Páginas

Pesquisar este blog

26/04/21

 

Covid-19 já provocou mais mortes neste ano do que no ano passado inteiro no Brasil

Paciente internada no Hospital Universitário Pedro Ernesto, no Rio de Janeiro, que está com mais de 90% dos leitos ocupados
Paciente internada no Hospital Universitário Pedro Ernesto, no Rio de Janeiro, que está com mais de 90% dos leitos ocupados Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo 18-12-20
Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo 18-12-20

SÃO PAULO - Após registrar 1.316 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, o Brasil acumula 390.925 óbitos pela doença até este domingo (25). Com essa marca, o país passa a ter mais registros de óbitos pela doença em 2021 do que em 2020.

Os dados foram reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa formado por O GLOBO, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, que compila informações divulgadas pelas secretarias estaduais de Saúde.

No último dia, o país teve 32.000 pessoas diagnosticadas com infecção pelo novo coronavírus, totalizando 14.339.412 casos até agora.

A média móvel de sete dias do número diário de mortes no país agora está em 2.498, o que representa queda de 20% nas últimas duas semanas. Os três estados com maior aumento percentual no número de mortes são Pará (34%), Acre (13%) e Espírito Santo (10%).

A média móvel de sete dias se refere aos números de mortes e casos do dia e dos seis anteriores. A medida é comparada com a média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda na epidemia. O cálculo é um recurso para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o "ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por redução de mão-de-obra.

Das 27 unidades da federação, só o Pará está com o número de óbitos em viés de elevação nas últimas duas semanas, e 15 estão com os números em queda. Outras 11 permaneceram em tendência estável (variação menor de 15% para mais ou para menos).

Levando em conta o número diário de resultados positivos em diagnósticos, a última quinzena teve queda de 20% em escala nacional também.

O Brasil conseguiu aplicar a primeira dose de vacina contra Covid-19 até agora em 29.031.874 pessoas (13,71% da população), e 12.579.100 já receberam a segunda dose, o que representa uma cobertura vacinal completa de 5,94%.

O três estados que mais avançaram agora em aplicação da primeira dose foram Rio Grande do Sul (18,13%), Mato Grosso do Sul (16,54%) e Espírito Santo (16,03%). Os que mais estão atrasados na aplicação da vacina são Amapá (9,54%), Rondônia (9,64%) e Tocantins (9,69%).

Cenário internacional

O Brasil ocupa o 2º lugar entre os países que mais registraram mortes por Covid-19 até agora, segundo dados do projeto Our World In Data, ligado à Universidade de Oxford. Os cinco países que notificaram mais óbitos desde o início da pandemia são, do primeiro ao quinto, Estados Unidos, Brasil, México, Índia e Reino Unido.

Ao longo dos últimos 7 dias, o Brasil foi o país que mais teve mortes pelo coronavírus, com 17.813 registradas no período. Os cinco países com maiores números absolutos em óbitos por Covid-19 nesta semana foram, em ordem, Brasil, Índia, Estados Unidos, Polônia e Colômbia.

O número relativo de pessoas mortas pela doença no país é de 1.832,4 por milhão de habitantes. No grupo de 58 países com mais de 20 milhões de habitantes no mundo, o Brasil ocupa o 3º lugar em mortalidade proporcional por Covid-19, atrás de Itália e Reino Unido.

fonte:https://extra.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário