Páginas

Pesquisar este blog

26/04/21

No dia do goleiro, especialistas elegem os melhores brasileiros da história


Pode ser uma imagem de 10 pessoas e texto que diz "Futebol TOP 10 GOLEIROS BRASILEIROS CONFIRA OS MELHORES SEGUNDO GOLEIROS EX-GOLEIROSE COPAS QUE DISPUTARAM 1° Taffarel (1990, 1994 1998) 74 pontos 2°- Gilmar (1958, 1962 1966) 31 pontos 3°- Marcos (2002) 29 pontos 4° Dida (1998, 2002 2006) 28 pontos 5°- Rogério Ceni (2002 2006) 20 pontos 6°- Barbosa (1950) 17 pontos 7°- Leão (1970, 1974, 1978 1986) 12 pontos 8° Manga (1966) 11 pontos Félix (1970) 8 pontos 10°- Alisson (2018) 7 pontos"

Votação reúne 44 goleiros e ex-goleiros e coloca Taffarel com larga vantagem na liderança. Confira quem completa o top 10
Por Cauê Rademaker, Raphael Zarko e Thiago Benevenutte — Rio de Janeiro
O dia 26 de abril marca uma data comemorativa para uma das posições mais ingratas do futebol. Nele, é celebrado o dia do goleiro, homenagem criada nos anos 70 e que acontece também no aniversário do lendário Manga, ex-Botafogo, Internacional e seleção brasileira. Com isso, o ge quis saber: qual o melhor brasileiro da posição em todos os tempos?
Perguntamos a 44 especialistas, entre goleiros em atividade e ex-jogadores, e o primeiro colocado ficou disparado no ranking: Taffarel foi lembrado por 30 deles e deixou para trás outros nomes relevantes como Gilmar dos Santos Neves, Marcos, Dida e Rogério Ceni
Todos os 10 primeiros colocados têm em comum pelo menos uma convocação para Copa do Mundo, algo que também consta no currículo dos goleiros que ficaram entre a 11ª e a 15ª posições. Ao todo, 23 nomes foram lembrados. Confira o complemento:
11º lugar - Júlio César - 5 pontos
12º lugar - Zetti, Victor, Renato (Copa de 1974) e Castilho - 3 pontos
16º lugar - Raul Plasmann, João Leite, Fernando Prass, Danrlei, Carlos (Copas de 1978, 1982 e 1986) e Ado - 2 pontos
22º lugar - Danilo (Chapecoense) e Cássio - 1 ponto
Cada eleitor apontou seu top 3, na ordem de preferência. O primeiro colocado de cada lista recebeu três pontos, o segundo dois e o terceiro um. Não era permitido citar o próprio nome. A reportagem não conseguiu contato com alguns goleiros, e outros preferiram não opinar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário