Páginas

Pesquisar este blog


05/11/21

Agentes encontram folhas com a droga K4 em roupa íntima, bermuda e correspondências em penitenciárias do Oeste Paulista

Nenhuma descrição de foto disponível.

Foto: SAP

Flagrantes foram nas unidades prisionais de Irapuru, Pacaembu e Presidente Bernardes e os materiais seriam entregues para detentos.
Por g1 Presidente Prudente
A Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP) divulgou, nesta quinta-feira (4), as apreensões de produtos ilícitos realizadas em unidades prisionais da região de Presidente Prudente (SP).
Pacaembu
A irmã de um sentenciado de Pacaembu (SP) encaminhou ao irmão uma encomenda. Ao realizar revista no objeto, os agentes de segurança encontraram sete pedaços de papel aparentando ser a droga sintética K4, ocultos no cós e no feixe de velcro de uma bermuda. Por este motivo, foi instaurado procedimento disciplinar a fim de apurar eventual cumplicidade por parte do sentenciado que receberia a encomenda. Ele se encontra isolado preventivamente em pavilhão disciplinar, bem como autuado expediente avulso visando à suspensão da mulher do rol de visitas.
Irapuru
Conforme a SAP, no momento em que a companheira de um detento da Penitenciária de Irapuru (SP) passava pela revista no aparelho de inspeção corporal para poder adentrar à penitenciária, os agentes visualizaram um objeto estranho em seu corpo.
Ao ser indagada, ela confirmou que trazia algo escondido, retirando do corpo, em local reservado, um invólucro contendo quatro folhas de papel de aproximadamente 30x20cm e outras duas folhas medindo 13x16cm. “Os papéis, possivelmente, estavam com a substância entorpecente K4”, salientou a pasta estadual.
Os materiais foram apreendidos e encaminhados à autoridade policial para providências. O detento foi incluído preventivamente no pavilhão disciplinar para averiguação dos fatos e a visitante suspensa do rol de visitas.
Presidente Bernardes
Já em Presidente Bernardes (SP), uma visitante também foi surpreendida ao passar pelo scanner corporal, quando as imagens geradas pelo aparelho indicaram algo suspeito na região da cintura da mulher. Ela confessou o fato, “retirando a peça íntima em local apropriado”. Os agentes constataram que na calcinha havia um invólucro em papel filme contendo 21 pedaços de papel, aparentemente a droga sintética K4.
Houve ainda outras três tentativas de inserção de materiais ilícitos na unidade prisional através de correspondências enviadas por familiares de sentenciados. Os produtos ilegais foram descobertos por agentes durante procedimentos de revista. Cada uma das três encomendas trazia um envelope com fundo falso contendo, aparentemente, a droga sintética K4. Procedimentos disciplinares foram instaurados para apurar a cumplicidade dos sentenciados que receberiam os ilícitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário