domingos Leonardo Cerávollo, de Presidente Prudente, aproximadamente 31 milhões de brasileiros sofrem com a patologia, atualmente. Segundo ele, conforme a Sociedade Brasileira de Hipertensão a doença afeta uma em cada quatro pessoas no Brasil. Inclusive 5% das crianças. Mas, é na população maior de 60 anos que ela está mais presente, acometendo
Quase que metade dos idosos. É responsável por 80% dos acidentes vasculares encefálicos, popular derrame, 40% dos enfartos e 25% da insuficiência renal.
Conhecida popularmente como pressão alta, ele explica que a elevação da pressão arterial sistólica (aquela que as pessoas chamam de máxima) maior ou igual a 180 milímetros de mercúrio. E diastólica (a que recebe definição popular de mínima) maior ou menor que 90.
“Está relacionada principalmente com o sedentarismo, a obesidade, estresse, tabagismo e história familiar. Além da população da terceira idade a hipertensão é um pouco mais prevalente nas mulheres. As consequências da negligência no tratamento para HA [hipertensão arterial] pode ser um derrame, infarto levando até a morte em alguns casos”, acrescenta Osmar Marchioto Júnior.
CAUSAS DA DOENÇA
Fábio explica que a hipertensão é dividida em duas causas: hipertensão arterial primária, que antigamente era chamada de essencial, qual a causa é desconhecida e é justamente a que 95% das pessoas sofrem. E tem a secundária, que são os 5% restantes, qual deriva de um ou outro problema que a pessoa pode ter. “Às vezes ela tem um problema de hipertireoidismo, feocromocitoma, síndrome de Cushing, hiperaldosteronismo, coarctação de aorta, apneia do sono, etc. São vários que se encaixam na secundária. Na grande maioria a hipertensão é assintomática. E quando dá algum sintoma pode ser dor de cabeça, vômito, sonolência, confusão, convulsão e até coma quando a pressão é muito grave e incha o cérebro”, cita Fábio acrescentando ainda que quando ela afeta o coração pode causar dor torácica, falta de ar.
DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO
Para saber se é hipertenso, Osmar Marchioto diz que o diagnóstico se faz medindo a pressão arterial por profissional qualificado em duas ocasiões distintas, “e quando o valor for igual ou maior que 14/9 quando o paciente é considerado hipertenso. A título de prevenção e tratamento recomendamos dieta pobre em sal, rica em frutas, legumes, oleaginosas, peixe, grãos e pobre em gorduras. Associado com pelo menos 150 minutos de atividade física semanal. E se necessário o uso de medicamentos que vai ser decidido pelo médico na ocasião da descoberta do problema”, salienta Osmar.
Fábio acrescenta que ela pode ainda ser diagnosticada por aparelhos 24 horas, o famoso mapeamento 24 horas. “Na verdade quando a hipertensão é primária ela não tem cura. Mas tem controle, e uma alimentação saudável, com a diminuição de sal, peso adequado, atividades físicas regularmente, evitar alimentos gordurosos, controlar diabetes e outras comorbidades, pra quem fuma evitar o tabagismo e quem bebe, o consumo do álcool.
NÚMEROS
31
milhões de brasileiros sofrem com a patologia, atualmente
1
em cada 4 pessoas no Brasil é afetada pela hipertensão arterial
5%
das crianças têm a doença, mas a maioria é na população maior de 60 anos
80%
Dos derrames é por conta da conhecida “pressão alta”
40%
Dos enfartos são ocasionados pela hipertensão
25%
Dos casos de insuficiência renal também são de responsabilidade da HA

Nenhum comentário:

Postar um comentário