Páginas

Pesquisar este blog


05/11/21

 

O Brasil em números: IBGE começa teste nacional para o Censo 2022

O IBGE fez na Ilha de Paquetá o primeiro teste regional do Censo 2022
O IBGE fez na Ilha de Paquetá o primeiro teste regional do Censo 2022 Foto: Hermes de Paula / Agência O Globo
Martha Imenes
Foto: Hermes de Paula / Agência O Globo

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai iniciar, nesta quinta-feira (dia 4), o primeiro teste nacional do Censo 2022. O primeiro regional foi realizado em Paquetá, ilha-bairro no Rio de Janeiro, em setembro. Para esta nova etapa, foram selecionados bairros de municípios, distritos ou comunidades de todos os estados do país, que serão percorridos por 250 recenseadores até dezembro deste ano. A partir de junho do ano que vem, os profissionais vão visitar todos os domicílios brasileiros.

Os próximos municípios do Rio que farão parte do teste serão Paulo de Frontin, no Sul Fluminense, e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, onde os recenseadores visitarão a primeira favela que fará parte do levantamento.

Os testes incluem todas as etapas da pesquisa: os equipamentos e os sistemas de coleta, o treinamento dos agentes e os levantamentos dos entornos das residências. Os modelos de entrevista serão mistos: presenciais, on-line e por telefone.

É importante destacar que as equipes de campo estarão uniformizadas com bonés, colete e bolsas azuis com a logomarca do IBGE. No colete do agente recenseador, haverá crachá de identificação, com foto, número de matrícula e identidade do entrevistador.

Esses agentes vão utilizar um Dispositivo Móvel de Coleta (DMC) de cor azul, semelhante a um smartphone. As pessoas poderão checar a identidade dos recenseadores no site do IBGE.

Indígenas e quilombolas

No dia 25 de novembro, os testes serão expandidos para comunidades indígenas e quilombolas. No Rio de Janeiro, as visitas serão nos municípios de Angra dos Reis e Paraty, na Costa Verde, onde serão testados todos os protocolos sanitários de segurança, normas de abordagem e questionários específicos para essas populações. O instituto ainda está levantando outras comunidades que serão visitadas pelas equipes.

Haverá coletas em bairros de capitais como Belo Horizonte (MG), Macapá (AP) e Salvador (BA), quanto em locais mais afastados como Novo Remanso, a 200km de Manaus (AM) e Tigrinhos (SC). Os municípios de São Caetano do Sul (SP) e Jardim Olinda (PR) também serão visitados neste primeiro momento.

Balanço de Paquetá

Em outubro deste ano, o IBGE finalizou os testes nos domicílios da população da Ilha de Paquetá e, segundo os dados coletados, o bairro teve alta de 8,5% de idosos, em relação a 2010, quando foi realizado o último Censo Demográfico. Hoje, dos 3.612 habitantes da ilha, 31,6% têm mais de 60 anos. Há 11 anos, dos 3.361 moradores, 23,1% pertenciam ao grupo. O índice de moradores nessa faixa etária no Brasil é de apenas 17,7%, conforme dados divulgados de 2010.

Segundo a pesquisa, o bairro também teve aumento de potenciais eleitores, ou seja, pessoas com 16 anos ou mais. Hoje, 85,4% dos moradores estão aptos a ir às urnas, enquanto em 2010, eram 81%. Já em relação ao perfil da população, as mulheres seguem sendo maioria na Ilha. De todos os habitantes, 53,6% são do sexo feminino, contra os 51,53% de 11 anos atrás.

Os recenseadores visitaram 2.774 domicílios na ilha. No entanto, somente 55,9% são usados como moradia. Já das outras unidades, 24% são domicílios de uso ocasional, utilizados para fins de semana, férias e trabalho. Outros 6% são estabelecimentos, como restaurantes, escolas e igrejas, e 13,6% estão vagos. Em média, são 2,3 pessoas morando em cada casa. O rendimento médio dos responsáveis pela residência é de R$ 3.613,47 por mês. No entanto, metade dessas pessoas tem salário igual ou inferior a R$ 2.300.

fonte:https://extra.globo.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário