Páginas

Pesquisar este blog

04/06/21

Frigorífico alvo de operação da Polícia Federal anuncia retomada de atividades operacionais para exportação após passar por auditoria

Pode ser uma imagem de ao ar livre e árvore

Foto: Murilo Zara/TV Fronteira
‘Hoje obtivemos o resultado do qual sempre tivemos a certeza: o estabelecimento detém o controle de todos os processos avaliados’, pontuou a empresa sediada em Presidente Prudente.
Por G1 Presidente Prudente e TV Fronteira
O frigorífico Bon-Mart, que tem sede em Presidente Prudente (SP), anunciou que irá retomar as atividades operacionais para exportação de carne bovina nesta sexta-feira (4), após passar por uma auditoria composta por três médicos veterinários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Serviço de Inspeção Federal (SIF).
Em nota oficial divulgada nesta quinta-feira (3), o frigorífico informou que o resultado da auditoria indicou que a empresa detém o controle de todos os processos avaliados.
“O Bon-Mart colaborou com todas as normas solicitadas por ter a plena ciência de que sempre cumpriu com todos os deveres de exportador. Somos uma empresa idônea com mais de 20 anos no mercado frigorífico. Agradecemos o apoio de todos e a confiança em todos os momentos”, salientou a empresa.
O frigorífico explicou que passou por uma “auditoria minuciosa” em toda parte de produção, documentação e procedimentos.
Ainda segundo a empresa, os auditores inspecionaram detalhadamente todo o processo de produção para a certificação de exportação.
“Hoje obtivemos o resultado do qual sempre tivemos a certeza: o estabelecimento detém o controle de todos os processos avaliados”, pontuou o frigorífico.
Na última segunda-feira (31), o frigorífico foi alvo da Operação Inopino, deflagrada pela Polícia Federal para combater a suspeita de crime sanitário, corrupção, estelionato, prevaricação e falsidade documental supostamente praticados por uma organização criminosa que envolveria a empresa.
Aproximadamente 50 policiais federais cumpriram sete mandados de busca e apreensão nas cidades de Presidente Prudente, Presidente Epitácio (SP) e Rancharia (SP).
Segundo a PF, provas desde 2018 que constam no processo apontam que uma auditora fiscal federal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento teria recebido valores e vantagens para facilitar a comercialização de carnes fora das normas adotadas pelo setor.
Durante as investigações, ainda conforme a polícia, ficaram demonstrados "fortes indícios" de que a servidora pública e representantes de uma empresa investigada trocavam embalagens de forma a adulterar datas de vencimento e modificavam romaneios e relatórios de pesagem.
A investigação apura a suposta prática dos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, prevaricação, falsidade documental, crime sanitário, estelionato e organização criminosa.
Por determinação judicial, a auditora fiscal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento investigada foi afastada de suas funções.
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário