Páginas

Pesquisar este blog


24/08/21

Como os distúrbios do sono afetam na sua saúde; entenda

 


Shutterstock

Provavelmente você já deve ter ouvido falar em ronco, bruxismo ou apneia obstrutiva do sono (AOS). Problemas que para muita gente já eram conhecidos se tornaram ainda mais comuns durante o período da pandemia. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a AOS afeta uma em cada três pessoas no mundo e isso porque ainda 85% dos pacientes não são diagnosticados.

Segundo o Dr. Alexandre Annibale, cirurgião-dentista, roncar não é normal e é um sinal de apneia obstrutiva, doença potencialmente fatal. Esses distúrbios do sono diminuem a oxigenação sanguínea, causando aumento na pressão arterial e pode provocar infarto, AVC, diabetes, entre outros. Agrava-se ainda mais a situação nesse período, pois são comorbidades altamente debilitantes para o paciente que contrair a Covid-19".

"Após a Covid-19, houve uma piora na qualidade do sono devido ao estresse, ansiedade e ganho de peso. Além disso, há aqueles que abandonaram tratamentos dentários e médicos por conta da pandemia". 

De acordo com um estudo realizado pela  OMS divulgado em dezembro de 2020, a pandemia de Covid-19 contribuiu para o agravamento dos distúrbios do sono, problema que acomete cerca de 45% da população mundial.

Os problemas relacionados à saúde bucal que interferem na qualidade do sono envolvem o padrão facial, arcada dentária, posicionamento da língua e a falta de dentes, fatores ligados a respiração do paciente.

"No entanto, o Dr. Alexandre diz que existem vários tipos de tratamentos que serão baseados em diagnóstico elaborado por meio do exame do sono, chamado de polissonografia (exame responsável em medir a atividade respiratória, muscular e cerebral durante o sono)".

"As alternativas para seguir o tratamento, vão desde correção cirúrgica por meio de avanço bimaxilar, CPAP (aparelho de pressão positiva continua nas vias aéreas), aparelho de avanço mandibular até terapias com fonoaudiologia e fisioterapia, ou seja, é um tratamento multidisciplinar, que ajuda não só o indivíduo que sofre com alguma doença do sono, mas também às outras pessoas com quem dorme junto". 

"Quando se fala em ter boa saúde e longevidade, dois pilares são bem conhecidos: alimentação saudável e prática de atividade física. Mas um terceiro e tão importante quanto os demais, é o sono. Por isso, cuidar bem da sua saúde é também ter uma boa qualidade de sono. E isso começa pela saúde da sua boca", encerra o cirurgião-dentista.

Vale ressaltar que esse diagnóstico é feito pelo dentista capacitado em odontologia do sono. 

Fonte: Alexandre Annibale, cirurgião-dentista, especialista em ortodontia e capacitado em odontologia do sono.

Julia Natulini

Nenhum comentário:

Postar um comentário