Páginas

Pesquisar este blog

09/04/21

 

Golpes bancários fazem mais de 17 mil vítimas por dia no Brasil; veja como se proteger

A clonagem de WhatsApp é uma das práticas mais comuns
A clonagem de WhatsApp é uma das práticas mais comuns Foto: STAN HONDA / STF
Extra
Foto: STAN HONDA / STF

Os golpes financeiros continuam no topo da lista de golpes mais frequentes durante a pandemia, segundo levantamento laboratório de cibersegurança da PSafe. Foram registradas mais de 1,6 milhões de detecções em 2021, somente no Brasil, o que representa uma média de mais de 17 mil ataques ao dia. Na sequência, está a clonagem de WhatsApp, que segundo projeções do laboratório (dfndr lab), prejudica cerca de 15 mil brasileiros por dia.

Os temas mais utilizados pelos golpistas para atrair vítimas em ambos os golpes são: supostas promoções, falsas vagas de emprego e falso cadastramento em programas de auxílio do Governo.

De acordo com os especialistas em segurança digital da Psafe, os cibercriminosos costumam utilizar os dados pessoais obtidos ilicitamente para criação de golpes de phishing — técnica usada para enganar usuários e obter informações confidenciais como nome de usuário—, especialmente se aproveitando de técnicas de engenharia social para acessar outras informações da vítima, como suas senhas, com as quais podem acessar indevidamente contas bancárias e contas em redes sociais.

De posse dessas informações, os atacantes podem fazer qualquer tipo de chantagem com a vítima ou até mesmo se passar por ela para enganar seus amigos e familiares, buscando obter algum lucro financeiro.

Fique por dentro:


Veja como se proteger:

1 - Tenha um bom sistema de segurança instalado no celular. Dê preferência aos aplicativos com função Bloqueio de Hackers que alertam em tempo real caso você receba ou acesse um link malicioso por meio do WhatsApp, Facebook Messenger, navegador e SMS.

2 - Compre apenas em sites confiáveis. Evite clicar em links enviados por perfis desconhecidos e desconfie de promoções com preços muito abaixo do mercado.

3 – Não forneça dados pessoais ou bancários na internet. Cibercriminosos podem solicitar dados pessoais ou bancários às vítimas. Essas informações podem ser usadas por pessoas mal-intencionadas para aplicar os mais diversos tipos de golpe utilizando engenharia social.

4 - Na dúvida, verifique se um link é falso no site do dfndr labA checagem de links avisa em poucos segundos se um site pode oferecer alguma característica maliciosa.

5 – Ative a autenticação em dois fatores no WhatsApp. Ao ativar essa proteção, você cria uma senha que será uma camada extra de segurança para sua conta.

fonte:extra.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário