Páginas

Pesquisar este blog

20/07/21

 

O preço do gás está pesando no orçamento? Veja como economizar

Petroleiros venderam botijões de gás abaixo do preço na Zona Oeste
Petroleiros venderam botijões de gás abaixo do preço na Zona Oeste Foto: Guito Moreto
Letycia Cardoso
Foto: Guito Moreto

Cada vez tem sido mais difícil fazer o dinheiro render o mês inteiro. Os preços dos alimentos, da luz, dos combustíveis e do botijão de cozinha subiram consideravelmente. A situação é ainda mais complicada para os trabalhadores que perderam seus empregos durante a pandemia de Covid-19 e para os autônomos que dependem do pagamento do auxílio emergencial, hoje entre R$ 150 e R$ 375. Para ajudar os leitores, o EXTRA preparou uma série de reportagens que publica até quinta-feira. Esta é sobre como economizar gás.

No inverno, o consumo de gás tende a aumentar, principalmente em residências que fazem uso do aquecedor de chuveiro a gás — responsável pela maior parte da conta. De acordo com a Naturgy, a instalação precisa ser vistoriada no mínimo a cada dois anos, e as chamas do gás devem apresentar coloração azulada. Além disso, encontrar a temperatura ideal pode ajudar a economizar, já que usar a máxima do aquecedor para misturar água fria desperdiça tanto água quanto gás.

Também há regras simples que podem diminuir o volume de gás gasto na cozinha, seja ele encanado ou de botijão, como usar sempre que possível panelas de pressão que cozinham mais rapidamente e regular a chama do fogão no mínimo.

Há cerca de uma semana, a Petrobras anunciou aumento de 7% no preço do gás natural canalizado (que entrará em vigor a partir de agosto). No mesmo período, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) de 13 quilos, na cidade do Rio, já era de R$ 82,41. O maior preço médio do estado era de R$ 97,42, em Nova Friburgo.

Leia tambémRicos ficam ainda mais ricos na pandemia, e bancos lançam produtos para alta renda

Para a Federação Única dos Petroleiros (FUP), se a política de reajustes dos combustíveis aplicada pela Petrobras também incluísse custos nacionais de produção, o consumidor seria menos castigado. Como reivindicação, no último dia 08, petroleiros fizeram uma ação comunitária vendendo o botijão a R$ 50 na Zona Oeste.


fonte:https://extra.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário