Páginas

Pesquisar este blog

04/04/21

Região soma 3 mortes por ataques de abelhas

Pode ser uma imagem de em pé e natureza

Foto: Roberto Kawasaki/Arquivo

Nos últimos dois anos, Centro de Vigilância Epidemiológica registrou aumento em acidentes por enxames
REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI de O Imparcial de Presidente Prudente
O CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica) disponibiliza a distribuição dos acidentes e óbitos por animais peçonhentos nas regiões do Estado de São Paulo. Um levantamento feito pela reportagem com base nos registros, mostra que nos GVEs (Grupos de Vigilância Epidemiológica) de Presidente Prudente e Presidente Venceslau, de todos os acidentes, o ataque de abelhas é o único que fez vítimas fatais em ambas as regiões no ano passado. Se somados com o período anterior, foram três óbitos.
De acordo com Luciano Eloy, veterinário e assessor técnico de saúde pública do CVE, os números catalogados resultam de ataques por enxames.
De acordo com a análise, em 2019 a região de Prudente teve 47 ocorrências, sendo uma morte, enquanto que Venceslau teve 25 acidentes, sem mortes. Já em 2020, Prudente registrou 27 ocorrências com uma morte, uma queda de 42,55% nos acidentes com abelhas; por sua vez, no mesmo ano, Venceslau teve 48 acidentes e uma morte, aumento de 92% dos casos se comparados com o ano anterior.
Luciano lembra que a média está dentro das demais regiões do Estado, números considerados “razoáveis”, que oscilam para mais ou para menos nos períodos pesquisados.
“O que se entende é que como é uma região de muita fazenda, área rural, municípios bem extensos, com muita atividade no campo, normalmente as ocorrências são nestes locais, raramente na zona urbana”, afirma. “Os acidentes com abelhas são até mais comuns do que se notifica, porque, às vezes, é uma picada, alguém que colocou a mão”, explica.
O que fazer se for picado?
De acordo com o representante do CVE, geralmente as vítimas de ataques por enxames são homens acima de 50 anos, que trabalham no campo. Caso seja picado, o tempo para buscar atendimento médico fará toda a diferença no tratamento. Isso porque algumas pessoas podem ter alergia ao veneno e, em algumas situações, podem morrer por choque anafilático – o que não ocorreu nos últimos dois anos na região de Prudente e Venceslau, segundo o veterinário.
“Se acontecer algum ataque por enxame de abelha, primeiro tem que sair urgente com essa pessoa para o pronto-atendimento mais próximo. Secundariamente, fazer a remoção dos ferrões, isso é importante, mas tem que raspar a pele com lâmina, não pode puxar com pinça, porque se apertar termina de injetar o veneno”, orienta.
Uma curiosidade é que o barulho assusta e irrita a colmeia. Conforme Luciano, se avistar o perigo, deve-se acionar uma equipe especializada que, ao anoitecer, quando elas estiverem mais calmas, fará a mudança de local das abelhas, sem ter que matá-las.
Ataques por abelha na região
GVE PRUDENTE
2019 = 47 ocorrências com 1 morte
2020 = 27 ocorrências com 1 morte
Resultado = Queda de 42,55% nos acidentes com abelhas
GVE VENCESLAU
2019 = 25 acidentes com 0 mortes
2020 = 48 acidentes com 1 morte
Resultado = Aumento de 92% nos acidentes com esses animais
Fonte: Centro de Vigilância Epidemiológica

Nenhum comentário:

Postar um comentário