Páginas

Pesquisar este blog


19/10/21

Dicas indispensáveis para economizar dinheiro e evitar desperdícios

Crédito:IStock

Pequenas mudanças de hábito podem representar grandes economias quando falamos da cozinha de nossas casas.  Trata-se não só de respeitar sua renda mensal, mas, em uma escala global, de não desperdiçar o que é produzido.

Você sabia que uma família  de 4 pessoas chega a desperdiçar R$1600 por ano em comida? Nós jogamos fora cerca de 40 kg de comida por pessoa a cada ano, dos quais 10 kg são alimentos ainda embalados que perderam sua validade.


Compras, um quebra-cabeça que exige tempo e organização. Frequentemente, fazer compras é uma tarefa que você tenta realizar durante a semana depois do trabalho para se libertar nos fins de semana.

Resultado: corridas ao mercado realizadas com pressa, sem uma lista previamente elaborada ou mesmo sem saber o que comprar. Quem nunca xingou quando chegou em casa e notou que esqueceu de comprar o principal? Para contornar esses inconvenientes e evitar a realização de mini corridas várias vezes por semana, otimize seu tempo e seu orçamento. Confira nossas dicas fundamentais:


Escolha produtos da estação, eles são mais baratos e aproveite as promoções "queima de estoque", aquelas de produtos que estão próximos à data de validade.

Compare os preços entre os mercados, você nem imagina como eles variam dentro até da mesma rede!

Compre no atacado, alguns atacadistas vendem a preços consideravelmente inferiores quando a quantidade é maior. Não vai dar conta de consumir tudo? Junte a família e depois dividam os produtos e a economia!


Os preços costumam ser bem competitivos, já que o número de atravessadores é menor, e a diversidade de produtos chega a ser encantadora, sem contar que muitos produtos são realmente orgânicos, vindo da horta dos produtores.

Em algumas feiras, você até consegue comprar carnes, queijos e outros produtos agrícolas diretamente do produtor.

É um verdadeiro prazer chegar em casa com sacolas cheias de produtos saudáveis e fresquinhos, depois é só se deliciar com as compras recém feitas!

Ah! Não se esqueça, leve suas sacolas ecológicas e evite usar embalagens desnecessárias.


Nada poderia ser mais chato do que perceber que esqueceu de comprar aquilo que você queria comer! Muitas vezes, quando você vai preparar alguma coisa na cozinha, descobre que está faltando manteiga, queijo ralado ou o que quer que seja. Resultado: você sente que foi ao mercado inúmeras vezes na semana, gastou tempo e dinheiro com transporte, comprou coisas que não precisava e não comprou tudo que queria.

Para fazer isso, comece fazendo uma lista do que você precisa escrevendo-a regularmente e não no último momento. Para fazer sua lista e saber quais ingredientes você vai precisar, você precisa saber o que vai comer.

Portanto, isso significa antecipar os cardápios e saber quais pratos você vai preparar a cada semana; com sua família, estabeleça cardápios mensais. Ao encher o seu carrinho, já não o fará às cegas: assim, ganhará tempo e precisão ao ir diretamente aos departamentos em questão.

Na verdade, sem uma lista, você aumenta o risco de comprar produtos que não vai usar e que vão acabar vencendo no armário.


Os mantimentos representam uma parte importante do orçamento familiar. Comer bem com ingredientes e alimentos de qualidade é essencial para se manter em forma. Por isso, não compre mais do que necessita para não ultrapassar o seu orçamento e não ceder às compras esmagadoras ou compulsivas, muitas vezes desnecessárias e que sobrecarregam as suas finanças! Apenas siga o que você escreveu em sua lista.


Divida suas comprar em dois grupos, os que podem ser armazenados e os perecíveis. 

Frutas e vegetais tendem a estragar rapidamente, pelo menos eles têm uma vida útil limitada se você não consumi-los imediatamente, então, eles devem ser comprados com mais frequência e em menor quantidade para evitar jogar fora e desperdiçar.

No outro grupo, estão os alimentos enlatados e congelados que podem ser comprados mensalmente, em maior quantidade para serem estocados. Neste grupo também estão os produtos de limpeza, higiene pessoal...  


Evite horários de pico em supermercados e não se deixe tentar pelas prateleiras ao redor das filas do caixa. Acredite, nada ali serve para um consumo saudável e podem ser substituídos por algo mais interessantes e mais baratos que você tem em casa.

Se você vai de carro ao mercado, tente comprar o máximo que puder para economizar o custo com o transporte.

No supermercado, seja objetivo e assertivo: vá atrás do que você precisa exatamente, compare preços, marcas e, sobretudo, o peso das embalagens. Quer uma boa dica? Compare quanto custa, por exemplo, o grama do café para pacotes de 250 g e para os de 500 g da mesma marca, garanto que você vai se assustar!


Agora que você fez as compras do melhor jeito possível, ainda é preciso tomar cuidado porque sempre compramos alguma coisa a mais então, fique de olho nos alimentos da sua despensa.

Lembre-se de usar sempre aqueles alimentos próximos do prazo de validade e cuidado para não ter que jogar fora produtos que estragaram por ficar esquecidos no fundo de uma prateleira. 

Que tal retornar aos filtros de vela ou àqueles de barro?

Abrir mão das garrafas de água não só é um gesto econômico como também é ecológico.  Acha o preço dos filtros alto? Compare seu preço com o que você gasta comprando água "mineral", você vai notar a diferença.


Seja a gás, seja elétrico, pré-aqueça o forno pelo tempo previsto antes de usá-lo e aproveite para fazer uma fornada com o máximo de pratos possível. 

Para alguns tipos de cozimento, aproveite o calor do forno após retirar de lá o que você assou. Acredite, ele é ótimo para secar talheres ou para deixar a manteiga mais molinha e, principalmente para recuperar aquele pãozinho que sobrou! Outra ótima dica para aproveitar o forno quente é fazer torradas ou deixar secando aquele pão mais velhinho que você vai fazer farinha de rosca!

Ainda falando em gás e eletricidade, nada de usar o fogão em alta temperatura sem necessidade, organize seus pratos de forma a seguir uma ordem de preparo e, assim, você vai economizar bastante!


A melhor forma de economizar é cozinhar para si mesmo e evitar comidas prontas, pré-prontas e congeladas. Privilegie produtos que não são pré-processados, pré-lavados e pré-preparados: deixe de lado aquelas saladinhas empacotadas e prontas para consumo, as bandejas de cenoura ralada e de queijo fatiado. Da mesma forma, um frango inteiro é mais barato que se comprado em peças isoladas e por aí vai. Quanto mais processado o alimento, mais ele pesa no seu bolso.

Fazer seus próprios bolos, pães e sobremesas é mais barato e divertido! Experimente!


Verduras, legumes, batata, cereais e ovos são mais econômicos que carne e peixe. Sem se tornar um vegetariano convicto, diminuir o consumo de carne causa um grande impacto no seu bolso. Acredite, as verduras e os legumes são altamente versáteis, ainda mais se associados a cereais.

Você sabia que colocar legumes e cereais num mesmo prato dá um aporte de proteína equivalente ao da carne ou do peixe?

Se você quer fazer carne, prefira aquelas mais econômicas e use sua criatividade. Já se você preferir peixes, fique de olho nas promoções e compare preços!

Mélanie Moreira

Receita sem fronteiras


Nenhum comentário:

Postar um comentário